quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Pipocas!



Considero-me uma pessoa tolerante. Acho que cada um tem o direito de ter os seus gostos, os seus pequenos vícios, de procurar ser feliz à sua maneira, desde que não me incomode a mim nem à Humanidade. No entanto, há algumas coisas com as quais embirro solenemente. Uma delas, é comer pipocas no cinema.
É um hábito relativamente novo, que nós absorvemos com entusiasmo. Mas tem os seus contras. Por exemplo, a não ser que se vá à primeira sessão do dia, temos de entrar numa sala invariavelmente suja e caminhar sobre restos de pipocas. Não gosto. Mas há pior. Atrás de nós, senta-se sempre uma família carregada com três pacotes de pipocas, pelo menos. Não se limitam a comer, remexem nos pacotes como se tivessem esperança de encontrar um colar de pérolas, lá bem no fundo. O barulho é irritante, especialmente naqueles momentos do filme em que estamos todos concentrados no drama ou na acção que se desenrola lá à frente. Há sempre um "crrr, crrr" que nos desconcentra do que estamos a ver.
A Vodafone patrocina agora uns pequenos filmes apenas sonoros e avisa: "Feche os olhos e solte a sua imaginação!" Impossível! Entre os toques de telemóvel e o remexer das pipocas, quem é que consegue concentrar-se no que ouve?
Não parece possível, mas isto pode piorar se, por exemplo, alguém tiver deixado cair Coca-Cola no assento ou no apoio dos braços do nosso lugar. Fica tudo molhado, ou peganhento. Então, a irritação é tão grande que pode estragar a comédia mais hilariante.
Já houve um tempo em que não se podia comer nem beber dentro dos cinemas. Parece estranho, mas é verdade! Será que não podíamos voltar a esses tempos? A minha concentração nos filmes agradecia. E a luta contra a obesidade também!


30 comentários:

  1. Olá Teresa,
    Sob pena ou risco de ser trucidado, digo ainda mais ... realmente tens muita tolerância.
    Esta é mais uma das atitudes do, também tenho o direito de comer pipocas enquanto vejo um cinema, pensarão alguns, mas não têm o direito de me incomodar com os barulhos de mexer no pacote das ditas ou até mesmo os barulhos do "mastigar" as também ditas , tal como os "porcos" de 4 patas fazem quando chafurdam em busca de comida e a mastigar para comerem amis depressa.
    Não tê o direito de me incomodar.
    Chega de novidades e excesso de "liberdades".
    Sejam "EDUCADOS" e "PESSOAL E SOCIALMENTE".
    Cada vez mais temos nesta Sociedade umaq completa falta de noção dos nossos Direitos e também dos NOSSOS DEVERES.
    Tenho dito.
    Um beijo,

    ResponderEliminar
  2. Bem, ainda há quem embirre mais com as pipocas do que eu!
    Beijinho, FAires.

    ResponderEliminar
  3. Como eu te compreendo, Teresa!
    Sempre, mas sempre detestei ouvir os barulhos de quem come no cinema ou no teatro. Além da porcaria que fica na sala, porque, quem para lá vai comer, não tem uma pontinha de civismo para pegar nos papéis ou nos pacotes ou nas latas, para as levar e deitar no lixo. Por vezes pergunto-me se, hoje em dia, as pessoas já não gostam de viver na limpeza, em lugares bonitos, coloridos... sem lixo. Como será a casa dessas pessoas?
    Mas há outra coisa que me irrita, embora seja "sujidade sonora": os jovens que vão para o cinema com os auscultadores nos ouvidos e que, além de não ouvirem o que se passa no filme (ouvir? muitos limitam-se a ler ou...a tentar juntar as sílabas enquanto vêem os bonecos), também não deixam ouvir quem está ao lado. Já me aconteceu ter de pedir a alguém que baixasse o som, para não me perturbar.
    Que se passa com esta gente?!?
    Um beijinho
    Romicas

    ResponderEliminar
  4. E já pegaste famílias comendo sacos de balas e abrindo o tempo todo , com aquele barulho dos papéis ?Acho aindapios do que as pipocas,rsrsr...beijos,chica

    ResponderEliminar
  5. Oi Teresa
    Pior ainda quando se vai a sessão infantil, as vezes vou com as netas, é o caos, tanto comem quanto bagunçam. Mas, sabe de uma coisa eu gosto do cheirinho da pipoca, comer nem pensar porque nao gosto em nenhum lugar . Convencionou-se associar a pipoca com o cinema, não sei que relaçao pode haver, deve ser desenvolver a prática tambérm em casa vendo TV.Difícil educar o povo, hem?
    um abraço e obrigada pelo elogio da fotinha do passado.

    ResponderEliminar
  6. Ahahaha!!
    Pois, Teresa, sinais dos tempos, não é?
    Mas fica descansada pq conheço alguém ainda mais intolerante do que tu!
    Uma dica: na rede de cinemas Medeia, acho que não há dessas coisas. E os filmes tb não têm intervalo.
    BJ

    ResponderEliminar
  7. Hum... sou franca Teresinha... pois sou... é que eu faço parte desse rol de gente que come pipocas nas salas de cinema. Como uma ou duas de cada vez, mas não chafurdo no balde, nem deixo a minha filha fazê-lo... No entanto, tenho a noção de que é incomodativo para os demais o som "do mastigar". Eu sei... é um vício. A última vez que fui ao cinema (asistir Sherlock Holmes)com uns amigos, optei por não comprar pipocas - até porque tinha acabado de jantar - e, acreditas que me senti "nua"... pareci que me faltava qualquer coisa. Eu sei... é terrível! :(

    Beijinho**

    ResponderEliminar
  8. Até tenho medo de dizer isto.... mas... mea culpa, eu como pipocas no cinema(e gosto...sorry!). Mas a Eva educada, tenta fazer um esforço para não incomodar os outros, que também não gosto de barulho e chafurdice... aliás, agora nos intervalos é mais fácil comer nos intervalos, mas mesmo a meio, levo um a um à boca e tento não fazer barulho!! Sei que é difícil e que é incomodativo (até a mim própria, que enquanto mastigo, não ouço!) :), e em teoria até estou inteiramente de acordo, mas sabem tão bem, :) desculpem qualquer coisinha.... Se houvesse legislação a proibir, até estaria de acordo, é como tudo... por realmente, concordo com o princípio, mas vou comendo (também é raríssimo ir a uma sala de cinema!!!) Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Pipocas, coca-cola e...atrasaaaaados!!!
    São um inferno!
    Milho torrado e refrigerante, moda importada dos States, muito in! Leio por aqui que é um vicio (Lala, então!?), e que se houvesse legislação a proibir até se concordaria (esta da necessidade da lei nos ensinar boas maneiras...desculpe, Eva, o desabafo, não leve a mal! :).
    Atrasados. Estão no Código Genético do povo que somos. Parece não haver nada a fazer!
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Rosa
    Essa dos auscultadores nunca me aconteceu, mas... tudo é possível. Só não percebo para que é que essas pessoas vão ao cinema!
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Chica, Lis
    Estou a ver que isto é um problema universal. E que piora com as sessões infantis. O que me faz pensar que a educação, aquela noção sem dúvida ultrapassada de que não devemos comportar-nos da mesma maneira em todo o lado, não tem grande futuro.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Ana
    Palmas para os cinemas Medeia. Só não gosto de não terem intervalo, gosto de levantar, desentorpecer as pernas, conversar um bocadinho... enfim, esquisitices!
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Lala, Eva
    Ok, meninas, ninguém é perfeito!
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Carlos
    Haveria que acrescentar o atraso, claro, mas esse não incomoda só nos cinemas, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Olha um exemplo,
    ... no cinema do centro comercial Alegro além da lixeira das pipocas, eu tinha quase sempre o brinde da cadeira com o pegajoso da coca-cola.
    Nunca mais!
    Solução: A cadeia de cinemas Medeia! Não há pipocas...

    Beijos, Teresa

    ResponderEliminar
  16. MagyMay
    Está visto, tenho de começar a ir aos cinemas Medeia!
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Pois é Teresa! São os vícios que se criam, são esses os vícios que vendem. Já imaginou nos euros que essas empresas ganham? A avaliar pelo custo do pacote da pipoca?
    Neste mundo (aparentemente desorientado e perdido), tudo vale! O respeito é coisa que poucos sabem o que é. Daí a minha tendência para me isolar a ver os filmes em casa (já fora do tempo de estreia mas em silêncio).
    Abraço

    ResponderEliminar
  18. Nocas
    É verdade, em casa vemos como nos apetece, mas... é diferente, gosto de ver o filme no escuro, em grande ecrã.
    É triste que tenhamos de deixar de fazer as coisas que gostamos porque há pessoas que não respeitam os espaços comuns. E acho que nem percebem que é falta de respeito comer e beber durante os filmes, porque é o próprio cinema que lhes proporciona isso. Porque dá mais dinheiro, claro!
    Bjs

    ResponderEliminar
  19. olá Teresa.
    Concordo consigo. Também detesto.
    No entanto, penso que a qualidade dos filmes decresceu e muito, donde as pipocas acentam bem.
    Quem não se lembra do cinema " Minas", e ver os filmes do Igmar Berman. Havia lá tempo para pipocas.
    Depois, também conordo consigo, um intervalo a meio do filme é essencial, não só para desentorpeceder as pernas, mas sobretudo para sentir o ambiente.... e debatermos um pouco da primeira parte do filme.
    Bj

    ResponderEliminar
  20. Maré Alta
    Estamos de acordo em quase tudo, só num aspecto não: a qualidade dos filmes. Continua a haver filmes excelentes, ao lado de verdadeiras porcarias. Cabe-nos a nós fazer essa destrinça.
    Bjs

    ResponderEliminar
  21. O cinema não é " Minas", um engano na escrita mas sim " Nimas".
    Depois também havia o Quarteto.
    Isso sim, era ir ao cinema e ver um filme.
    Agora, não sei bem o que é...
    Desde da barulheira, às pipocas e coca cola.
    Bj

    ResponderEliminar
  22. Bem...e então pipocas e outras coisas desse género..

    Se fosse só rebuçados de Santo Honofre
    ou de alteia e mel, com noutros tempos...

    Bjs

    ResponderEliminar
  23. Teresa, minha amiga

    essa americanização de ir ao cinem, comer pipocas e beber coca-cola ou outro sumo irrita-me solenemente.
    Primeiro por causa, como bem descreveste, do barulho que se faz a comer as estaladiças pipocas e que nos desconcentra nos momentos mais fulcrais do filme. Depois porque alguns desses comedores de pipocas são adolescentes que se divertem a atirar não só pipocas uns aos outros,como a outros espectadores. Este episódio passou-se na minha última ida ao cinema. A segurança foi chamada e, por pouco, muito pouco, os jovens quase saíram. Teria sido muito bem feito para aprenderem a lição.
    Gosto de silêncio total para ouvir cada som, cada música, cada diálogo e estar atenta a cada momento da trama.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. Vieira Calado
    Só se os rebuçados fossem oferecidos, porque encontrar um rebuçado de alteia e mel pegado ao assento também não deve ser agradável! :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  25. Natália
    Subscrevo tudo o que dizes. E acho mesmo que as seguranças deviam ser mais rígidas em relação a quem incomoda, não respeitando os espaços públicos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  26. Nem gosto de pipocas sequer, tão pouco de Coca-Cola; isso só amplia a minha irritação por tais factos.

    ResponderEliminar
  27. Ainda hoje sentimos aquilo que aqui descreves no pelo. Em Lisboa ainda tinhamos o ultimo reduto anti pipocas que era os cinemas do Saldanha. Aqui é pipoca e cola por todo o lado... aos baldes. E ainda por cima sem legendas, dava jeito conseguirmos ouvir os dialogos, sem o nhac nhac dos papa pipocas :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  28. Isto é a globalização das pipocas!
    Bjs

    ResponderEliminar
  29. Eu gosto de pipocas no cinema, mas juro que não incomodo ninguém :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  30. Paula
    Já percebi que as pipocas constituem uma questão fracturante da nossa sociedade.
    Bjs

    ResponderEliminar