sexta-feira, 14 de junho de 2013

O Zé dos Cornos

 (O Beco dos Surradores)

O Beco dos Surradores é uma rua estreita e típica de um dos bairros mais típicos de Lisboa: a Mouraria. Mesmo no início do beco, fica esta tasca - porque é disso mesmo que se trata, uma tasca daquelas à moda antiga! 
Tem duas salas, uma ao nível da rua, outra na cave, mas são pequenas e quase entramos diretamente para cima das mesas. Estas, as mesas, são corridas, e nós sentamo-nos onde houver lugar. As conversas correm pelas mesas, como o pão, e erguem-se com a mesma descontração para quem anda ali a apontar os pedidos e a servir: "Ó Chico! Então o meu entrecosto?" O Zé e o filho, mais a patroa, que está na cozinha, apressam-se de um lado para o outro, e vão respondendo naquela pronúncia gingada, característica dos alfacinhas de gema! E, no fim da refeição, a conta é feita num pedaço de papel arrancado da toalha, com prova dos nove e tudo.
Aqui não há nouvelle cuisine, nem menu do chef: os pratos são portuguesíssimos! Mas o entrecosto, a entremeada, os carapaus fritos, o arroz de feijão, são de comer e chorar por mais! E não se pense que só ali entra o pessoal do bairro. A inclusão desta tasca na Rota dos Restaurantes e Tascas da Mouraria, trouxe turistas que não compreendem as conversas, mas apreciam o espaço com olhos curiosos e não ficam indiferentes ao calor humano.
Creio que é por causa de sítios como este que Lisboa está cada vez mais na moda como destino turístico. Ainda se encontram espaços assim, genuínos, não plastificados, que não são iguais a milhentos outros por essa Europa fora. 
E o nome? De onde vem afinal o Zé dos Cornos? Claramente, de um grande e retorcido par dos mesmos que, pendurado na parede logo em frente à porta, constitui quase a única decoração da sala principal! Não tive coragem foi de perguntar a origem daqueles cornos, ou ainda me arriscava a ouvir uma graçola brejeira, bem à moda da Mouraria!

(Os ditos cujos!)

9 comentários:

  1. É destes sítios que eu gosto.
    Aliás na Mouraria há muitas tascas deste tipo onde se come bem e barato.

    ResponderEliminar
  2. Miguel Ângelo Fernandes16 de junho de 2013 às 09:53

    Tudo o que saí da grelha do Zé Carvoeiro sabe a Lisboa e a Portugal... o bacalhau assado supera tudo... para as minhas papilas gustativas, pelo menos. Obrigado por nos lembrares.

    ResponderEliminar
  3. Também acho piada a esses locais típicos, onde se come tão bem e a conversa rola entre todos os comensais... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  4. Redescobri a Mouraria ano passado e é. hoje, um dos meus bairros de eleição. Claro que já estive no Zé dos Cornos e comi muito bem!

    ResponderEliminar
  5. De longe dos melhor sítios onde já comi em Lisboa, faz lembrar os típicos sabores, bom atendimento e simpatia do norte

    ResponderEliminar
  6. Eu e a minha mulher de férias em Lisboa o ano passado descobrimos por acaso esta tasca e o que me fez logo entrar foi o azulejo ou chapa alusiva á rota das tascas da mouraria que tem á porta.
    Comemos bem e servidos com a simpatia das pessoas á boa moda Portuguesa e Lisboeta. Foi de tal modo que hoje tivemos de ir a Lisboa e eu disse logo :
    --Vamos almoçar aquela tasca e só hoje fiquei a saber o nome da mesma
    Chegando a Faro fui ver á net o que era a rota das tascas da mouraria e só aí fiquei a saber da fama da tasca do ZÉ dos CORNOS
    Voltarei sempre que puder e recomendarei ao meu amigos
    É o que se pode dizer a um turista is very tipical

    ResponderEliminar