quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Lisboa, de regresso

Escrevia Carlos Carneiro nesse livro, que é uma autêntica injeção de leveza e boa disposição, chamado "Até onde vais com 1000 euros?": A melhor sensação de viagem é saber que temos sempre alguém à nossa espera. Eu acrescentaria: outra boa sensação de viagem é saber que temos um sítio à nossa espera, um sítio que nos pertence porque nós lhe pertencemos, um sítio que reconhecemos e onde nos reconhecemos.
Regressei, como muitas vezes acontece, de avião. Da minha raivinha aos aviões, e da ligeira claustrofobia que aí me ataca, já dei conta noutra crónica. Não vou voltar a falar disso. Mas apetece-me falar da emoção que toma conta de mim sempre que regresso e vejo, lá de cima, a minha cidade.
Lisboa padece de vários problemas, todos o sabemos. Mas quase o esquecemos quando olhamos, da janelinha do avião, e a vemos cá em baixo. Parece tão organizada, com os seus bairros e as suas ruas e avenidas convergindo para praças centrais! Lá de cima, não vemos lixo nem degradação. Vemos os monumentos, como pecinhas de Monopólio. Vemos o rio, as duas pontes, belíssimas, imponentes, o Cristo Rei. Enxergamos barquinhos iluminados sulcando o rio. 
Acima de tudo, reconhecemos os espaços que são nossos. O sítio onde vivemos tem o encanto do que é familiar. Cada rua, cada pedra, conta histórias que nós conhecemos. 
Gosto muito de viajar. Mas também gosto tanto de regressar! 




Um velho cacilheiro do Tejo (Foto de Teresa Ferreira)

20 comentários:

  1. Bem-vinda amiga

    Já partilhaste comigo que adoraste a viagem. De facto,é óptimo viajar e, tal como dizes, regressar à nossa cdade, à nossa casa, à nossa cama.
    Viajar é a melhor terapia para suportar o marasmo do dia-a-dia (na escola).

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Pois é, Teresa. É lindo ver Lisboa lá do alto, sem dúvida. No entanto, já muitas vezes dei por mim a pensar " se acontece alguma coisa na altura da aproximação do avião à pista... , lá se vai parte desta beleza". Pessimismo meu, tv.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Para já, seja bem regressada!
    Tão bom como viajar é o voltar, sem dúvida, por vezes até melhor! Mas viajar, sempre, Neruda lá sabia. :)
    Trabalhei anos fora do país. Com que avidez procurava, de três em três meses, o avião que me trazia de regresso! Depois lá ia e tornava, vendo do ar a paisagem que tão bem descreve.
    BJS
    --

    PS - Vejo ali, na banda lateral, os seus livros para 2010. Já li e reli Caim. Vou procurar Expiação, a ver o que dali sai.

    ResponderEliminar
  4. Não tenho como compreenderás, o mesmo sentimento que nutres por Lisboa, nem pelo Porto sequer já aqui ao pé. É curioso que os habitantes que moram nas terras vizinhas de Lisboa, sentem-se Lisboetas mas cá no Norte, isso não acontece, de todo. Sou de uma cidade a meros 30 Km do Porto, chego lá em 15 min, mas Deus me livre de alguém me vir dizer que sou do Porto, rrsss. Para concluir, sempre que regresso a Santo Tirso, especialmente sinto que estou em casa, sou eu que lhe pertenço(curioso como dizemos eu sou dali ou dacolá...mas depois em relação às nossas casas, dizemos que ela nos pertence, e não que lhes pertencemos):))Welcome back!!Bjo

    ResponderEliminar
  5. Querida Natália
    Podes crer, se não fosse uma escapadinha, de vez em quando, como é que nós aguentavamos a pressão da escola?
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Ana
    Ok, também não gosto nada de ver aquela aproximação à 2.ª circular, mas felizmente tem corrido tudo bem, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Olá, Carlos!
    Absolutamente de acordo, viajar sempre. E depois ter o prazer de voltar.
    Sobre os meus livros para 2010: sou um bocado caótica na leitura. Gostou de Caim? Eu, sinceramente, não fiquei entusiasmada. Expiação, vale MUITO a pena ler. Se o ler, diga-me o que achou desse livro.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Olá Eva
    Não sei o que sentem as outras pessoas que moram nos subúrbios mas... eu sou mesmo de Lisboa. Nasci na maternidade Alfredo da Costa, cresci entre a Penha de França e Benfica. Sou uma alfacinha de gema. E gosto muito de Lisboa. Apesar de...
    Quanto às casas, acho que dizemos que nos pertencem porque as mobilamos e arranjamos à nossa medida, enquanto as terras onde crescemos nos moldam e "arranjam" a nós.
    Já tinha saudades deste espaço de conversa :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Lisboa vista do ar é um encanto. Mas nós como lisboetas tb somos suspeitos :) O sentimento do regresso, depois de uma viagem, é sempre muito bom.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. AMIGA!
    VENHO LHE OFERECER UM LINDO SELINHO DAS MULHERES PODEROSAS. É O QUE TODAS NÓS SOMOS. GUERREIRAS, INTELIGENTES E FORTES.
    PASSE LÁ.
    ESPERO QUE GOSTE. A CURIOSA FICARÁ MUITO FELIZ SE VC. RECEBER.
    UM GRANDE ABRAÇO.
    COM MUITO CARINHO
    SANDRA

    ResponderEliminar
  11. mARAVILHOSOS LUGARES ESSES QUE TEMOS OPORTUNIDADE DE VER CONTIGO, PARTILHANDO TUAS ANDANÇAS.BEIJO E TUDO DE BOM,CHICA

    ResponderEliminar
  12. Viajar para sentir saudades de casa! Daí um bom motivo para se viajar!

    Aqui no Brasil corre uma piadinha sobre o Rio de Janeiro: O Rio de Janeiro continua lindo (referência à música) - mas só do alto!

    Ontem assisti um documentário sobre Lisboa, produzido por uma tv francesa e houve uma enquete em toda a Europa. Lisboa para os franceses é considerada a capital européia mais romântica. Não é um luxo?

    Boa semana! Beijus,

    ResponderEliminar
  13. Vagamundos,
    Claro que, como lisboetas, somos suspeitos! Ainda bem!
    Bjs


    Sandra, Chica
    Obrigada pelas palavras.
    Bjs


    Luma Rosa
    Qualquer motivo é bom para viajar, não é?
    Quanto a esse documentário sobre Lisboa, não conheço mas... uau! é de ficar orgulhoso! Aqui também corre uma piada, a propósito de Lisboa e do mau feitio dos lisboetas. Diz-se que Lisboa é tão bonita que até os lisboetas gostam dela!
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Olá Teresa.
    Sempre que viajo, adopto aquela ''máxima'' que diz...
    ''Há mar e mar... há ir e voltar!...!''
    O meu abraço
    António Resende

    ResponderEliminar
  15. António
    E, importante mesmo, é voltar bem e com vontade de voltar a partir!
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Por isso é que chega a afligir que Ícaro tenha tido a triste sorte de ver as suas asas derreterem. ficando privado de uma perspectiva equivalente à que relatas.

    Saudações

    ResponderEliminar
  17. O ser humano tem destas coisas!! Gosta de sentir, ver, e ter a sua "zona de conforto"!
    Bem-vinda de volta!!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  18. JPD
    Triste do Ícaro, de facto. Eu gosto tanto de olhar pela janelinha do avião! Fico danada quando me dão um lugar na asa!
    Bjs

    Lala
    É isso mesmo, boa expressão! É a nossa "zona de conforto". Ainda bem que a temos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  19. Para já, é bom ter-te de volta.
    Quanto a regressar, e embora goste sempre de ver Lisboa "lá de cima", custa-me sempre, pois isso implica, no meu caso, mais uma separação...
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  20. Ok, Pinguim, a tua situação é diferente.
    Bjs

    ResponderEliminar