sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Carta de Condução

Não consigo explicar qual a razão pela qual ainda não coloquei aqui no blogue um poema de José Luis Peixoto. Creio que é um dos escritores e poetas mais interessantes e originais do panorama português actual. Gosto dele por muitas razões, todas especiais. Escolhi este poema. Podia ter escolhido outro. José Luis Peixoto tem o condão de nos tocar e emocionar em cada palavra.


Carta de Condução


Já tive um carro da cor dos teus olhos. Deixava-o
estacionado à frente de prostíbulos onde alugava
quartos com vista sobre o quintal dos vizinhos.


Esperava por semáforos, sem saber que esperava
apenas por ti. No auto-rádio, a tua voz cantava
fados demasiado velhos até para a minha mãe.


A segunda circular era uma manifestação pacífica
de pára-brisas, as palavras de ordem eram simples
porque ainda não sabia que já me tinhas escolhido.


Quando os outros rapazes folheavam revistas de
carros nas aulas de matemática, eu apenas me
interessava por unicórnios e farmácias abandonadas.


Agora, os meus olhos contam quilómetros nos teus,
procuro papéis entre os papéis do guarda-luvas e
tenho tanto medo que me vendas em segunda mão.


(José Luis Peixoto, Gaveta de Papéis, 2008)





13 comentários:

  1. não conhecia o poema, nem conheço nada de José luis peixoto, mas gostei, tem um toque de um certo não conformismo que me agrada bastante.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Muito belo o poema,de um poeta que quero conhecer mais.Abraços.

    ResponderEliminar
  3. Mel
    É obrigatório conhecer o José Luis Peixoto. Acho que vou postar aqui mais alguns poemas dele.
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Jamesp.
    Vale mesmo a pena conhecer este poeta.
    Obrigada pela visita. Volta sempre.

    ResponderEliminar
  5. :) Gosto muito do poeta de orgulhosos piercings ostentados na face :)
    Este poema acelera-me...
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Magnifico poema a fugir ao convencional, tal como o autor...

    ResponderEliminar
  7. Eva, Pinguim
    É verdade, até no aspecto o José Luis Peixoto foge ao convencional. E, na escrita, vai muito para lá das convenções.

    ResponderEliminar
  8. Sabes, certamente, que José Luís Peixoto é um escritor de Galveias, irmão de uma ex-colega da escola onde já deste aulas... Já foi uma ou duas vezes à minha escola e é, de facto, uma pessoa muito acessível aos alunos.

    ResponderEliminar
  9. Olá, Teresa!
    Não conhecia, de todo, José Luis Peixoto.
    O poema aqui posto foi, para mim, um prazer de leitura.
    A cada palavra dobrada encontrei uma rua do inesperado!
    Gostei desta Carta de Condução.
    Fico a aguardar por mais.
    BJS. Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  10. Carlos
    Vou ter muito prazer em colocar aqui mais alguns poemas deste jovem, que eu admiro muito.
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. muito bom, Teresa,
    eu tb gosto muito do que este SENHOR escreve.

    beijo


    ...e vou colocar mais poemas... :) acho que até lhe vou roubar este ;)

    ResponderEliminar
  12. Marta
    O que é bom, neste caso, é para roubar à vontade.
    Bjs

    ResponderEliminar