sexta-feira, 30 de março de 2012

Slow Blog


A ideia surgiu no NY Times, com um manifesto chamado "Blogging at a Snail's Pace". Surgiu da ideia de recusar a blogagem rápida que, como a "Fast food", destruidora de tradições e alimentação saudável, também não favorece a reflexão e a estruturação do pensamento. Surgiu do movimento "Slow Food", contra o imediatismo, a pressa, a favor da reflexão, da preparação, da exposição de uma ideia sem pressas nem cortes, amadurecendo as ideias antes de as expor.
Achei muito interessante esta ideia. Sinto também esta contradição entre as postagens rápidas, em que se baseiam as redes sociais, e o gosto pela escrita, pela explanação de uma ideia, de um raciocínio, de uma análise da realidade. Não se consegue analisar muita coisa em 140 caracteres. Não que eu seja contra o Facebook, ou qualquer outra rede social. Todas têm o seu lugar e, se existem e têm sucesso, é porque são de algum modo necessárias. Também estou no facebook e gosto de lá passar, ver as fotos dos amigos, deixar um comentário ou uma piada a propósito de qualquer coisa. Mas o blogue é outra coisa. 
Se não tiver nada para dizer, não blogue. Não tem o compromisso de postar todos os dias. Mantenha alguma regularidade, pode postar todas as semanas ou todos os meses, mas o único compromisso é consigo próprio.
Aos adeptos do Fast Blog, aconselho o Twitter (140 caracteres por mensagem, ou tweet) ou o Facebook. Mas, para quem gosta de aprofundar as ideias, como quem mastiga muitas vezes um alimento, então é preciso outra coisa: um Slow Blog!

Leia aqui o Manifesto Slow Blog:
http://luzdeluma.blogspot.pt/2008/12/slow-blog.html


29 comentários:

  1. Não poderia estar mais de acordo.
    Sigo blogs que chegam a postar cinco ou seis posts por dia...
    É com eles, claro, mas a maioria das coisas são banalidades.
    Outros misturam coisas sem a mínima relação umas com as outras, só para encher...
    Para mim, uma postagem deve ser minimamente elaborada e deve expressar a ideia e o gosto de quem orienta o blog e não ser apenas para agradar a quem o visita.
    Eu não gosto muito do FB, vou lá pouco, pois ali cabe tudo e há uma grande misturada.
    No Twiiter limito-me a deixar os links das minhas postagens.
    Já gosto bastante mais do Google+, onde vou pondo coisas que vou sabendo e das quais opino, coisas rápidas e que me parece importante partilhar.
    Mas é a blogosfera que me seduz totalmente, com os seus comentários, a sua complementaridade e a sua partilha.
    E tantos e bons amigos ali tenho feito...
    Nas redes sociais não se arranjam amigos, escreve-se para os amigos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João
      Isso do Google+ nem conheço! Já me deparei com essa indicação, mas nem percebi como se acede. Também não sei se estou interessada, já me vejo aflita para conciliar o Blogue e o Facebook com o tempo livre, que não é assim tanto. É preciso muita organização! :)
      Bjs

      Eliminar
  2. Olá Teresa

    Adorei a postagem, porque não conhecia essa ideia e me revejo perfeitamente nela: a rapidez do fazer por fazer tira um pouca da beleza de se criar qualquer coisa, não é?
    Também tenho facebook e twitter, mas confesso, o que gosto mesmo é de criar para o meu blog, sejam imagens, textos, ideias ou até mesmo tentar que quem passa por lá rflicta sobre o sentido que damos à vida e ao mundo.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, é exatamente esse aspeto da criação, da reflexão, que me agrada no blogue.
      Bjs

      Eliminar
    2. Claro que vou aderir e divulgar, até porque já pratico esta
      "modalidade" sou uma slow blogger e não sabia :)

      Nos blogues é onde realmente me sinto bem, o facebook é mesmo uma passagem rápida .

      beijinhos e bom fim de semana

      Eliminar
    3. Afianl, eras uma slow blogger e não sabias de nada!
      Bjs e bom fim de semana.

      Eliminar
  3. Eu aderi. Mas também aderi ao disturbed blog :)
    Bom weekend.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso do disturbed blog não conheço. Será que se chama Ismael? :)

      Eliminar
  4. Cada um terá os seus ritmos de postagem. Como até a comer, seja "fast" ou "slow" food... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não era minha intenção criticar. Pelo contrário, acho que cada rede tem o seu espaço. Com características que, para mim, são diferentes.
      Bjs

      Eliminar
  5. Concordo completamente, quantidade não é sinónimo de qualidade.
    A Net é um mundo onde podemos encontrar... ou nos perder.
    Muitas das vezes "faço greve ao computador", só "para manter a linha".
    :)

    Bom Fim-de-Semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Net é um mundo, ponto final. Tem lá dentro muita coisa.
      Bom fim de semana.

      Eliminar
  6. Sou uma calamidade no blogue porque não aprofundo nada e faço poucas postagens!
    No facebook participo mais, exactamente pela facilidade e pelo imediato da colocação de comentários que, por vezes, têm logo uma resposta!Contacto quase diariamente com familiares, amigos e amigas que estão distantes e que nem sabem que tenho um blogue...
    Sou mesmo preguiçosa! :-))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não és nada preguiçosa, tens o teu ritmo, que não tem de ser igual ao das outras pessoas.
      Tu és tu!
      Bjs

      Eliminar
  7. Olá Teresa,

    Gostei do teu texto e sinto o mesmo. Revi-me nas tuas palavras.
    Por vezes, não escrevo com a regularidade com que gostava, mas é exatamente porque não quero escrever qualquer coisa. Primeiro, amadureço as ideias e só depois escrevo. Só assim me sinto satisfeita.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A blogosfera tem um ritmo e características próprias, tal como as outras redes sociais. Eu também acho que é o espaço para ideias mais amadurecidas.
      Bjs

      Eliminar
  8. “Se não tiver nada para dizer, não blogue. Não tem o compromisso de postar todos os dias. Mantenha alguma regularidade, pode postar todas as semanas ou todos os meses, mas o único compromisso é consigo próprio.”

    Há por vezes uma espécie de “pressão” em publicar algo, quando esta actividade deve se traduzir em algo que se faz a gosto e como tal deve depender da vontade e inspiração e não da obrigação.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  9. É isso, uma coisa é a inspiração, outra a obrigação.
    Obrigada e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  10. Há anos que o meu blogue é slow.
    Porque tudo o que é muito, enjoa... nem sequer chega a ser saboreado.
    Teresa, gostei do teu blogue. Tem paladar... eheheh...
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Nilson. O meu blogue tem paladar, para ser saboreado vagarosamente. :)

      Eliminar
  11. Já escrevi mais ou menos o mesmo acerca do assunto.

    Detesto facebook, embora me lenbre sempre os aniversários , rrrrs

    Jamais trocaria o blogue e a sua maneira calma e pensada de escrita por clique...

    Bom Domingo de Ramos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São, eu não detesto o facebook, até tenho lá a minha página. Simplesmente, acho que cada coisa tem o seu espaço, necessariamente diferente. E gosto do modo Slow do meu blog. :)

      Eliminar
  12. Gostei muito de conhecer este novo movimento, porque também eu dei por mim a escrever de empreitada no CR e a constatar que, muitas vezes,os leitores perdem alguns posts.
    Sem saber do movimento slow blog, criei na última semana um novo blog só de crónicas.
    Sem pretender fazer publicidade, aqui lhe deixo o endereço:
    http://cronicasontherocks.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Esta é uma questão antiga e pertinente! Antes de mais dar a volta aos blogs amigos leva umas valentes horas pelo que isto tudo tem de ser gerido com alguma sensatez (se é verdade que nao gosto de ir a correr a postar em todos , até porque nao tenho tempo nem disponibilidade interior para isso), também é verdade que é deselegante não retribuir a(s) visita(s) sobretudo se o que lemos no respectivo blog merecer um registo nosso. É o caso neste momento, sem demérito de posts anteriores, obviamente.

    E se é verdade que cada um faz do seu eapço o que bem entende, também não me seduzem os blogs que nao pssam de uma espécie de diários estéreis em adulação induzida! As coisas banais e que não têm oyutro sentido que nao essa simples partilha, podem de facto ter maior visibilidade e sentido num facebook ou twitter (embora nao seja adepto deste último e tente manter um diferente ritmo no primeiro).

    nao conhecia isto do slowblog, mas ha muita gente que ja o pratica, incluindo eu. Também nao gosto dessa voragem robotizada de se ler quase tudo e nada acabando por banalizar, nao apenas os comentários (quase de simpatia ou mera observação) mas também (o que é pior ainda) o próprio conteúdo do que lemos...

    Todavia, a ideia podia ser mais criativa, mesmo nao sabendo como. No fundo quase se restringe a dizer que podemos ser slow bloggers... (mas eu tamném já o era)... ;)

    beijinhos amigos

    ResponderEliminar
  14. Daniel
    Muitas vezes, também passo, leio e não comento. Aborrece-me a obrigação de comentar. Se este não é um espaço de liberdade, então qual é?
    Tens razão, isto podia ser uma ideia mais criativa e frutuosa. Não sei como. Aceitam-se sugestões. :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Teresa, mesmo que fosse crítica, o que é que ia adiantar? Penso que cada um é que deve gerir o seu tempo, no blogue, no FB, etc. e tal, do modo que lhe aprouver, sem necessidade de "gurus" que lhe venham dizer o que e como fazer. Quando as pessoas já são "crescidinhas", obviamente, porque em relação aos miúdos há que estar atento... :)

    Vou escrever sobre o assunto, embora dê pano para mangas...

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  16. Não sei Teresa, acho que adianta sempre. Cada um tem o direito de organizar os seus espaços como lhe apetecer, claro. Como eu escrevi acima, se isto não é um espaço de liberdade, então qual é? Mas isso não nos tira o direito de ter uma opinião e escrevê-la. O facto de ser slow ou fast também não é monolítico. Eu prefiro comida simples e tradicional, mas também como de vez em quando uma pizza. :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Teresa, você já sabe o que penso e estamos de acordo. Deixei um comentário no blogue da Teté e acho que a postagem está cumprindo o seu propósito, que é fazer os blogues interagir e discutir questões, pois esses são os princípios blogueiros e nada que se discuti, se argumenta em 140 caracteres.
    Obrigada por espalhar o Manifesto!! Beijus,

    ResponderEliminar