terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Dezembro, mês do Natal!

E pronto, chegou Dezembro!
Aproveitamos o feriado que comemora a nossa independência face a Espanha, para mergulhar no espírito natalício. As luzes já piscam nos centros comerciais há um mês, as ruas já têm também as suas iluminações de Natal. As músicas natalícias já se ouvem; são sempre as mesmas, mas isso até nos sabe bem, faz parte da época. Tudo está preparado para nos atrair para o essencial: as Compras de Natal!
Onde ficou o Natal da minha infância, simples e ingénuo, onde as prendinhas eram ainda oferecidas pelo Menino Jesus? De resto, onde ficou o próprio Menino Jesus, universalmente destronado pelo Pai Natal? Onde ficou a Missa do Galo, a Ceia sem exageros alimentares, a verdadeira alegria da partilha, que se contabiliza em amor e atenção, e não em tamanho ou preço de prendas?
Ao longo do mês, irão aparecendo umas campanhas de solidariedade. Vamos participar nelas com entusiasmo, para fingirmos que nos preocupamos verdadeiramente com os outros, os outros que nos são indiferentes durante o resto do ano. Assim, ficaremos de consciência tranquila para mergulharmos alegremente no mar de consumismo.
Esta imagem é duma loja no norte do país. Parece que até a cotação do Pai Natal está em queda!





21 comentários:

  1. Tomara que o espírito natalino chegue em todos os coraçoes com o valor de 100% ,não? e que a solidariedade seja autêntica!beijos
    ,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  2. Teresa

    As lentes dos seus óculos continuam cristalinas a ver o nosso mundo!
    Permite que assine, também, este texto?
    Nada mais comento para não o profanar.
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Pois é Amiga,

    perdeu-se o "espírito de Natal". A simplicidade e emoção de reunir a família à volta de uma mesa farta mas sem exageros! Receber um presente simples porém desejado umas horas depois...

    Este era o calor de todos com sabor a FELICIDADE na cidade ou na aldeia, onde crepitava uma fogueira no adro da igreja para jovens e menos jovens confraternizarem!

    E agora? Até o Menino Jesus, como bem disseste, foi substituído pelo Pai Natal, que nada tem a ver com as nossas tradições.

    Beijos pré-natalícios

    ResponderEliminar
  4. Natália
    Quando publiquei este post, pensei que ia ser trucidada pelos apologistas do Natal. Afinal, há mais pessoas como eu, nostálgicas do genuíno e simples.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Natália
    Quando publiquei este post, pensei que ia ser trucidada pelos apologistas do Natal. Afinal, parece que há mais gente como eu, nostálgica do genuíno e simples.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Carlos
    Venha daí essa assinatura.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Chica
    Tomara que a solidariedade seja autêntica, durante o ano todo, e não apenas durante alguns dias.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Confesso que adoro a quadra natalícia,deixo-me encantar com o espírito natalício mesmo se sinto que os que me rodeiam nem o compreendem no seu verdadeiro sentido. Mas compreendo-te perfeitamente! Conheço quem ainda vá à missa do galo e festeje sem grande opulência ou consumismo exageradoalgum. Também conheço quem o passe na rua,a apoiar os sem-abrigo... conheço quem festeje há anos completamente só, por opção... há de tudo...Penso que o Natal é aquilo que cada um quiser que seja... faz do teu Natal, aquilo que queres que ele seja...simples e genuíno :)ou quem sabe...festeja-o quando quiseres, afinal ele é ou não quando uma mulher quiser?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Eu acho que o espírito do Natal perde-se logo quando, em Setembro, já se começa a ouvir palavras sobre a época natalícia. Referente a lojas e produtos, claro. Por isso, quando, finalmente, Dezembro chega, já estamos tão fartos de ouvir falar dos descontos, das hipermercados, dos presentes... que começo, mesmo sem dar conta, a fechar a mente a tudo o que diz respeito a esta época. Sinto-me "obrigada" a fazer compras, como se de nada mais se tratasse.
    Enquanto os miúdos eram pequenos, vivemos o natal através da alegria deles. Agora... é mais um dia 24 do mês de Dezembro.
    Que saudades do tempo em que eu era miúda e ainda pensava que era o Menino Jesus que colocava os presentinhos no sapato, enquanto iamos à Missa do Galo...
    Bjs
    Romicas

    ResponderEliminar
  10. Em casa dos meus pais montava-se o presépio e não se armava a árvore de Natal; agora, aqui em casa, é o contrário: o sobrinho mais novo tem oito anos, todas as prerrogativas para -- Já não acreitano no Pai Natal -- fazer a leitura e a entrega das prendas aos respectivos prendados.
    Uma festa.
    Uma noite especial.

    Gosto do Natal.

    Esforço-me por fazer a compra das prendas o mais cedo possível. O bulício dos Centros Comercais aborrece-me. A tempo e horas a escolha do que se compra é menos temerária e mais segura.

    Saudações.

    ResponderEliminar
  11. Rosa
    Eu acho que é isso mesmo, overdose comercial. Começamos a ficar saturados ainda antes de chegar Dezembro. Há quanto tempo a nova Popota nos massacra os ouvidos?
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Eva, é isso, acho que pode haver muitas formas de festejar o Natal, algumas mais genuínas do que outras, ou que me agradam mais...
    O problema é que temos tantos constrangimentos, que não podemos escolher livremente como queremos que seja o nosso Natal.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. JPD
    É isso, é uma noite de festa, uma noite especial.
    Mas confesso que o consumismo e as obrigações da época me complicam com o sistema nervoso.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Teresa
    Em mim há sempre melancolia nas noites de Natal, nas músicas ouvidas insistentemente , na corrida desenfreada pra presentear , mesmo que isso possa causar problemas no ano que inicia.Mas, lá no fundo há também lembranças boas de Natais da infância , do coral de cânticos de louvor que cantava na igreja, vestíamos uma roupa branca ,longa e ficavámos serenas e compenetradas , tudo era muito lindo e angelical, esse sentimento do nascimento de Jesus nascia assim pra mim.
    Depois vi que o mundo festejava de outro modo e cada dia mais se perde a esssência primeira.
    Gostei do seu texto,Teresa , verdadeiro e com o tom melancólico que as vezes ,provoca.
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  15. Lis
    Confesso que às vezes me ataca a melancolia de outro tempo, ou melhor, de outra forma de fazer as coisas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Olá,
    Sobre este assunto não há dúvida que o "consumo" realmente tomou conta do Natal. Mas também tomou conta da Páscoa, do dia das Bruxas, eu sei lá do quê mais.
    O Pai Natal como sabes foi uma "invenção" da Coca-Cola (passe a publicidade).Ganhou fama.
    Para mim o Natal é uma época muito especial. Gosto do Natal. Gosto de passar o Natal em casa junto à lareira em família. Não tem sido possível. Mas é como gosto de passar o Natal.
    O Natal é para cad um de nós uma época diferente.
    Talvez este ano seja possível passar o Natal mais em família, pelo menos a consoada e noite de Natal.
    Um beijo,

    ResponderEliminar
  17. Olá F. Anónimo
    Realmente, é verdade: falamos do Natal, mas o consumismo tomou conta de todas as festas existentes e ainda inventou outras.
    Bjs

    ResponderEliminar
  18. Os mercados financeiros estão tão maus que até a cotação do Pai Natal está a sofrer um crash! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Pois é, Vagamundos, vamos fingir que o problema é da economia mundial!
    Bjs

    ResponderEliminar
  20. È tão bom quando alguém escreve o que sentimos,mesmo em cheio.Eu declarei guerra ao pai natal(e á coca-cola)já há muitos anos aqui em casa não existe nada que lembre esse senhor.Que saudades dos natais em que ainda tinha a minha avó e o natal era quentinho por dentro e por fora e desde que ela foi embora nada mais foi igual.Que neste natal o Menino Jesus tenha lugar nos nossos corações cheios às vezes de coisas sem importància.bjs Teresa

    ResponderEliminar
  21. Magda
    Que prazer tão grande encontrar-te aqui na minha sala de visitas! Estás muito tecnológica, amiga!
    E tens razão, claro: o que é importante é o que vai dentro dos nossos corações!
    Bjs grandes.

    ResponderEliminar