segunda-feira, 8 de junho de 2009

Um novo Museu dos Coches?

As pessoas que se mantêm atentas a estas coisas - que não são tantas como seria devido, já se sabe - foram surpreendidas pelo anúncio de que se preparava um novo edifício para alojar o Museu dos Coches. Confesso que, quando li esta notícia, fiz um esforço para me recordar de aspectos verdadeiramente negativos ou degradados do actual Museu. Não me lembrei de nenhum. Pelo contário, lembrei-me de ter também, aqui há tempos, lido a notícia de que estavam a ser feitas obras de recuperação do espaço do Museu. Não sei se serão as mesmas que, durante algum tempo, obrigaram as peças em exposição a encontrar um abrigo num edifício do Parque das Nações. Seja como for, houve obras! Justifica-se, depois das obras feitas, o transporte do riquíssimo acervo do Museu para outro local?

Dizia a dita notícia que o novo edifício seria uma obra de arquitectura projectada de raiz para o Museu. Permito-me opinar que qualquer obra de arquitectura moderna será, seguramente, menos adequada para a exposição dos coches do que o Real Picadeiro, onde actualmente se encontra. Um museu não se esgota nas peças que expõe. O ambiente em que as enquadra também conta. Recordo com muito prazer os pequenos concertos de sábado à tarde com que o Museu brindava quem o queria visitar nesses dias. Num desses dias, assitia eu na galeria a uma récita temática, com trechos de operetas, e lembro-me precisamente de pensar como aquele espaço era agradável e privilegiado. Tinha comigo uma estudante húngara, que estava deslumbrada por todo aquele envolvimento, a música, as pinturas, os coches, o próprio picadeiro! Outro espaço, mesmo feito de raiz, não pode ter o mesmo envolvimento, a mesma personalidade!

Estamos a falar do Museu mais visitado da cidade de Lisboa. Estou certa de que o que agrada aos turistas é o todo, não apenas algumas partes, por mais espectaculares que sejam as peças em exposição!

Amanhã, vota-se na Câmara Municipal de Lisboa a construção do novo museu. Sei que há movimentos de cidadãos, em Lisboa, que lutam pela preservação do actual Museu dos Coches. Espero que o bom-senso prevaleça e que o executivo camarário encontre outros locais onde investir o dinheiro que, ao fim e ao cabo, é de todos nós.

3 comentários:

  1. Olá, teresa, cheguei aqui através do blog de minha filha Cláudia (Pensamentos que a vida traz). Já estive em Lisboa duas vezes e tive o prazer de conhecer o Museu dos Coches. Realmente muito interessante, fiquei perdida em imaginações. Chegava a ver em meu pensamento as pessoas que poderiam ter sido carregadas por eles. Adoro Lisboa, sabe? Gostaria de receber sua visita em meu bloguinho, também. Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  2. Olá Sueli
    Muito prazer em recebê-la neste meu espacinho.
    Também adoro Lisboa. Quando tenho tempo, gosto de deambular pela cidade, perder-me pelas ruas, observar as pessoas, escrever sobre o que vejo e sinto.
    Apareça mais vezes por aqui.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. A construção do novo museu dos coches é uma vergonha! O original está em perfeitas condições, sempre teve espaço suficiente para receber as visitas e é um edifício perfeitamente capaz.. em tempos de austeridade como estes em que vivemos, de crise e de aperto, é uma vergonha enterrar o dinheiro dos contribuintes num edifício enorme como o que está a ser construído.. cheira-me a lavagem de dinheiro e a corrupção! Cheira-me a ROUBO!! Desculpe a repentina intrusão neste blog, Teresa, mas tinha que o fazer. Abraços

    ResponderEliminar