terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Os bonecos da Rua Sésamo

Ontem, ao fazer um zapping pelos canais televisivos, deparei com uma edição comemorativa da Rua Sésamo. Fiquei pregada à televisão, com um sorriso nostálgico e uma saudade enorme a apertar-me o coração. Os meus filhos cresceram com a Rua Sésamo. Todos os dias vibravam com as aventuras do Egas e do Becas, da Tita e do Monstro das Bolachas, do Poupas e do Conde de Kontarrr... O meu filho aprendeu a ler com a Rua Sésamo. A minha filha cresceu a cantar com a Tita. Havia sempre histórias novas, sem grandes dramatismos, mas que retratavam o quotidiano infantil e as pequenas vitórias, mas também os dramas e os medos, que povoam o dia-a-dia e o imaginário das crianças. Pegavam nos seus pequenos problemas, que podiam ir de uma ida ao médico até ao apertar dos atacadores, e tratavam-nos com graça, leveza e eficácia.
O que vêem hoje as crianças? Será que a Hanna Montana ou os desenhos animados japoneses conseguem igualar a Rua Sésamo em ingenuidade e graça? Tenho as minhas dúvidas. E tenho pena. Não sabem o que perdem!


Egas e Becas tentam dormir numa noite de trovoada...

10 comentários:

  1. Eu adoraaaaaaava a Rua Sésamo!... Que saudades tão grandes...

    ResponderEliminar
  2. Curioso, lembro-me da série, mas não me lembro do meu filho a ver. Mas já via o Dragon Ball e delirava com aquilo, embora pessoalmente nunca tivesse achado graça nenhuma... Enfim, até em crianças pequenas os gostos e preferências são diferentes... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  3. Eu gostava tanto da Rua Sésamo como os meus filhos! :-))

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Pois é, saudades...

    Teresa, também me lembro do meu filho ver o Dragon Ball, mas já mais velhinho. "E não perca o próximo episódio, porque nós... também não!"

    ResponderEliminar
  5. Confesso que nunca tive pachorra para a R. Sésamo...e eles tb não. Agora o Dragon Ball, para os rapazes era sagrado!!

    ResponderEliminar
  6. Teresa, as coisas que nós ainda lembramos dos nossos filhos...
    Hoje em dia, tenho momento em que olho para a televisão e pergunto-me onde está a graça do que os nossos jovenzinhos vêem. Aí, abano a cabeça para colocar os pensamentos em ordem, e concluo que são programas para jovens e não para mim.
    Nós víamos séries tão giras...
    Um beijinho
    Romicas

    ResponderEliminar
  7. Pois é, que saudades, como eram educativos e ternurentos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Curiosamente a Rua Sésamo diz-me pouco; porque já não é do meu tempo, e porque não tendo filhos, nunca o acompanhei posteriormente.
    Claro que me recordo de algumas figuras, e pouco mais...

    ResponderEliminar
  9. Lembro a Rua Sésamo com saudade, também.
    Fico feliz com o teu regresso Teresa, não tinha "dado por ele".

    Beijinho

    ResponderEliminar