terça-feira, 13 de abril de 2010

Viver em Veneza

Prometi ao Carlos, das Crónicas do Rochedo, eleger também a cidade da minha vida fora de Portugal. Depois de muitas hesitações, resolvi eleger Veneza como a minha cidade... fora do meu país. Há aquela razão óbvia, de ser uma cidade belíssima. Mas há também outras razões, que se prendem com os sentimentos e as emoções. Estive em Veneza por três vezes, em 1979, em 1982 e depois outra vez em 2005.  Cada uma destas vezes foi especial, embora por razões diferentes. 
Este texto é também uma republicação (peço desculpa a quem já o leu!) de um post que editei no meu outro blogue, Olhares Viajantes, onde vou alinhavando as minhas impressões de viagens.


(Vista da laguna de Veneza, a partir da Praça de S. Marcos)



Há alguns anos, no decorrer de um curso internacional, coloquei a um velho professor veneziano uma questão que há muito tempo me intrigava: "Tem automóvel?" Ele abriu os olhos, espantado, e retorquiu-me: "Para quê?"

(Um canal em Veneza, com gôndolas)

De facto, para quê? A única ilha onde se pode andar de automóvel, do conjunto de 112 que compõem a cidade de Veneza, é o Lido, a comprida ilha que fecha a laguna. Aí, há uma avenida que acompanha a praia e várias ruas transversais. Tem um casino, vários restaurantes e muitas lojas. Parece-se com qualquer estância balnear da costa italiana. Veneza é outra coisa, são as outras ilhas da laguna.

(Becos e ruelas em Veneza)

Viver em Veneza significa percorrer ruelas e becos, em sítios onde a terra firme é um bem precioso. É viver paredes-meias com uma das maiores concentrações de obras de arte que a humanidade conseguiu produzir, mas também conviver com as inundações e o perigo de afundamento. 


(Um cais / paragem do vaporetto)

É apanhar o vaporetto para circular nos canais, é entrar e sair nos pequenos cais que servem de paragens. É atravessar uma ponte para entrar em casa.

(Ruas e pequenas pontes)

É chamar um barco rápido se é necessário um táxi, chamar um barco-ambulância se é necessário ir de urgência para o Hospital. É esperar pelo barco da recolha do lixo. É integrar um triste cortejo marítimo, quando há um funeral no cemitério, na ilha San Michele.

(A entrada do cemitério na ilha de San Michele)

É assistir às regatas no Gran Canal. É ter um jardim no telhado.

(Um jardim no telhado)

Um dia, eu estava sentada numa pequena esplanada à beira do canal da ilha de Murano, a comer arancini, quando vi uma cena simples, mas que não esqueci. Chegou um barco, que estacionou entre os outros barcos, na margem do Canal. Dele, saiu um família, o pai, a mãe, e três filhos, cada um com uma mochila da escola às costas (já estavamos em tempo de aulas). Saíram, fecharam o barco e foram à sua vida. O rapazito mais velho ainda voltou atrás, tinha-se esquecido de um saco pequeno, do tipo dos sacos de ginástica. Uma família normal, a viver numa cidade que parece existir apenas num bilhete postal.

(Roupa estendida entre as casas, nos canais)

Viver em Veneza obriga a repensar as concepções de espaço urbano e a organização da vida. Provavelmente, vale a pena.
(Fotografias de Teresa e Fernando Ferreira)

30 comentários:

  1. Oi Teresa
    Mais um texto belísimo sobre uma cidade que que é amada e cortejada por todo o mundo. Veneza é o simbolo do romantismo e essas imagens falam por si.
    Maravilhoso estar numa cidade onde os carros nao tem vez, caminha-se a pé ou em embarcaçoes fluviais.
    Vendo aí a foto do cemitério li que as gôndolas há tempos atrás só atendiam a cortejos funebres , porisso a maioria tem a cor preta.
    Muito bonita sua postagem .
    Feliz de voce Teresa que conhece essa cidade maravilhosa e pode falar de cadeira! rs
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Linda tudo isso.Revi cada cantinho da Linda Veneza por aqui! Adorei!beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Mais uma vez, muito obrigado por estadupla participação. Gostei muito de Veneza, embora haja outras cidades em Itália que gosto mais, como é o caso de Florença.
    Links na px semana, ok?

    ResponderEliminar
  4. Teresa, eu acho essa cidade lindíssima embora nunca tenho ido à Veneza. Mas para morar nao seria o meu lugar. preciso de terra firme, de jardim, de ruas largas essas coisas de gente urbana.

    Queria te fazer algumas perguntas sobre Lisboa, se vc vê meu email pode me escrever? Senao deixa um recado na Saia que deixo aqui o meu email.

    Beijao

    ResponderEliminar
  5. Então é Veneza!!
    Fiquei intrigada, na expectativa. Qual seria a cidade da Teresa? Nem me atrevia a fazer previsões. Como mulher da História que és, poderiam ser tantas...Berlim, Paris, sei lá.
    Não conheço Veneza, por pouco.
    Mas a minha, fora de portas, é Paris. É piroso, eu sei. Mas é encantadora, boémia, charmosa, feminina. Adoro Paris.
    Bj

    ResponderEliminar
  6. Não conheço mas tenho pena...
    De Itália só conheço Roma e Assis!
    Mas gostei da tua Veneza.

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Olá Lis
    Veneza é especial por muitas razões, é bela, romântica, diferente. Eu quis mostrar como é viver realmente lá, já que parece uma cidade só para turistas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Chica
    Para ti, é rever a tua terra. Também sabe bem, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Carlos
    Tudo bem, quando for oportuno.
    Também há outras cidades em Itália que acho mais espectaculares, mas há laços que me ligam a Veneza e que são especiais.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Georgia
    Concordo, também não sei se me adaptava, acho que só mesmo os venezianos.
    Logo que puder, vou ver o seu e-mail, ok?
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Ana
    Pois, esse foi o problema, há tantos locais de que gosto!
    E não me digas que Paris é piroso, também amo Paris e esteve por um triz para ser a cidade escolhida. Não há nada de piroso nos nossos sentimentos. Há ligações que, às vezes, nem sabemos explicar e que nos ligam a sítios, a pessoas. Como explicar as ligações sentimentais?
    Bjs grandes para ti.

    ResponderEliminar
  12. Rosa dos Ventos
    Cada um vê coisas diferentes nos mesmos sítios, tens razão. Esta é a minha Veneza. Outros mostrariam a Praça de S. Marcos ou a Ponte de Rialto.
    Também gosto muito de Roma e de Assis. E da Itália em geral, tenho de confessar que tenho um fraquinho.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Veneza foi uma das cidades do mundo que mais nos impressionou pela sua unicidade e romantismo. E a sensação de caminhar por uma cidade sem carros, é magnífica :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Chamo a isto "uma bela reportagem"!
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Vagamundos
    Podemos dizer o que quisermos, mas que é uma cidade diferente, não há dúvidas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Lilá(s)
    Bela, sim, porque belo é o objecto da reportagem :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Escolheste muito bem a cidade.É, de facto, uma cidade lindíssima,embora se note a degradação dos palácios e, imagine-se, agora até haja nas ruas as bancadas de vendedores de bugigangas. De qualquer forma, terá sempre uma certa magia que nos encanta, enquanto navegamos nos canais e nos deixamos ir ao sabor da nossa imaginação. (que saudades...)
    Um grande beijinho
    Romicas

    ResponderEliminar
  18. Romicas
    Ainda bem que concordas :)
    Tens razão, corta o coração ver aqueles belas palácios degradarem-se, especialmente ao nível das águas, por causa da poluição. Esse é o maior desafio.
    Bjs

    ResponderEliminar
  19. Visitá-la-ia mais uma meia-dúzia de vezes.
    Viver na Sereníssima, não sei.
    Teria de pensar.

    Bjs

    ResponderEliminar
  20. JPD
    Concordo, não deve ser fácil. Haveria que mudar muita coisa na nossa concepção de vida e de espaço urbano.

    ResponderEliminar
  21. Uma cidade por onde já passei por duas vezes e que não conheço.
    Está na lista para passar lá um fim-de-semana prolongado.
    Lindo "bilhete postal" de Veneza!
    Abracinho

    ResponderEliminar
  22. Gostei muito desta viagem por Veneza.
    Um destes dias era uma cidade a que gostava de ir.
    beijinho

    ResponderEliminar
  23. Maria Teresa
    Então, tem de passar lá mais algum tempo, para ver a Veneza para lá do bilhete postal.
    Bjs

    ResponderEliminar
  24. Redonda
    É fazer as malas e decidir ir. É daquelas cidades onde se recomenda uma boa companhia :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  25. É sempre bom recordar Veneza, fantástica descrição.

    ResponderEliminar
  26. Que linda forma de homenagear Veneza. Gosto da cidade, mas não me sinto muito à vontade com tão pouca terra firme.É uma cidade que gostei muito de conhecer, mas acho que não volto. E penso que todo ser no planeta deveria conhecer o trabalho das fábricas de Murano.

    ResponderEliminar
  27. :) Vim reler de novo o texto e a resposta :) seguindo o link...agora só tenho de arranjar uns dias de férias e a companhia :)
    um beijinho

    ResponderEliminar
  28. Viagens Lacoste
    Sim, é uma cidade que sabe bem recordar.
    Bjs

    ResponderEliminar
  29. Turmalina
    Concordo que é uma cidade que questiona os nossos conceitos de organização urbana :)
    Bjs e volta sempre.

    ResponderEliminar
  30. Redonda
    Às vezes, uma boa companhia é mais difícil de arranjar do que uns dias de férias :) Espero que consigas os dois.
    Bjs

    ResponderEliminar