sexta-feira, 5 de julho de 2013

A carreira de mãe

Ser mãe é uma carreira. Longa e exigente. Uma daquelas funções com isenção de horário, que exige dedicação total, mesmo que a remuneração não seja grande.
Não é uniforme, tem escalões, e nós lá vamos subindo na carreira conforme podemos. No início, quando entramos em funções, somos como um trabalhador inexperiente, inseguro. Temos medo de fazer alguma coisa mal, lemos tudo sobre o nosso trabalho, nem dormimos com medo que alguma coisa dê para o torto!
Depois, vamos adquirindo prática e tudo se torna mais fácil. Definem-se procedimentos. Estabelecem-se rotinas. A pouco e pouco, começamos a delegar tarefas, e descobrimos que, de simples trabalhadoras indiferenciadas, passámos a chefes de divisão. Damos orientações, mantemos o rumo. Quando é necessário, fazemos uma admoestação. Sempre que podemos, distribuimos elogios.
Quando damos por nós, somos uma espécie de CEO da empresa. Já tudo funciona independentemente de nós. A empresa cresceu, os funcionários seguiram o seu caminho, e trouxeram mais-valias que nós nem tinhamos imaginado. Mas não se esquecem que fomos nós que lhes demos o impulso para crescer! Quando há uma festa, fazem questão que estejamos presentes. E, se há um problema, é para nós que se voltam, em busca de conselho, de experiência, de colinho! E nós damos o ombro, claro, de braços abertos e sorriso rasgado. Às vezes, com uma lagrimazita ao canto dos olhos!
Porque aqui não há lugar para reformas antecipadas! A carreira de mãe não termina nunca!

(imagem da revista Elle)

16 comentários:

  1. E ainda bem que assim é!
    Eu cá ando a assessorar quem continua a precisar de mim! :-))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ainda bem que vão precisando sempre, não é?
      Bjs e bom fim de semana.

      Eliminar
  2. Eu cá nunca quis ser mãe, afinal tenho quatro filhos.

    Embora eu não seja essa mãe do texto, é mais o pai, li-o com muito interesse e, mesmo no meu caso, é bem verdadeiro.

    Desejo-te um fabuloso fim-de-semana, Teresa!

    PS: Obrigada pelo teu comentário no "ematejoca azul", ao qual respondi imediatamente, para te explicar porque adoro esse filme.



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresa Palmira, com 4 filhos já és doutorada!
      Bjs

      Eliminar
  3. É mesmo assim!!
    Quando começamos nada sabemos e vamos aprendendo todos os dias, com todas as situações novas que vão surgindo... E nós lá vamos fazendo as coisas o melhor que sabemos. E vamos crescendo!!
    Gostei tanto... de ir crescendo aos poucos e continuar a tentar aprender.
    Um beijo, comadre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E continuamos a tentar aprender e fazer o melhor que podemos, não é?
      Bjs

      Eliminar
  4. Ai, TERESA !

    Eu criei três rapazes ( mais a Mãe do que eu, é evidente ) e agora tenho SETE netos ( a mais velha fará 14 anos muito em breve e os outros são em escada ! ).
    Se a avó continua SEMPRE presente, este velho rabujento lá dá a sua ajuda ( sou muito exigente com a maneira de estar à mesa ! )e lá me cabe ir ao colégio buscar um ou outro, ou ao ballet, ou até ( imagina ! ) ao futebol !!!
    É que o mais velho está na Escola do Milan que o Boavista tem...


    Um beijo e BOA SORTE !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quer dizer, é carreira de mãe, de pai, de avô...
      Beijinho e bom fim de semana!

      Eliminar
  5. Ser Mãe é a mais nobre e mais bela de todas as carreiras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E aquela que nos dá os momentos de mais pura felicidade!
      Bjs

      Eliminar
  6. Olá Teresa

    Não me lembro onde li isto nem sei quem escreveu mas fiquei sempre com esta frase na cabeça que diz mais ou menos assim: Quando Deus criou o mundo reparou que não conseguia fazer tudo sozinho, foi então que criou as mães.
    Beijo
    Magda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Magda!
      Os judeus têm um provérbio que diz assim: Como Deus não consegue estar em todo o lado ao mesmo tempo, criou as mães! É mais ou menos a mesma ideia! E a sabedoria popular deve estar certa, não é? :)

      Eliminar
  7. Nem todas as mães atingem o topo da carreira, mas com a ajuda do pai... fica mais fácil.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim! A participação do pai é fundamental! :)

      Eliminar
  8. Um texto que, presumo, é o retrato file da vida de uma Mãe.

    ResponderEliminar
  9. Carlos, sei que nem todas as mães assinariam por baixo deste texto, mas, pela minha experiência e a da maior parte das minhas amigas, é o retrato geral da vida de uma mãe, sim. :)

    ResponderEliminar