domingo, 7 de abril de 2013

Comboio nocturno para Lisboa

 
Um professor suíço, com uma vida monótona e rotineira. Um episódio repentino, que o obriga a repensar a rotina e tomar uma decisão inesperada. E, de repente, Lisboa! Linda, luminosa, melancólica. Não é, talvez, a cidade em que nos movimentamos todos os dias, nem é, tão pouco, a cidade da minha infância, dos anos 60 e 70, quando se passa uma parte importante do enredo do filme. É que Lisboa, aqui, também representa um papel, tem uma personalidade, ela própria é uma personagem da história, como dizia uma amiga minha. E, no entanto, é a nossa Lisboa,  a nossa história, são as nossas referências. 
O filme resulta da adaptação ao cinema do livro de Pascal Mercier, publicado em alemão em 2004, com o título Nachtzug nach Lissabon, que se tornou também um best-seller na Europa. Não é, com certeza, uma obra-prima da sétima arte, mas é um filme que nos prende a atenção do princípio ao fim. É muito interessante vermo-nos através do olhar de outros! 
 
 
 

10 comentários:

  1. Como não li grandes referências sobre o filme, durante a estadia de alguns em Lisboa, para desanuviar pois não estou a viver tempos fáceis, acabei por fazer a opção de ir ver uma comédia...que não me agradou grande coisa!
    Afinal mais valia ter visto este!

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Como as críticas, tanto em Portugal como na Alemanha, eram péssimas, até gostei do filme, pois pensei que era muito pior, mas só para ver o Bruno Ganz, a Martina Gedeck e o August Diehl já valeu o dinheiro do bilhete.

    Claro que o romance é bem melhor, embora não seja o livro da minha vida.

    Bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  3. Tenho que esperar terceira opinião, já que as duas que conheço são opostas, rrss

    Bom domingo, apesar da "Conversa em Família" onde Passos vai apresentar a suposta perseguição ao seu "brilhante" Governo...

    ResponderEliminar
  4. Respeito a tua opinião e partilho da ideia geral. No entanto, continuo a pensar que a imagem o filme transmite é de uma Lisboa provinciana, triste e melancólica. Mas é um filme para ser ver, sem dúvida!

    ResponderEliminar
  5. Teresa, No programa Bairro Alto (rtp2) o autor deu uma entrevista interessante, ele é um pouco melancólico, nostálgico e até sofrido, fala pouco mas mesmo assim gostei.
    Ele afirmou ter apanhado "um choque" quando viu as alterações feitas na adaptação do livro ao filme nessa noite não dormiu :))) mas depois acabou por compreender e aceitar embora ache que o livro é melhor do que o filme, como normalmente acontece.
    Fiquei com vontade de ler o livro....
    Viste o programa?
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vi, mas tenho pena :)
      Mas já decidi ler o livro, a opinião geral é de que é bem melhor do que o filme. Como normalmente acontece :)

      Eliminar
  6. Pois, ainda não sei bem se o vejo ou não, para já! De uma coisa estou certa: as opiniões sobre o filme são muito divergentes...

    E sim, o que me atrai mais no filme é ver Lisboa sobre outra perspetiva que não a nossa, do dia a dia. :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  7. Tinha lido livro ( gostei muito) e estava com curiosidade de ver o filme, mas saí decepcionado.

    ResponderEliminar
  8. A critica é bastante negativa, mas é um filme com Lisboa como cenário e isso por si só leva-me a ter interess em ver o filme.
    Outro senão, é a decepção que me causaram, fora do contexto do filme, claro, as declarações algo homofóbicas do Jeremy Irons...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um declara o que quer! Não te chateies com isso!
      Beijinho!

      Eliminar