terça-feira, 15 de setembro de 2009

Portugal e o Mundo nos séculos XVI e XVII


Finalmente, no passado fim-de-semana, fui ver a exposição Portugal e o Mundo nos séculos XVI e XVII, que se encontra no Museu de Arte Antiga. Já me tinham dito que estava excelente. Mesmo assim, fiquei extasiada com a beleza e o significado das peças em exposição.
A exposição olha para as notáveis viagens de exploração portuguesas, mas não do ponto de vista da expansão territorial; antes evidencia o intercâmbio comercial e cultural que essas viagens proporcionaram. Começamos pela cartografia, como a Terra era concebida antes e depois das viagens portuguesas. Passamos depois às secções dedicadas a África, depois ao Oceano Índico, até à China e ao Japão, para terminar no Brasil. Maravilhamo-nos com a Câmara das Maravilhas, apercebemo-nos do fascínio provocado pelos produtos exóticos e admiramo-nos com a admiração desses povos longínquos pelos conhecimentos que os portugueses levavam consigo.
São cerca de 200 peças, provenientes de colecções privadas e públicas internacionais, acrescidas de alguns dos nossos Tesouros Nacionais, como a Custódia de Belém e os Biombos Nambam. Em conjunto, seguem as rotas traçadas pelos portugueses no seu movimento pioneiro de globalização.
Esta exposição foi organizada inicialmente pela Smithsonian Institution, para uma exposição que decorreu em Washington, em 2007. Viajou depois para Bruxelas, onde esteve patente ao público em 2008. Está agora em Lisboa, só até Outubro. E é absolutamente imprescindível visitá-la.
Não resisto a citar o texto do jornal New York Times, quando da abertura da exposição na cidade de Washington:

“ A little-known fact: A version of the Internet was invented in Portugal 500 years ago by a bunch of sailors with names like Pedro, Vasco and Bartolomeu. The technology was crude. Links were unstable. Response time was glacial. (A message sent on their network might take a year to land.)”

E esta, hem?


5 comentários:

  1. Gostei de saber.
    Vou tentar ir.
    A exposição é ainda mais interessante, por ser organizada pelo Smithsonian.
    Será que, finalmente, o mundo e os americanos em especial vão descobrir Portugal?

    ResponderEliminar
  2. Teresa, que interessante! O comentário do jornal, nem se fala. Adorei. Vou vivendo e aprendendo com meus queridos amigos. Um carinhoso beijo. Manoel.

    ResponderEliminar
  3. Tony
    Tente mesmo vir a Lisboa ver a exposição. Garanto que vale a viagem!

    ResponderEliminar
  4. Manoel
    Portugal e Brasil uniram-se na mesma globalização, há 500 anos. É bom que o mundo reflicta um pouco sobre a importância do mundo lusófono.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. TeresaQue belas escolhas!parabéns!
    vir aqui foi um grande prazer.
    Boas energias
    Mari

    ResponderEliminar