domingo, 24 de maio de 2009

Pontes

Gosto de pontes!
Altas e arrojadas, ou baixas, sólidas e fiáveis, são sempre momentos de mudança, pontos de passagem para outras margens...
Às vezes, limitamo-nos a olhá-las de longe, sem nunca iniciarmos a travessia.
Às vezes, são miragens.
Às vezes, atravessamo-las e conquistamos a outra margem.

Hoje, Lisboa está envolta numa ligeira neblina e a Ponte Vasco da Gama parece dirigir-se para o infinito, ou para lugar nenhum.
E os homens que apanham mexilhão na imensa planura lamacenta que o estuário deixa a descoberto na maré baixa, parecem náufragos que regressam a terra firme.
Só as gaivotas parecem saber para onde vão.

3 comentários:

  1. Eu adoro a Ponte Vasco da Gama!
    Acho-a linda, elegante, presente, imensa...
    Nunca me canso de tirar fotos cada vez que a atravesso, sempre na tentativa de a fotografar num ângulo melhor do que o último.
    Bjokas

    Romicas

    ResponderEliminar
  2. Ponte... ponto de passagem, um meio de atingir a margem desejada. Assim são os sonhos... para os quais procuramos as pontes que nos permitem alcançar o que tanto desejamos no segredo da alma.
    Eu gosto de inventar pontes através das palavras que se erguem magnânimas num rio ondulante de fantasia, sorrisos e esperança.

    Adorei ver-te na blogosfera.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo, as palavras são as melhores pontes entre nós.
    Obrigada e beijinhos.

    ResponderEliminar