quarta-feira, 10 de julho de 2013

Das previsões meteorológicas

Não foi assim há tanto tempo! Foi talvez no final da primavera, quando suspiravamos por uns dias de sol e calor e o S. Pedro só nos brindava com chuviscos e temperaturas invulgarmente baixas para a época. E a previsão espalhou-se: segundo os meteorologistas franceses, iamos ter o verão mais frio desde 1816! Quem tinha marcado férias lá para setembro, talvez tivesse sorte! Antes disso, era dizer adeus à praia e às esplanadas e às cervejolas geladas!
Talvez o S. Pedro se tivesse enchido de brios, não sei!
A verdade é que o calor veio em força, até com uns exageros dispensáveis! Não me apetece escrever, nem pensar muito! Só me apetece preguiçar, de preferência à beira mar, ou num local aprazível, com largos horizontes. 
Ainda bem que, nestes estranhos tempos que correm, nem as previsões meteorológicas são irrevogáveis!

(Na Herdade do Esporão - Fotografia de... Teresa Diniz)

16 comentários:

  1. Nem mais, Teresa.

    Adorei o teu texto. Em breve, mais precisamente este fds estarei na Terra Quente, onde o verão é sempre fogo!
    Este ano não vai ser diferente. Mas a minha mãe merece a minha companhia e essa doloroso enfrentar de temperaturas surreais!!!

    Beijinhos

    Boas férias!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui, Natália, lá para Trás os Montes está mesmo quente!
      Mas, quando é por uma boa causa... Boas férias!
      Bjs

      Eliminar
  2. Também a mim me apetecia preguiçar por locais agradáveis...mas vou-me ficando por casa onde até está fresquinho hoje! :-))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A casa também pode ser um local agradável, certo?
      Bjs

      Eliminar
  3. Acho mesmo que se devia fazer uma alteração à Constituição no sentido de legislar que nada é irrevogável no nosso país.
    Só assim eram constitucionalmente cumpridores das leis...mesmo das metereológicas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há palavras assim, com auto-determinação! Teimam em ter significados alternativos :)

      Eliminar
  4. Que coincidência, é mesmo isso que estou a fazer, preguiçar! está-se tão bem no terraço á sombra, e vou pensando que estas são as coisas boas e simples que a vida nos vai proporcionando, só temos mesmo é que estar atentos e aproveitar ao máximo.
    Boa estadia.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo a 100% Lilá(s)!
      Há que aproveitar o que o dia de hoje nos dá!
      Bjs

      Eliminar
  5. Gostei dessa do S. Pedro se encher de brios, não precisava era de exagerar tanto! :)

    E sim, tenho a impressão que depois deste início de verão, a palavra irrevogável vai ganhar novos significados... :)))

    Beijocas... e bons passeios!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Passeios, sempre! Nem que seja à volta do meu bairro! :)
      Bjs

      Eliminar
  6. Quem acertou na mouche foi o Borda d'Água. Não, não estou a brincar... já tinha escrito sobre isso quando saiu essa notícia. "Verão curto mas muito intenso" e Outono seco, eram as previsões que li em Setembro.
    Não há dúvida... prefira os produtos nacionais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Borda d'Água está a ficar na moda! Para que precisamos de um Instituto do Mar e da Atmosfera?

      Eliminar
  7. Sobretudo a dos meteorologistas franceses, Teresa...

    Um beijo ( já estou com 21º ! ).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os franceses são piores do que os outros, João?
      Beijinho.

      Eliminar
  8. Miguel Ângelo Fernandes13 de julho de 2013 às 01:51

    Água de Julho, no rio faz barulho... pois... pelo Borda d'Água temos tempo fresco até terça... depois, com o quarto crescente volta o bom tempo... e depois a 22, com a Lua cheia volta o tempo fresco... Teresa, o S. Pedro não tem falta ou brios a mais... está bipolar!

    ResponderEliminar