sexta-feira, 9 de abril de 2010

Elogio da Sesta

Há uma característica do mundo laboral português que me irrita solenemente e que, por infelicidade, se tem vindo a afirmar cada vez mais: é a síndrome do funcionário perfeito. O funcionário perfeito é um obcecado pelo trabalho. Não tem horário de trabalho, tem objectivos a cumprir. Se o trabalho não for acabado na empresa, será acabado em casa; afinal, para que se fizeram os computadores? O trabalhador excelente não precisa de tantos dias de férias; se tem direito a vinte e dois, tira quinze, a empresa não sobrevive sem o seu contributo. Há reuniões fora de horas? Que importa? O trabalho está primeiro. O preenchimento de dez relatórios e a avaliação de vinte planos (pelo menos) é seguramente mais importante do que o tal tempo de qualidade que nos mandam ter com os nossos filhos. É preciso ir ao médico com o mais velho, ao dentista, à escola do mais novinho? Azar, não se pode faltar. Mas... está na Lei! Qual Lei? Essa lei não se aplica ao trabalhador excelente, que põe o seu trabalho acima da sua vida particular e que não quer ser olhado de lado se se põe a evocar essas minudências!
O funcionário perfeito trabalha dez, doze horas por dia. Sem se queixar, senão já nem parece assim tão perfeito. Ele sabe que tem de suportar, com os seus impostos, os gastos da Assembleia da República, as rotundas das Câmaras, os subsídios das mais variadas coisas e pessoas. Ele sabe que, noutro país, seria provavelmente mais valorizado. Mas... aqui, ele é o trabalhador excelente e isso lhe basta. Só tem um problema: quando chega ao final do dia, está tão esgotado que tem uma nítida quebra de produtividade!
O que fazer, então? Eu acho que descobri a solução: instituir a hora de sesta obrigatória. Os meus pacientes leitores que chegaram a este ponto, estão agora a rir e a abanar a cabeça com comiseração. Mas isto tem lógica. Já era do conhecimento geral que as pessoas que dormem a sesta têm menos probabilidade de morrer de ataque cardíaco. Agora, os investigadores da Universidade Berkeley, na Califórnia, apresentaram na reunião anual da Association for the Advancement  of Science, um estudo que mostra inequivocamente as vantagens desse soninho a meio do dia. Segundo parece, refresca o hipocampo, melhora o desempenho motor e, não só nos permite recordar melhor o que aprendemos antes da sesta, como nos deixa mais predispostos para a aprendizagem. 
Portanto, se bem entendo, esta horinha de relaxamento a seguir ao almoço não é tempo perdido, mas sim um investimento na produtividade. Não é boa ideia?


37 comentários:

  1. Olá Teresa,
    Esquece a sesta...
    Pessoalmente preferia iniciar o meu dia de trabalho bem cedo para também sair a horas decentes... 16h! Ainda tinha tempo para fazer as minhas coisas nas calmas e paciência para conviver!
    E aproveito para questionar: onde vai este mundo parar com tanta mania de se ser um grande profissional? O conceito de família, onde fica? Uma coisa é certa: os patrões é que enchem os bolsos... e com direito a sesta ainda exigiam ter de se trabalhar mais de 14 horas ;)

    ResponderEliminar
  2. Excelente ideia Teresa e
    muito boa pra ser verdade um dia !
    parece que já há algumas empresas emplementando como plano piloto nas empresas.
    Tomara que a moda pegue!o rendimento será melhor já comprovado.
    bom fim de semana
    abraços

    ResponderEliminar
  3. Principalmente no Verão!
    Às vezes estou morta de cansada (a minha área é de desporto) e depois do almoço durmo 10 minutos que me parecem HORAS! Fico NOVA!:)
    Sou a favor!
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Boa ideia? Eu direi ideia fantástica!
    Estamos a ver emergir a geração que foi pouco apoiada pelos pais... E a que se segue ainda vai ser pior...
    Abracinho

    ResponderEliminar
  5. Seria muito bom ter direito a uma sesta depois do almoço para recarregar baterias. Seria ouro sobre azul! Mas...isso é uma miragem, pelo menos no nosso país!
    E a avaliação de desempenho? Teria de contemplar a produção do funcionário depois da sesta?

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Lis
    Já há empresas a implementar esta medida? Não sabia. Vamos ver os resultados.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Nocas
    Eu estava a ser, principalmente, irónica. Esta psicose da dedicação profissional, que nós nas escolas bem conhecemos, está a dar cabo da nossa vida pessoal.
    E viva a sesta, ou qualquer outra coisa que mostre que não somos máquinas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Papoila
    No desporto, devia ser obrigatório, até para os alunos. Deve ser mais saudável dormir a sesta do que fazer ginástica durante a digestão.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Maria Teresa
    Vamos pôr a rapaziada a dormir? Talvez dê resultado.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Natália
    Pois, eu estava a brincar, claro. No nosso caso, a avaliação de desempenho é que está a criar a tal síndrome do trabalhador excelente, que nos está a arrasar a todos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Pois só por isso é que eu gostaria de ser espanhola. Aquela horinha da sesta é sagrada e eu tudo faria para não entrar em pecado (eheheh!)
    Por mim, estou perfeitamente de acordo e posso comprovar que, nem que seja apenas por 30 minutos, as coisas correm logo melhor.
    Ai se eu mandasse...!
    Bjs e as melhoras
    Romicas

    ResponderEliminar
  12. Romicas
    Só vejo um problema: será que a qualidade da sesta iria entrar na avaliação de desempenho? Por exemplo, se ressonares já não podes ter excelente, etc.

    ResponderEliminar
  13. Há uns tempos também fiz a apologia da sesta lá no meu Rochedo. Por razões um pouco diversas, mais ligadas ao nosso ritmo biológico, mas não deixo de concordar com o que escreve. Os povos que dormem a sesta são mais felizes e eu, que tenho possibilidade de fazer a sesta quase sempre que me apetece, sinto que sou mais produtivo quando durmo 20 minutos a meia hora a seguir ao almoço.
    Sabe que foi apresentada uma petição na AR pedindo o direito à sesta? E sabe quem foi o primeiro subscritor? ( Não, não fui eu...)

    ResponderEliminar
  14. Se é verdade que o tema da sesta parece uma realidade bem afastada do panorama nacional, a verdade é que, desde 2003, existe em Portugal a Associação Portuguesa dos Amigos da Sesta, que teve a sua 1ª Conferência Nacional no passado dia 1, em Portalegre.
    Não são novas, aliás, as vozes que proclamam bem alto os inúmeros benefícios de uma sesta bem dormida: aumento da produtividade, diminuição dos acidentes de trabalho, maior predisposição para a aprendizagem (pasme-se!), melhor saúde e bem-estar...
    Se há prazer que recordo com emoção é o de ouvir o pipilar dos pássaros sob a minha janela, enquanto o sol teima em entrar pelas frinchas dos estores e os meus olhos soçobram em celebração da ronceirice dos dias...
    Apesar da avaliação de desempenho, ainda me vou esforçando por conseguir uma "aberta". Será que vou ser penalizada pelo meu Director, que até aparece na televisão a citar Exupéry? Por mim, arrisco! ;-)

    ResponderEliminar
  15. Ah, esqueci-me de dizer uma coisa importantíssima: depois de ver a fotografia do leopardo, até comecei a sentir uma certa simpatia pela espécie, eu que sempre defendi a causa das gazelas...

    ResponderEliminar
  16. Ola!
    Como é bom rever os amigos e matar a saudade..
    Não há nada que pague este momento..
    Agradeço carinhosamente o seu carinho em me visitar. Hoje vou conseguir postar e visitar os meus amigos. Estou com muita saudades.
    Só terei os finais de semana para fazer isso. Mas prometo sempre estar por aqui..
    Amo vc. Amo a sua companhia.
    Meus blogs amam a sua presença. Fico muito feliz por que vem.. Deixá sempre comigo, o seu amor e carinho Planta flores e semeia carinho.
    Muito obrigada. VERDADEIROS AMIGOS..CONQUISTAMOS..AMAMOS..LEMBRAMOS E SENTIMOS SAUDADES!!!
    Carinhosamente,
    Sandra

    ResponderEliminar
  17. Ah a Sesta... eu gozo desse privilégio! Todos os dias descanso um pouco com a minha pequerucha à tarde, a seguir ao almoço. Sabe tão bem! Digo por experiência própria que deveria ser implantada no regime laboral em Portugal. Em Espanha dorme-se a sesta e olhem para eles, são um povo cheio de genica.

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  18. Subscrevo!
    Além de tudo o mais conheço funcionários perfeitos que foram para a prateleira e acabaram por se aposentar por pressões psicológicas e outros que foram para o desemprego porque na hora de reduzir pessoal quem se trama é quem não é amigo do filho do patrão ou não é filho de um amigo do patrão...
    Venha a sesta!

    Abraço

    ResponderEliminar
  19. Carlos
    Não sabia que já tinha sido apresentada uma petição nesse sentido, nem sei quem foi o primeiro subscritor, mas arrisco um nome: Mário Soares?
    Bjs

    ResponderEliminar
  20. We
    Ora vejam o que eu aprendo por aqui: não sabia que havia essa Associação, mas acho muito bem.
    Agora, quanto à relação sesta/avaliação de desempenho, não estou muito certa da compreensão dos nossos Directores. Mas podemos sempre fazer a experiência: eu gostava de ver a Sala de Professores cheia de sacos-cama com professores adormecidos, enquanto os alunos gritavam lá fora!
    Bjs
    (eu gosto muito de felinos, especialmente quando estão adormecidos)

    ResponderEliminar
  21. Sandra
    É sempre bom rever os verdadeiros amigos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  22. Helga
    Tens razão: os espanhóis dormem a sesta e têm genica até às tantas da noite. E cá também está muito calor depois de almoço, tu que o digas que és alentejana!
    Bjs

    ResponderEliminar
  23. Rosa dos Ventos
    Também subscrevo tudo o que dizes, assim estão as coisas por cá.
    Por isso, que venha a sesta e sejamos felizes.
    Bjs

    ResponderEliminar
  24. Teresa

    Não sei se a ideia vigará, no nosso país. Mas que é boa, lá isso é. Quem sabe, não estará aí o segredo, para virarmos uma verdadeira e forte economia com pessoas felizes dentro?

    Um beijinho e aproveita o sol....

    ResponderEliminar
  25. Teresa,

    A sesta, de fato, relaxa e tem reflexos positivos na produtividade. Eu sou exemplo disso; quando posso, dou uma cochilada depois do almoço e me sinto bem mais disposto para trabalhar.

    Aí em Portugal existe a síndrome do funcionário perfeito, não é? Aqui no Brasil, grande parte dos funcionário laboram por que não têm alterenativa. Aqui é o País do Carnaval, de tal forma que existe o ditado: "No Brasil, tudo começa depois do Carnaval". Sou brasileiro, mas isso me envergonha.

    Teresa, aproveito a oportunidade para dizer que meu blog hoje está comemorando uma data especial. Você está convidada para ir lá.

    Beijos e um ótimo final de semana.

    ResponderEliminar
  26. Teresa!

    Seu texto me lembrou Domenico de Masi e seu discurso sobre o ócio criativo, do qual sou defensor! Inclusive, ele classifica essas pessoas "viciadas em trabalho" como perigosas, pede para que nos afastemos delas...

    Sou de uma cidade do nordeste brasileiro, que apesar de ser capital, ainda sustenta ares provincianos e onde muitos dos chefes classificam seus funcionários pela produtividade de horas trabalhadas, algo herdado de um modelo de sociedade industrial que propunha a produção em série, a mão de obra produtiva como essencial...

    Mas isso vai mudar! Já se anuncia a chegada de um novo tipo de sociedade, a "pós-industrial", que lidará com as qualidades do funcionário e valorizará a sensibilidade, a flexibilidade, a criatividade etc como pontos fortes do trabalhador.

    Por fim, adoro uma sesta e realmente me faz muito bem!
    Um bom fim de semana.
    Jr.

    ResponderEliminar
  27. Olá, Teresa
    Pois eu fui, sou e serei (aliás tenho alguns posts sobre o assunto) a defensora nº 1 de "la siesta".
    Acontece que os Profs Drs do meu SPA desaconselham-na com todo o fervor, fazendo das tripas coração, buscando o apoio nos books das sociedades cientificas nas prestigiadas e reconhecidas para refutar as minhas teoriazecas.
    Portanto, deixei de fazer a minha sesta:((
    Bj
    Ana

    ResponderEliminar
  28. eu adoro sestas, sobretudo no Verão

    quando tudo derrete de calor!

    Nas empresas já não sei...conheço pessoas que estão em sesta permanente...

    um abraço

    Manuela

    ResponderEliminar
  29. Maria João
    Não sei se esta é a receita, mas gosto da ideia de uma economia com pessoas felizes dentro:)
    Bjs

    ResponderEliminar
  30. Valdeir
    Creio que nenhuma das soluçoes é boa, há que encontrar um equilíbrio entre a produtividade e a felicidade das pessoas, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  31. Junior
    Rezo para que você tenha razão, gostei muito da ideia do "ócio criativo". Sei que algumas empresas utilizam esse sistema para retirar o máximo proveito dos seus criativos. Esperemos pelo que o futuro nos trará.
    Bjs

    ResponderEliminar
  32. Ana
    A sério que eles desaconselham a sesta? Com que base científica? Tenta saber e depois explica-nos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  33. Manuela
    Sesta permanente também não convém, não é? Só aos bocadinhos :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  34. 1000% a favor :) Os investigadores de Berkeley é que a sabem toda! Para nós ganhavam já o Nobel por esta descoberta :) Tudo por um mundo mais produtivo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  35. Vagamundos
    O que nós estamos dispostos a suportar pelo aumento da produtividade, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  36. Olá Teresa

    Workaholics!

    Haverá pessoas que têm a sua vida confinada ao trabalho.

    A ideia de homo faber não corresponde a esse padrão.
    O homo faber pressupõe o homo ludicus.

    A sesta é excelente.
    Nas tarde de canícula, meia hora repara menso.
    Fiz essa experiencia o Verão passado.

    Especialistas do estudo do sono recomendam-na.
    Recomendam, ainda, que se durma mais.
    É um erro não seguir esse conselho.

    Bjs

    ResponderEliminar
  37. JPD
    Concordo, o exagero é que é prejudicial.
    E a sestinha ajuda imenso!
    Bjs

    ResponderEliminar