segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Apontamento de Alcochete

Alcochete é a minha aldeia.
Talvez por ter nascido e crescido na cidade grande, sinto Alcochete como a minha aldeia. Dizem que é uma vila. Mas tem mentalidade de aldeia.
Também dizem que toda esta água que a rodeia é o estuário do rio Tejo, aqui na sua máxima extensão. Mas, para mim, é o mar de Alcochete, de largos horizontes.
Aqui, o rio namora descaradamente as casas, em cada esquina. E as gaivotas pousam no pátio da minha escola, a apanhar os pedacitos de pão que os miúdos deixam cair. De tanto olhar para elas, já sei distinguir as gaivotinhas que nasceram este ano, de penas escuras e bico cinzento, das gaivotas mais velhas, que já mudaram as penas e pintaram o bico de cor-de-laranja. Já sei distinguir as rolas-da-Índia, que voam misturadas com os pombos. Sei reconhecer as garças e os alfaiates, que debicam nas salinas, por entre os flamingos.
Sei tanta coisa que não sabia, antes de vir morar aqui! Estamos sempre a crescer por dentro!





 (Fotografia de FAires)

23 comentários:

  1. E estas coisas simples como, de um bico cor de laranja e umas penas escuras fazem por vezes, muitas vezes, o nosso coração grande, grande... que até "cresce" o encanto que se "vê" por fora!

    Um beijo e uma óptima semana, Teresa
    (bom regresso!)

    ResponderEliminar
  2. Teresa, tudo bem?

    Nunca ouvi falar deste lugar ai em Portugal. Vivendo e aprendendo.

    Boa semana

    ResponderEliminar
  3. Estamos sempre a crescer, claro... e ainda bem!! Nunca estive em Alcochete, por acaso. Eu adoro gaivotas...podia passar o dia inteiro a olhar para elas :)

    ResponderEliminar
  4. É bem verdade, Teresa. Alcochete mais parece uma aldeia, mas uma aldeia privilegiada. O rio Tejo a perder de vista como se fosse o mar, torna-a belíssima, encantadora e digna de ser visitada.
    Quantos conhecimentos novos adquiriste! Como dizes, "estamos sempre a crescer interiormente".

    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Que bom aprender vivendo num local assim!Lindo!beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  6. Magy May
    É verdade, às vezes bastam assim umas pequenas coisas para me pôr o coração mais leve. Ou maior.
    Tenho tendência a sentir-me mais encantada com as pequenas coisas da natureza do que com as pessoas. Porque será?
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Georgia
    Vou explicar onde fica aqui a minha aldeia. Se olhar para o mapa de Portugal, Lisboa fica na margem norte do rio Tejo. Do outro lado do rio, na margem sul, no ponto em que o estuário do rio é mais largo, fica Alcochete. É bonito e tem os espaços naturais preservados, devido à Reserva Natural do Estuário do Tejo. No entanto, fica a 20 minutos de Lisboa.
    Um verdadeiro privilégio!
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Eva
    Se vieres a Alcochete, ofereço-me como tua cicerone.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Natália, Romicas,
    Minhas amigas, vocês conhecem bem o local. Tem os seus problemas, mas a beleza natural faz-nos esquecer deles.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Chica
    É bom viver num sítio assim, sim, já aprender, não sei, os alunos não parecem nada entusiasmados com a aprendizagem!
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Oi,Teresa
    Na volta pra casa, o melhor presente: o livro chegou! obrigada, amiga . Inicio logo,logo a leitura.Me parece excelente, a leitura que gosto, anotações de viagens,olhar sobre as pessoas e os lugares.Já sei que vou amar!muito te agradeço e no final do ano trocamos de novo rsrs
    Adorei seu apontamento sobre Alcochete,já estou me familiariazando rsrs
    Teresa,pretendo ler seus posts anteriores assim que possa, nao posso perde-los.
    meus abraços e boa semana

    ResponderEliminar
  12. Lindo e belo lugar. Não conhecia este. Diferente.
    Agradeço o seu carinho e retribuo a sua amizade.
    Passe no blog da Curiosa e pegue acesso aos blogs Poetas um Voo Livre e Sinal de Liberdade.
    Tem selinho lá para vc.
    Te espero.
    São bem especiais.
    Com muito amor eu te espero lá.
    Sandra

    ResponderEliminar
  13. Olá Lis
    Que prazer encontrar-te por aqui, outra vez. Ainda bem que o livro chegou, já imaginava tudo o que poderia ter acontecido! Tenho a certeza que vais gostar, depois diz-me. Já li o livro que me enviaste (já está no sidebar!) e também gostei imenso, pelo texto e pelas belíssimas imagens.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Estás perfeitamente integrada no teu ambiente e és feliz.
    Nota-se.

    Saudações

    ResponderEliminar
  15. Uma Teresa em Alcochete:) , também eu por lá vivi .... e as luzinhas do outro lado do rio ?!

    beijo de uma Teresa que já fez de Alcochete a sua terra , para outra que desfruta de tão maravilhosa aldeia

    bj
    TEresa

    ResponderEliminar
  16. Teresa
    Tens razão, as luzinhas de Lisboa vistas deste lado são uma beleza.
    Como foste capaz de ir embora?
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. num texto dum livro de lingua portuguesa dum ano qualquer do meu 1º ciclo falava de Alcochete e das suas gaivotas, talvez por ter o mesmo prefixo que Alcobaça(minha cidade e terra de paixao, terras de cister e da maçã)nunca me esqueci da 'palavra'. Sempre que ouço ou leio a palavra 'Alcochete' transporta-me para aquele ano, para aquela sala de aula e quase que ainda sinto o cheiro dos livros e dos demais materiais escolares.
    felicidades

    ResponderEliminar
  18. Sininho
    A sério? Não me lembro desse texto, mas é uma sítio mesmo bonito, sim.
    Beijinhos e volta sempre.

    ResponderEliminar
  19. Pois é Teresa, uma aldeia. No que tem de bom e de menos bom. Sendo Montijense, tenho um amor muito especial por Alcochete. Será porquê?

    ResponderEliminar
  20. Ana
    Pois, porque será? Porque tens bom gosto? Porque lhe deste muito de ti
    Bjs

    ResponderEliminar