terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O Sião em Belém

Hoje, a princesa Maha Chakri Sirindhorn, herdeira do trono tailandês, está em Lisboa para inaugurar a Sala Thai, um pavilhão tailandês oferecido pelo seu país a Portugal no âmbito das comemorações dos 500 anos de relações diplomáticas entre os dois países.
Foi em 1511 que o navegador português Duarte Fernandes aportou a Ayuthaya, capital do Reino do Sião (atual Tailândia). Foi bem recebido pelo rei, firmando com ele uma aliança que ainda hoje se mantém. Para comemorar tão antiga aliança, o governo tailandês encomendou e construiu em Banguecoque o pavilhão que foi depois transportado de barco até ao Jardim Vasco da Gama, em Belém, onde está montado desde o final do ano passado.



Esta obra lindíssima foi concebida pelo arquitecto  Athit Limmu e acabou por representar o «símbolo da amizade» entre os dois países, por se inspirar nas linhas arquiteturais da cidade de Banguecoque e no Mosteiro dos Jerónimos. O telhado foi coberto com placas que se assemelham à pele de um dragão ou às escamas de um peixe, enquanto os pináculos são anjos estilizados. Na parte de baixo existe um quase varandim inspirado nas ogivas dos Jerónimos em tons verdes. Porém, é o dourado a cor dominante, conseguida com mil finas folhas de ouro.
Esta é a minha sugestão para um passeio de fim de semana ou, quem sabe, ainda hoje ou amanhã para quem tem a sorte de ter tolerância de ponto. É um passeio pobrezinho, até Belém, mas é bem compensado pela sumptuosidade do Pavilhão Thai. A não perder.

Mais informações aqui.

14 comentários:

  1. Eu estou longe mas quero ver se não perco!
    Além disso há pastéis de nata nas imediações! :-))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro Rosa, isso é uma razão de peso! :)
      Bjs

      Eliminar
  2. a excelência da arquitetura abrilhantando uma relação que se respeita.

    inteligente sugestão traduzida e legendada pela foto bem como, pelas palavras conjugadas com a cultura.



    a...té

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ponto e Vírgula
      Acho muito inteligente acarinharmos estas relações positivas que herdámos dos nossos Descobrimentos.
      Abraço.

      Eliminar
  3. Houve um tempo que era raro o fim de semana que não ia almoçar a Belém (fora do palácio, evidentemente!), mas agora nem por isso... ;)

    Mas hei de lá passar para espreitar o pavilhão tailandês, que à primeira vista parece mesmo lindíssimo! Gracias pela sugestão!

    Beijocas e bom Carnaval!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se fores lá almoçar, tenta comer dentro do palácio, com o nosso presidente, sempre fica mais económico. Senão, um pastelinho de Belém sabe sempre bem!
      Bjs

      Eliminar
  4. Belém está mais rica...
    Quem diria, não é verdade, senhor Silva?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que mauzinho! Pareces o Sr. Jardim a falar!
      Bjs

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Porque não vens cá ver?
      Beijinhos para todos.

      Eliminar
  6. Amiga, sabes que nasci em Belém e fui baptizada nos Jerónimos.
    Apesar de já lá não viver, vou lá com frequência e ainda não vi esta preciosidade.
    Para a próxima não vou deixar de ver.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que deve valer a pena. Embora estas folhas de ouro todas, ali à mão, nos jardins de Belém, me obriguem a aconselhar-te a ires rapidamente!
      Bjs

      Eliminar
  7. Vamos a ver se somos merecedores desta magnifica oferta que representa de forma eloquente a arte tailandesa. Tenho algumas dúvidas que a saibamos preservar...

    ResponderEliminar
  8. Quanto é que aquilo valerá? É que Portugal está a precisar de dinheiro... ;) Beijoca!

    ResponderEliminar