sexta-feira, 26 de julho de 2013

Dos Livros

(Kansas City Public Library, Missouri - fotografia do Google)

Desde sempre associei o verão aos livros e às leituras. Não sei bem porquê. Talvez porque no verão, nas férias, tenho mais tempo para ler. Ou talvez porque estar debaixo de um chapéu de sol, com uma brisa agradável e uma bebida fresca, acompanhada por um bom livro, é um dos meus ideais de bem estar! Seja como for, dei por mim a pensar em livros. E lembrei-me daquela magnífica biblioteca pública, em Kansas City, cuja fachada é composta por lombadas de livros, agrupados como numa gigantesca prateleira, enormes, poderosos! 
Isto de estar de férias é assim mesmo! Temos tempo e disponibilidade mental para pensar no que nos apetecer! E fiquei a pensar, para comigo, que livros escolheria se me fosse dada a possibilidade de organizar uma fachada assim, para uma biblioteca, uma feira do livro, ou qualquer outro sítio dirigido aos amantes da leitura.
O primeiro de que me lembrei foi o D. Quixote. Confesso aqui que tenho um fraquinho por aquele cavaleiro de Triste Figura, em luta contra moinhos de vento e gigantes que só ele vê, o campeão das causas romanescas e perdidas. Diz Cervantes que ele perdeu o juízo por pouco dormir e muito ler. Pareceu-me que merecia um lugar de honra na minha fachada!
Não podiam faltar os grandes cultivadores da língua portuguesa. Dois ou três livros de António Lobo Antunes, que amei e me doeram até hoje. Um de Saramago, talvez As Intermitências da Morte. Mais alguns exemplos, de escolha difícil, Teolinda Gersão, Hélia Correia, Vergílio Ferreira.
Aqui incluo também os que reinventam a língua portuguesa noutros locais da lusofonia, Mia Couto, Pepetela. E poesia, muita poesia, porque a poesia faz bam à alma!
Não podiam faltar os autores brasileiros que acompanharam a minha adolescência, Erico Veríssimo e Olhai os Lírios do Campo, Jorge Amado e a sua Gabriela, Cravo e Canela
E os livros que falam do amor pelos livros, também têm de lá figurar: A Sombra do Vento, de Zafón, e Firmin, de Sam Savage, por exemplo.
Acho que não ía resistir e incluía uns livros dos Cinco, e um romance policial de Agatha Christie! 
E, evidentemente, bem no centro, O Principezinho, o livro que nos ensina a olhar o mundo com os olhos do coração!
Bem, a minha escolha parece que já dava para uma fachada bem grande! Mas gostava que me ajudassem e dessem sugestões. Quais seriam as vossas escolhas para figurarem na prateleira especial dos livros da nossa vida?

11 comentários:

  1. Sabes que nunca tinha visto essa Biblioteca?!? Oh ignorância!!!
    Também associo o verão a grandes tardes de leitura na hora de maior calor!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é ignorância, é impossível nós conhecermos tudo o que há por aí! Mas é fantástica, não é?
      Bjs

      Eliminar
  2. Miguel Ângelo Fernandes26 de julho de 2013 às 22:35

    Desculpe a frivolidade, mas o que eu levaria sempre comigo, nem que me mandassem para a Carregueira, para ler e por isso digno de figurar nessa prateleira.... a série completa das desventuras de Henry Wilt, de Tom Sharpe... aliás já aqui enaltecido...

    ResponderEliminar
  3. Nem é tarde, nem é cedo! Vai ser na próxima semana que, finalmente, vou cumprir uma promessa que fiz à Teté, há muito tempo, de escolher os 50 livros da minha vida. Não é tarefa fácil. Cada vez que me ponho a elaborar uma lista, surgem novos livros e outros que tinha na lista anterior, não me parecem assim tão importantes. Provavelmente vou começar a publicar um por dia e, no final, logo se vê. Provavelmente será no CR, porque no On the rocks já há música e noites românticas.
    Bom fds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Carlos, é uma escolha muito difícil! Depois de publicar o post, já me lembrei de 4 ou 5 falhas imperdoáveis! Mas resolvi não alterar...
      Fico então à espera :)

      Eliminar
  4. Se já é difícil escolher os 50 top +, só 5 ou 10 ainda é mais. Mas Murakami figuraria de certeza (talvez com a trilogia ou "A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol"), "O Meu Pé de Laranja Lima!" também e "1984" sem dúvida! :)

    Beijocas e boas leituras de verão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que é difícil escolher. Entre o blog e o facebook já recebi tantas propostas diferentes! E conordo com quase todas! :)
      Bjs

      Eliminar
  5. Alguns já foram mencionados, acrescentaria Gonçalo M. Tavares, Torga, Aquilino, dependendo do tamanho da estante.
    :)

    ResponderEliminar
  6. Já conhecia esta fachada da biblioteca de Kansas City, e que é fantástica.
    Sobre a minha escolha de livros, um é idêntico aos teus gostos - Le Petit Prince; depois estaria decerto As Memórias de Adriano, As Canções, do António Botto, poesia de Sophia, Eugénio de Andrade e Florbela, Sinais de Fogo, do Sena, e livros do Gore Vidal, do Camus, do Valter Hugo Mãe, eu sei lá, tantos...

    ResponderEliminar