sexta-feira, 30 de abril de 2010

A velha fábrica de arroz


Quem disse que fora da zona de Lisboa não havia iniciativas culturais interessantes? Bem, eu já tenho dito, por vezes. Mas, desta vez, venho falar de uma iniciativa que me pareceu muito interessante e à qual vou estar atenta.


Em Ponte de Sôr, no Alentejo, a meio caminho entre o litoral e a fronteira espanhola, havia uma antiga fábrica de arroz, que ocupava vários pavilhões e que estava há muito tempo desactivada. Foi recuperada e, depois de alguns contratempos, reabriu como um Centro de Artes e Cultura. Assume-se como um espaço multidisciplinar de âmbito cultural que, por isso mesmo, integra  várias instituições, desde a Fundação das Casas de Fronteira e Alorna até ao Festival Sete Sóis Sete Luas, que abrange parceiros culturais de vários países da Europa. Também tem um Serviço Educativo, claro, que coordena actividades para as crianças do concelho. Mas, muito mais interessante, alberga um Teatro, o Teatro da Terra, que revitalizou o velho Cine-Teatro da cidade. O Centro conta também com oito ateliers, que podem servir de residência temporária de artistas plásticos ou actores.


Neste momento, há algumas exposições no Centro de Artes e Cultura. Uma delas é verdadeiramente espantosa e mostra a obra de um jovem espanhol, César Molina, que, utilizando os metais como matéria-prima e, principalmente, materiais reciclados, realiza obras de grande criatividade artística e sensibilidade ambiental. As fotos que acompanham este post são de obras suas, que estão ali em exposição. Vejam se eu não tenho razão.



24 comentários:

  1. Não conhecia; antigamente, antes das auto-estradas, eu passava e parava muito em Ponte de Sôr, que era a meio caminho entre a Covilhã e Lisboa; agora não passo por aí.
    Mas parece-me uma excelente iniciativa e muito semelhante à que existe aqui em Barcarena na antiga Fábrica da Pólvora.

    ResponderEliminar
  2. Querida Teresa

    Que bela sugestão para mais um passeio. Tenho a certeza que vou gostar muito.

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Valéria.

    Impressionante a delicadeza das artes... e da força também! É mais uma prova que ela é transformadora e tem o dom de transferir beleza a tudo que toca!

    Bom fim de semana.
    Jr.

    ResponderEliminar
  4. Quando passar por Ponte do Sôr (às vezes acontece), não me esquecerei de passar pelo CAC e ver o que está.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Tem toda a razão! As peças mostradas revelam muita criatividade.
    Iniciativas como esta vão começando a aparecer, felizmente, um pouco por todo o país, dependem muito das Câmaras e das Juntas de Freguesias. Mas muitas mais são precisas...
    Abracinho

    ResponderEliminar
  6. Que legal e como é bom descobrir cultura,não? Muito bom!beijos,chica

    ResponderEliminar
  7. Sabe que é uma boa revitalizar velhos locais?
    É um jeito fácil de preservar a história. Gosto disso!!!

    As obras de arte são criativas e um tanto estranhas...

    Bjo

    ResponderEliminar
  8. Muito interessante.
    Vou ver se arranjo um fim de semana para lá ir.
    xx

    ResponderEliminar
  9. Pinguim
    As auto-estradas levam-nos depressa ao nosso destino, mas retiram-nos o contacto com as pequenas vilas e locais. Sim, é idêntico à Fábrica da Pólvora.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Natália
    Agora que o tempo está a melhorar, apetece fazer sugestões de passeios e apetece passear.
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. João
    É mais uma sugestão, de um local onde vale a pena parar.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Junior
    Não consigo zangar-me contigo, mas se voltas a chamar-me Valéria, zango mesmo!
    Sim, a arte tem um poder transformador.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Maria Teresa
    Só mostrei um bocadinho, a exposição é, de facto, muito interessante e criativa.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Chica
    Descobre-se cultura onde menos se espera.
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Mylla
    É uma forma de revitalizar velhos lugares, sim, mas dando coisas novas. Parece-me muito interessante.
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Papoila
    Quando fores de passagem, em vez de ires pela auto-estrada, espreita por lá.
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Teresa,
    Os lugares inativos geralmente servem para os assuntos das artes.É inspirador ,parece, acho que pela transformação que proporciona.
    Aqui também temos uma Estaçao de Ferro decáida mas que tem um imponente prédio com uma fachada linda e que leva o nome do Barão de Mauá , algumas linhas de trem para o suburbio foram desativadas e servia de palco pra bandidagem , justo um lugar onde transitam milhares de trabalhadores indo e vindo. A Prefeitura junto a Secretaria de Cultura ativou e há sempre eventos com shows musicais gratuitos que ocupam as áreas desativadas , e tivemos há pouco até um festival o " Coack2Black " um evento de proporções internacionais com o objetivo de relembrar a África . Muito bom . É a cultura chegando àqueles que nao podem frequentar teatros.Bom isso , nao?
    pelo menos alguma coisa boa no meio de algumas barafundas que nossos paises promovem rsrs
    ah e quero contestar , como vc não é poeta? aqui eu venho sempre buscar e encontro poesia nos seus textos inspirados e nas suas fotografias. Foi dificil escolher uma só , és aquilo que eu designei rsrs e vi por aqui desde que a conheci.
    abraços ,
    boa semana , obrigada pela amizade.

    ResponderEliminar
  18. Lis
    Eu acho que é uma boa forma de aproveitar espaços que têm história, mas já não desempenham a função para que foram criados. Então, vamos recriá-los.
    É sempre uma boa ideia, especialmente quando acontece no centro do país, uma periferia cultural.
    Obrigada pelas tuas palavras.
    Bjs

    ResponderEliminar
  19. Olá,
    Também estive lá !
    É realmente um espaço com muito interesse e bem recuperado.
    As obras que estavam expostas eram realmente de qualidade , até mesmo porque eram executadas com metais reutilizados.
    Quanto ao post, é um bom artigo e reflecte com precisão os espaço e a sua beleza.
    Um beijo,

    ResponderEliminar
  20. Pessoalmente gosto muito de visitar antigas fábricas transformadas em museus e em locais de exposições como esta, que me pareceu muito interessante. Não me canso de vaguear pela antiga fábrica da pólvora e recriar na minha mente o que ela já foi um dia, através da história retratada nas suas paredes em ruína (um dia ainda faço um post sobre isso). Obrigada pela sugestão!

    beijinhos :)

    ResponderEliminar
  21. FAires
    Pois claro que estiveste lá :)
    O post reflecte bem a beleza das peças, porque as fotos eram muito boas (quem as terá tirado?)
    Bjs

    ResponderEliminar
  22. Uma sugestão interessante para um passeio diferente
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  23. Helga
    Também gosto. Fico à espera do teu post :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  24. F Nando
    Às vezes, não há ideias para um passeio de fim de semana. Aqui está uma sugestão.
    Bjs

    ResponderEliminar