segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Das idades do amor


Termina hoje a maratona de textos sobre o amor que me propus apresentar nesta quinzena, assim como uma espécie de preparação para o Dia dos Namorados, o dia de S. Valentim, que se celebra amanhã.  Queria terminar com um texto especial, e nenhum melhor do que esta pequena reflexão de José Saramago sobre o amor. Haverá uma idade para o amor? Se o amor é a disponibilidade de entrega de uma pessoa a outra, então todas as idades são certas. 

Penso saber que o amor não tem nada que ver com a idade, como acontece com qualquer outro sentimento. Quando se fala de uma época a que se chamaria de descoberta do amor, eu penso que essa é uma maneira redutora de ver as relações entre as pessoas vivas. O que acontece é que há toda uma história nem sempre feliz do amor que faz que seja entendido que o amor numa certa idade seja natural, e que noutra idade extrema poderia ser ridículo. Isso é uma ideia que ofende a disponibilidade de entrega de uma pessoa a outra, que é em que consiste o amor. 

Eu não digo isto por ter a minha idade e a relação de amor que vivo. Aprendi que o sentimento do amor não é mais nem menos forte conforme as idades, o amor é uma possibilidade de uma vida inteira, e se acontece, há que recebê-lo. Normalmente, quem tem ideias que não vão neste sentido, e que tendem a menosprezar o amor como factor de realização total e pessoal, são aqueles que não tiveram o privilégio de vivê-lo, aqueles a quem não aconteceu esse mistério. 

José Saramago, in "Revista Máxima, Outubro 1990"


(José Saramago, imagem retirada de Google images)

16 comentários:

  1. Assino as palavras de Saramago! :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só não assina quem não reconhece o tal mistério!
      Bjs

      Eliminar
  2. Olá!
    É um grande prazer conhecer seu blog e poder ler o que escreves.
    Acredito que quando escrevemos com prazer conquistamos amigos e fiéis amantes das palavras. Sabemos o quanto é difícil levar a nossa voz, as nossas angustias os nossos sonhos às pessoas. Mas o mais importante é saber que você e eu gostamos daquilo que fazemos.E acreditamos que o mundo pode se tornar bem melhor através de nossos escritos.
    Grande abraço
    Se cuida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Não sei se posso tornar o mundo melhor através dos meus escritos, mas sei que tenho muito prazer em partilhar as minhas reflexões ou as coisas de que gosto.
      Volta sempre. Beijinhos.

      Eliminar
  3. O amor não pode ser confinado a um dia comercial, nem expresso em canecas e almofadas que dizem "Para o amor da minha vida". Beijoca!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O amor é para todos os dias, seja ele expresso em canecas, almofadas, canções, livros, tatuagens, whatever!

      Eliminar
  4. Que grande senhor! Não conhecia ainda este texto dele , mas acho maravilhoso! E que grande lição para aqueles que tanto o criticaram e o "baniram", perceber o entendimento pleno que ele tinha do amor e que, não só o sabia como o vivia... Talvez isto lhe conquiste alguma simpatias póstumas. São mais do que merecidas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dito desta forma simples, pode ser que o entendam melhor!
      Bjs

      Eliminar
  5. Chego cá no dia do último texto e só li ainda os do Saramago e do MEC. Foi muito feliz esta sua escolha e, obviamente, vou ler os outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de vir ler os outros,olha que vale a pena.

      Eliminar
  6. Olá amiga,

    que bom continuar a ler-te e a ler Saramago, de quem ambas gostamos.
    Não há, de facto, idade para amar. Também eu conheci esse mistério e sou feliz.

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. ..."o amor se acontece há que recebê-lo" adoro esta frase!
    xx
    Já lá está a porta esperando por ser reconhecida:)

    ResponderEliminar
  8. Claro que não há idade para amar; eu sou um exemplo disso, amo e sou amado por alguém com metade da minha idade.

    ResponderEliminar
  9. Todas as idades são bonitas para amar, embora umas sejam mais belas do que outras. Provavelmente o pinguim, deve ser homem! Mas,eu, que sou mulher, aprendi a amar tarde e como tal, sou um exemplo corpóreo e não apenas ideal de que amar é sempre possível, basta que nos saibamos amar primeiro!

    ResponderEliminar