domingo, 29 de novembro de 2009

O leão dentro de nós



Fui convidada para fazer uma comunicação sobre (imaginem!) O Gato na História. No meio das minhas pesquisas na internet por umas fotografias engraçadas de gatos para embelezar a apresentação, encontrei esta imagem.





Achei muito interessante e fiquei a pensar no que ela significa. Hoje em dia, somos massacrados pelo peso da imagem. Vivemos no império da aparência, em que a pergunta omnipresente parece ser: o que pensam os outros de mim? Segundo os estudos que estão sempre a enfiar-nos nos ouvidos, a imagem condiciona o sucesso profissional, a selecção do parceiro sexual, a vida social, e por aí fora.
Mas há outra pergunta tão ou mais importante do que essa: o que é que eu penso de mim próprio? Que imagem é que eu tenho de mim? Quando, de manhã, me levanto e me olho no espelho, o que é que eu vejo (além de alguém com ar obrigatoriamente estremunhado)? Vejo um vencedor ou um vencido? Tenho confiança nas minhas capacidades? Acho que consigo ultrapassar os desafios que cada dia traz?
Essa confiança em si próprio chama-se auto-estima e é um ingrediente fundamental das nossas iniciativas e sucessos. Lembro-me de uma aluna que tive que achava que não era capaz de fazer análise documental, mesmo em exercícios simples. Precisava que eu fosse ao pé dela e lhe dissesse: "Eu sei que tu és capaz!" E ela lá ía fazendo. Um dia, distraída com as dificuldades dos outros alunos, não cheguei à mesa onde ela esperava por mim. Ao fim de um bocado, a minha aluna levantou-se, veio ao pé de mim e disse: "Ainda não me foi dizer que eu era capaz!" E eu nunca mais me esqueci dela.
Não devíamos precisar que os outros nos dissessem de que é que somos capazes. Devíamos ter força para tentar sempre fazer melhor. Na nossa sociedade actual, os que nos rodeiam estão mais prontos a criticar do que a aplaudir, a menosprezar do que a incentivar. O que fazer, então?
O melhor é mesmo olhar para o espelho e procurar o leão que há dentro de cada um de nós.

18 comentários:

  1. Foto muito interessante. Poderiamos julgar que se trata de uma percepção distorcida, irrealista, até psicótica... mas aliada ao texto, a imagem remete-nos para a importância da auto-percepção valorizada... de ver o melhor de nós mesmos, de realçar a auto-estima. Procuremos pois, sempre o leão dentro de nós!!RRRRRRRRRRRRRRRAAAAAAAAAUUUUUUU!!*

    *legenda:rugido
    :)beijo

    ResponderEliminar
  2. Teresa, pensei em um outro tipo de gente, aquela que vive sob pressão e que 'reza' para um minuto de liberdade, seja criativa, profissional ou mesmo para ficar à toa! Na verdade, matamos um leão, a cada hora, pois a vida nos cobra a perfeição de atos. Assim, faz-se tudo perfeitamente, sem que aconteça um elogio e ao final, se tu erra, o erro é logo apontado. Já viu?
    Bom domingo! Beijus,

    ResponderEliminar
  3. A falta de auto-estima está ligada aos incentivos que nos foram dando ao longo do tempo. A confiança é maior ou menor consoante aquilo que a sociedade nos foi devolvendo enquanto a nossa personalidade se foi formando.

    Às vezes, as pessoas levam mais em conta as opiniões de outrém que anulam as suas próprias. Eu sou um pouco assim, a minha insegurança, às vezes, espesinha-me um pouco a auto-estima e o medo de falhar preenche o meu raciocínio.

    Às vezes, ter uma boa auto-estima não depende tanto de nós, mas dos outros. E o leão que existe em nós, quando ele se sente seguro que´não é só um gatinho com pele de leão, mas sim um verdadeiro leão.

    Ter pés de barro, nem sempre nos leva a seguir em frente e a ter já de antemão repercutido em nós, que somos fantásticos e vamos conseguir.

    Há ainda quem estimule a nossa auto-estima quando já somos crescidos; mas, se a auto-estima não foi trabalhada quando éramos mais novos, o mais natural é que tomemos o elogio por umas palavras de gozo.

    Acho que uma criança deve ser incentivada com palavras construtivas, para se tornar num adulto vencedor, sem a capacidade de se atu-destruir psicologicamente. è óbvio que tem de ser tudo em doses certas, pois não queremos adultos narcisistas!

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  4. Pepita
    É verdade que a auto-estima tem de ser construída e os outros têm aí um papel importante, especialmente na infância. Mas temos de ir buscar as pequenas coisas para nos darem força, em qualquer idade. E acreditarmos que o leão está lá dentro, pode é estar a dormir.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Luma
    Tem tanta razão! A sociedade tenta domesticar o nosso leão e nós, por vezes, somos obrigados a "matá-lo", para seguirmos em frente e sermos aceites. Mas, pelo menos uma vez por dia, é importante olhar para o espelho e ver o leão e saber que ele lá está, pronto a saltar, quando houver uma oportunidade.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Eva
    Aí vai o meu rugido que, traduzido, significa concordo totalmente: rrrrraaaauuuuu!
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Oi,Teresa
    Auto estima - um assunto atual , na moda. Penso que também os pais precisam incutir nos filhos uma segurança que os levará a ter auto estima pela vida afora.Seu texto está ótimo,Teresa. Precisamos olhar no espelho , mesma com a cara ainda amassada e ver esse rei da selva e perguntar-lhe: espelho,espelho meu : haverá alguém mais bonito, forte e valente do que eu?? rsrs
    Uma boa semana e que sua auto estima esteja assim , pro alto.
    Abraços

    ResponderEliminar
  8. Olá Teresa

    O contraditório é muito importante porque em registo de auto-análise, somos indulgentes connosco.

    A auto-estima é importantíssima.

    Como vivemos numa sociedade que valoriza qualquer atitude que se tome, há um viciozinho em estar sempre a querer saber o que pensarão de nós, das nossa atitudes, da nossa indiferença, de, de, de...

    (Não acrescento mais por ter recebido um sussurro da minha consciência crítica -- Calcula! -- «Calma!)
    Saudações

    ResponderEliminar
  9. Olá Lis
    É verdade, as atitudes dos pais têm uma importância determinante na construção da nossa auto-estima. Se nos incentivam ou não, se têm confiança em nós ou não,...
    Boa semana também e boa auto-estima para todos nós!
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. JPD
    Não estou assim tão certa de a sociedade valorizar qualquer atitude que se tome, a não ser que ela alinhe no mainstream e seja politicamente correcta. Mas, pronto, está bem.
    Obrigada pela visita. Volte sempre.

    ResponderEliminar
  11. Olá, Teresa!!
    Há quanto tempo...
    Não pude ficar indiferente a esta tua reflexão. Afinal, se não formos nós a reconhecer o nosso leão, quem reconhecerá?
    Ah, e tu ÉS CAPAZ!!

    ResponderEliminar
  12. Olá Ana Anónima
    Nós somos leoas, certo?
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. She
    O comentário mais profundo e filosoficamente pertinente que já recebi. Ainda hesitei em publicá-lo, mas depois pensei que não podia privar o mundo desta reflexão. Volte sempre.

    ResponderEliminar
  14. O grande problema é ato de cegar-se.

    Energar apenas o Leão, sem ver os defeitos faz-te um narcisista.

    enxergar apenas os defeitos, sembuscar o Leão, faz-te apenas um inerte.

    E que venha o equilíbrio!

    Shisuii

    ResponderEliminar
  15. Que extraordinária imagem e que belíssimo post. Adorei lê-lo, como sempre.
    Já o tinha comentado ontem, mas não sei o que fiz, foi-se para outra galáxia.

    Como gostaria de ser um pouco mais leoa! Seria mais assertiva, mais exigente com os outros e não calaria as vezes em que me sinto e sei injustiçada.

    Em vez disso sou uma gata. Um pouco felina (para dentro), fugidia nos piores momentos.

    Desculpa o desabafo.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Querida Natália
    Eu conheço-te e sei que tu tens tanto medo de ferir os outros que preferes ser apenas a gata. Mas olha que até os gatos, quando os aborrecem, põem as garras de fora!
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Shisuii
    O problema, como em tudo na vida, está em conseguir atingir o equilíbrio.
    Bjs

    ResponderEliminar