sábado, 18 de agosto de 2012

Postal de Lisboa XXII - O renovado Largo do Intendente

(Loja da Fábrica Viúva Lamego, no Largo do Intendente)

Podia chamar-se António, Manuel ou Raimundo. Mas tinha de ser assim, simples, popular e bem português, o nome daquele homem que encontrei na esplanada "Das Joanas", no renovado Largo do Intendente. Tinha aquela idade indefinida de quem já se esqueceu há quanto tempo está reformado. Um ar simples e limpo, uma pronúncia de alfacinha de gema, nascido e criado nos bairros populares da cidade. Um discurso fluido, pontuado pelos apelos: "Ó Anabela, traz aí mais uma!", referindo-se à imperial que não lhe saía da mão. E um grande orgulho no seu bairro renovado.
Estávamos a comentar a recente passagem do Gabinete do Presidente da Câmara para o Largo, como um sinal da renovação e requalificação do espaço, quando o sr. Manuel (vamos chamar-lhe assim...) nos interpelou:
- Ele trabalha ali, entra-se por aquele portão ali em frente. Às vezes, vem aqui tomar um café, em mangas de camisa, é muito descontraído! Desculpem interromper-vos, mas não pude deixar de ouvir a conversa!
Assegurámos-lhe que não havia problema, até agradecíamos a informação. E o sr. Manuel continuou, embalado:
- Foi uma obra extraordinária, a que aqui fizeram! Isto estava tudo ao abandono, os prédios degradados, cheios de grafitis... Agora está tudo limpo e arranjado, como vêem. Dá gosto vir aqui à esplanada. Dantes, tinha de ficar em casa, a ver a televisão. Até tinha medo de sair à rua! E os concertos? Durante o mês de julho houve concertos no Largo. Esteve cá o Camané, o Pedro Jóia, os Xutos e Pontapés. Haviam de ver, havia gente até à Almirante Reis! Fizeram uma ópera, a "Bohème" de Puccini, mas adaptada aqui à Mouraria. Foi feita com pessoas daqui, vestidas como nós, a falarem à moda da Mouraria... foi extraordinário!

(O Largo de cara lavada)

Nós íamos interrompendo o sr. Manuel, mas só o suficiente para o incentivar a continuar.
- Anabela, mais uma! chamava o sr. Manuel, agitando o copo de cerveja. Isto agora está sempre cheio de gente a passear, especialmente turistas. Há uma rota das tasquinhas e restaurantes, com comidas portuguesas, indianas, cabo-verdianas e eu sei lá mais o quê! Sabores do mundo inteiro! Nalgumas tascas, há fado vadio. E é gente daí que trabalha nos restaurantes, e faz as visitas guiadas. Gente que andava por aí aos caídos, desempregados...
- E a vizinhança? Não incomoda? Não resisti a perguntar, olhando de soslaio para a rua de cima, onde ainda pontuam as prostitutas, os chulos, os toxicodependentes e outros desqualificados da sociedade.
- Não! esclareceu o sr. Manuel. Nem vêm para este lado, parece que se envergonham. E, mesmo ali, a Polícia obriga-os a fechar os bares mais cedo, já não há tanta confusão! Agora, pode-se andar à vontade no Intendente e na Mouraria!
Deixámos o sr. Manuel, com as suas tardes na esplanada d'As Joanas, e o seu olhar cheio de orgulho pelo seu bairro da cara lavada.
E saímos dali com vontade de regressar. 
Parece que há jazz no Largo, em setembro!...

(O símbolo da Rota das Tascas da Mouraria)

Fotografias de Teresa Diniz

15 comentários:

  1. Teresa, em tempos idos sei que essa zona carecia de má fama por causa da droga e prostituição. Essas acções de limpeza, dando um novo rosto às fachadas, são um excelente incentivo até para mim, que já não vou para os lados da Mouraria há imenso tempo. Considero isto um excelente convite para redescobrir um novo espaço. :))
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um convite, mesmo. A Rota das Tasquinhas está à espera.

      Eliminar
  2. Que curiosa coincidência: andava aqui a ver na net a programação de jazz em Lisboa e surgiu uma tal apresentação aí no Largo do Intendente. Não fixei em que dia, mas estranhei o local, onde já não passo há muitos anos. Nem fazia tensão de passar, pelos motivos acima apontados, como é óbvio!

    Mas gostei de saber dessa renovação e entendi que o que pretendem é dinamizar um bairro até há bem pouco tempo muito degradado!

    Também é bom receber boas notícias! :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ando sempre à procura delas (das boas notícias)! Ainda nos encontramos lá no Largo, nas noites de jazz...
      Bjs

      Eliminar
  3. Quero ver se passo pelo Intendente amanhã!
    Vamos a ver se encontro o Sr. Manuel...:-))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se o encontrares, paga-lhe uma imperial, da minha parte... :)
      Bjs

      Eliminar
  4. Há dias quando vi a reportagem na TV fiquei feliz pelas mudanças operadas. Em Setembro (ou antes ainda) quero dar aí um saltinho, fiquei com inveja...
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sejas invejoso, e vai lá beber uma cervejinha...

      Eliminar
  5. Gostei do sr. Manuel, gosto de pessoas contentes com a vida.
    Bom post!

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também! Mal de nós se só virmos o lado negativo da vida!
      :)

      Eliminar
  6. Gostei de saber da renovação do Largo. Oxalá assim se mantenha sempre!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Ainda há pouco comentava com uma amiga, com quem fiz hoje uma incursão pela Mouraria, que Lisboa está cada vez mais bonita. Desde que vim de férias que tenho andado a redescobrir Lisboa e tenho tido excelentes sensações.
    Na sexta-feira à noite Lisboa estava tão movimentada e eram tantos os estrangeiros e a animação nas esplanadas, que me senti numa cidade europeia :-)))
    Já tinha lido qualquer coisa sobre essa esplanada, mas ainda não fui lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos, talvez eu seja suspeita, mas concordo plenamente consigo. Lisboa sempre foi uma cidade bonita, mas agora está mais animada, mais cosmopolita. Com muitos espaços onde dá gosto estar. Onde apetece viver.

      Eliminar
  8. Por lá passei mas não o encontrei!
    Talvez ganhe fôlego para falar do meu passeio de ontem por Lisboa que é uma bela cidade!

    Abraço

    ResponderEliminar