segunda-feira, 7 de setembro de 2009

As aguarelas de Hitler


Mais uma vez, no sábado passado, foram a leilão aguarelas pintadas por Adolf Hitler. Desta vez, foi na cidade alemã de Nuremberga e três aguarelas atingiram a soma de 42.000 €. Não surpreende, já é a segunda vez este Verão que lemos uma notícia idêntica e os valores envolvidos vão sempre aumentando. Pelas imagens que vi, penso que este sucesso não se deve à qualidade artística das pinturas, mas sim à notoriedade do "artista". Há até quem duvide da autenticidade das obras. Enfim, a discussão à volta das pinturas cresce e o seu valor no mercado também!

Imagem retirada de blogdomrcondes.blogspot.com

Hitler terá afirmado que, durante os cinco anos anteriores à Primeira Guerra Mundial, pintou mais de mil aguarelas, desenhos e cartazes. Deambulou por Viena, vivendo da venda de alguns trabalhos e do seu sonho de ser artista. Em 1907 e 1908, candidatou-se ao concurso de entrada na prestigiada Escola de Belas-Artes de Viena. Duas vezes recusado, acaba por desistir do sonho e entrar no exército, com as consequências que são de todos conhecidas. Fica a pergunta: o que poderia ter acontecido se Hitler tivesse sido aceite na escola de Belas-Artes? Como teria sido o século XX?

7 comentários:

  1. Olá Teresa,

    Mais uma interessante reflexão sobre uma das personalidades do século XX que mais mal fez ao ser humano e que continua a ter seguidores, hoje, em pleno século XXI.
    Se tivesse entrado para Belas Artes acredito que teria sido um homem mais sensível e mais humano. Quero acreditar que sim!

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Pois é, Natália, faz-nos pensar nas consequências dos pequenos actos, nas teias de acontecimentos que se vão desenrolando, numa cadeia imparável de causas e consequências.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Não consigo imaginar o que seria o mundo sem Hitler. Só tenho uma certeza: seria melhor.
    O Hitler artista parece que era ainda pior que o Hitler-ditador; se é que isso é possível.
    Há poucas figuras históricas que eu odeio. Hitler é uma excepção; como Estaline e Mussolini. E Salazar também; não me venham dizer que é diferente...
    a propósito: como seria uma pintura de Salazar? Teria uma paisagem campestre com moçoilas roliças, de carnes abundantes e faces rosadas, assim tipo a Maria de Lurdes Rodrigues?

    ResponderEliminar
  4. Manel, és terrivel!
    Imaginar a Milú nos sonhos campestres de Salazar é uma pérola!
    Mas tens razão, eu também embirro com ditadores, de esquerda, direita ou qualquer outro quadrante.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Uma curiosidade, realmente. Certamente ter-se-ia realizado pelo lado positivo.

    Quiçá não terá sido uma rebeldia interior que transbordou na tragédia que tão bem conhecemos?!

    Já agora deixa-me dizer que adorei o comentário do Manuel no que diz respeito à nossa Miluzinha! Eheheheh...


    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. Sem dúvida, um bom destino para a nossa Milú, agora que se aproxima o dia do adeus (estou a fazer figas atrás das costas!)
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Que curioso saber que que alguém tão disprovido de alma tenha sensibilidade e habilidade para pinturas! Não acredito que sejam dele e caso seja verdade, ser aceito acredito eu, não iria mudar em nada. Um homem tão cruel e desumano como ele foi, não conseguiria guardar tanta maldade e fúria dentro de si.
    Amei tua linda visita, obrigada !
    Beijos e tenha uma noite muito iluminada...

    ResponderEliminar