domingo, 19 de fevereiro de 2012

Um Urso de Ouro português

Faz hoje 28 anos. Mas João Salavisa tem uma dupla razão para festejar. Ontem, na prestigiada Berlinale 2012, o Festival de cinema de Berlim, ganhou o Urso de Ouro para a melhor curta-metragem, com o seu filme "Rafa", que conta a história de um miúdo de 13 anos que deixa a sua casa nos súburbios para procurar a mãe, detida numa esquadra de polícia de Lisboa por conduzir sem carta. No seu agradecimento, perante 1600 espetadores, disse ainda que dedicaria o prémio ao governo português. "Mas só na condição de nos ajudarem nos próximos anos, porque não sabemos o que vai acontecer com o nosso cinema", acrescentou. 
João Salavisa estudou Realização na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e desde 2005 que vem a acumular prémios, entre os quais se distingue, já em 2009, a Palma de Ouro do Festival de Cannes com a sua curta-metragem "Arena". Foi o primeiro português a obter tal prémio.
Também o filme “Tabu”, de Miguel Gomes, foi distinguido com o prémio Alfred Bauer para a inovação, um dia depois de ter lhe ter sido atribuído o prémio especial da crítica, no mesmo Festival de Cinema de Berlim. 
Decididamente, o cinema português está de parabéns e João Salavisa pelo seu sucesso no dia em que festeja os seus 28 anos.

(João Salavisa mostrando o galardão, em Berlim)

17 comentários:

  1. João Salavisa ganhou dois dos três mais importantes festivais de cinema europeus - Cannes e Berlim - na sua categoria, a curta metragem.
    Falta só Veneza...

    ResponderEliminar
  2. É verdade, há que ficar orgulhoso! Só falta o cinema português ganhar espectadores, não é?

    ResponderEliminar
  3. Acho que vamos no bom caminho!
    Assim o Governo também dê uma ajuda a estes jovens talentosos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rosa, eles têm vivido dos subsídios governamentais. Eu espero que estes prémios lhes dêem a visibilidade suficiente para entrarem nos circuitos comerciais e deixarem de depender apenas do estado.
      Bjs

      Eliminar
  4. Que boa notícia!
    Fico muito contente e orgulhosa adoro que os portugueses sejam reconhecidos e homenageados.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também! Nestas coisas somos tão patriotas não é?
      Bjs

      Eliminar
  5. Já sabia do prémio de Miguel Gomes (pela Ematejoca), agora ela esqueceu-se de anunciar esse! São boas notícias para o cinema português em geral e para os premiados em particular! Boas notícias, já se sabe, alegram-nos a todos! :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que a Ematejoca também falou no Salavisa. Se não, ainda bem que fui portadora de boas notícias!
      Bjs

      Eliminar
  6. são estes "grandes" apontamentos que elevam o meu ânimo em ser português. são estes "grandes" apontamentos a causa da minha paixão pelas Artes, pela Cultura. qualquer uma delas tão mal tratada, tão ferida com o peso da ausência dos louvores nacionais que lhes dê o merecido reconhecimento e a motivação, extra pessoal, para continuarem a dar imagem e "Brilho" ao nosso Portugal.
    há muito "português no mundo", como se tem visto em muitas reportagens televisivas, a confirmarem a credibilidade da sua sabedoria mas, isso é para além das portas do nosso Portugal, e também não é com o "favor" de subsídios dados pelo nosso Estado. é pura "carolice" pessoal. é investirem neles próprios, ás suas custas, beneficiando o "cantinho" onde se encontrem.

    tive oportunidade de ver a reportagem da consagração do João Salavisa. o pequeno resumo do filme é convidativo.
    já lá vão muitos anos que estudei numa escola do Bairro de Chelas. Bairro que alimenta o cenário do filme.


    a...té

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, festejam-se muito mais os sucessos futebolísticos do que os ligados à cultura e às artes. Portugal tem de msotrar que faz mais coisas com valor.
      Também gostei do pequeno trailer de apresentação do "Rafa".
      Volte sempre.
      Bjs

      Eliminar
  7. E bem precisamos destes "heróis" (da cultura ou do desporto) para levantar o ânimo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, porque no que diz respeito à economia, o nosso ânimo não podia estar mais desanimado!
      Volte sempre, Luisa.
      Bjs

      Eliminar
  8. O Rafa já vi, mas estou com enorme curiosidade de ver o Tabu. Já tinha antes da atribuição do prémio, mas agora ainda mais
    Já retirei os identificadores

    ResponderEliminar
  9. Fizeste bem, os identificadores eram tenebrosos.
    (Como é que já viste o "Rafa"?)
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Muito obrigado por ter visitado o meu blog e por ter deixado um comentário. assim ás primeiras não é fácil de ler pois vou misturando contos, cenas da atualidade, um romance e um conto tudo no mesmo saco e é preciso uma certa atenção. Mas acho que cada página pode falar por si e de repente acaba-se por entender. ou então não.
    Quanto ao conteúdo do seu post também me congratulo por João Salavisa ter ganho o prémio para a curta-metragem não por ser português, mas sim pelo seu trabalho. Quando o rafa ficar disponível nos circuitos (não tenho a sorte do Carlos Barbosa de Oliveira)tentarei não perdê-lo. Ter orgulho por ele ser português, seria para mim ter orgulho pelo que o governo faz pela cultura portuguesa. E o que faz pelo cinema, entre outras artes, é tão pouco e tão mau que às vezes ponho-me a pensar se devo vibrar pelo êxito de um português ou se apenas pelo homem ou pela mulher que o alcançou. Neste caso todos os meus parabéns para o Salavisa que por acaso também é português.

    ResponderEliminar
  11. O cinema portugues bem que merece o reconhecimento. E será bom para a industria nestes tempos de crise.
    bjs

    ResponderEliminar
  12. Um grande momento do cinema português. Pena que lá fora reconheçam o nosso valor e cá dentro nos chamem piegas e preguiçosos.

    ResponderEliminar