sábado, 3 de março de 2012

Há gripes e gripes!

E cá estou eu com gripe outra vez!
Entre espirros e gemidos, dei por mim a refletir sobre a Gripe A. A famosa, temível, incontornável Gripe A que, qual peste negra, se anunciava como um flagelo irremediável em todos os telejornais do inverno de 2009. Andou meio mundo a comprar líquidos para limpar as mãos de todos os germes, que se traziam na carteira, e apareceram recipientes com gel para limpeza em todos os espaços públicos, desde casas de banho a aeroportos. Na minha escola, os miúdos utilizavam-no logo de manhã para pôr no cabelo, era uma alegria! Lançaram-se folhetos com indicações da mais elementar higiene, como deitar no lixo os lenços de papel usados. A Direção Geral de Saúde divulgava comunicados, com conselhos, explicações sobre os tipos de gripe, tabelas de óbitos a nível mundial. Aconselhava-se o uso de máscaras e a vacinação em massa. As escolas tiveram de fazer planos de contingência. E, afinal, chegou-se à conclusão de que aquela mortífera gripe, nesse inverno, tinha sido responsável por menos mortes do que a gripe do costume, nos anos considerados normais.
Neste ano de 2012, as estastísticas mostram-nos que a mortalidade tem atingido picos pouco habituais, especialmente entre os mais idosos. Timidamente, os responsáveis admitem que a gripe tem sido uma das responsáveis, particularmente a Gripe A. Alto! Houve aqui qualquer coisa que me escapou! Este ano houve mais mortes devido à Gripe A, e só agora se fala disso? Não houve planos de vacinação, quarentenas, linhas de aconselhamento especiais? Esteve tudo tão silencioso. Será que as indústrias produtoras de vacinas e de gel para esterilização já não precisam de escoar produtos? Se calhar, eu não entendo isto porque sou loira. Ou então, é por estar com gripe.



13 comentários:

  1. Como escrevi há dias, lá no CR, este ano temos a gripe P. Bem mais mortífera e cínica do que a tão badalada gripe A.
    As suas melhoras, Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Carlos. Isto das gripes dá que pensar :)

      Eliminar
  2. E aquela quantidade incrível de vacinas que sobrou... Tens razão, houve qualquer coisa que falhou e a mortalidade deste ano, por causa da gripe, também nos põe a pensar...

    Reparando na imagem que incluíste sobre a lavagem das mãos, há uns dias estive numa repartição pública, precisei ir ao WC, depois para lavar as mãos servi-me do sabão líquido, e quando abri as torneiras não havia água, insisti, insisti, nada...e, ironia das ironias, mesmo à minha frente a uns centímetros do lavatório havia um papel como esse, colado, já com as marcas do tempo, a ensinar-nos todos os passos de como se deve lavar as mãos...
    Estás a ver a minha figura, com as mãos ensaboadas sem saber o que fazer com elas...

    :))

    Minha querida, desejo-te melhoras e uma rápida recuperação.

    Beijos.

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quer dizer, tu bem querias seguir os conselhos, mas não podias! :)
      Obrigada. Bjs

      Eliminar
  3. Também li, talvez como desculpa, que as pessoas se vacinaram demasiado cedo!
    Mas quem está a morrer são aqueles que não têm aquecimento, nem comida suficientemente fortificante, nem cuidados médicos de acordo com o seu frágil perfil!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me parece que há mais do que simples gripes, neste pico de mortalidade. Já o afirmei aqui no blogue. Infelizmente.
      Bjs

      Eliminar
  4. Por muitos vírus que por aí haja, outras causas mais haverá para explicar estes picos de mortalidade...
    E mais não digo, apenas que, com a saúde, não se brinca.
    As tuas melhoras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada João
      Quando o dinheiro começa a faltar para o que é essencial...
      Bjs

      Eliminar
  5. A forma como a Gripa A foi "publicitada" fez-me lembrar "O Fiel Jardineiro"...
    Rápidas melhoras com muitas cautelas e caldos de galinha.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Rui.
      Bem lembrado. "O Fiel Jardineiro" é um livro extraordinário sobre os métodos pouco humanitários que são utilizados pelas grandes empresas farmacêuticas.

      Eliminar
  6. É a história das poupanças... com a nossa saúde! E das "poupanças" que os mais desfavorecidos têm de fazer, por não poderem pagar contas de eletricidade chorudas. Acaba sempre por sobrar para os mais frágeis, mas entretanto já a gripe se espalhou. Conheço uma série de gente acamada nesta altura... :(

    As melhoras para ti e beijocas!

    ResponderEliminar
  7. Desta vez nem o eterno DGS falou em nada. Se calhar foram ordens do PM, quer dizer do MS, pois, desse...

    ResponderEliminar
  8. A gripe A serviu muita gente, mas não o público. Foi criada uma histeria à volta do assunto quando o número de mortos foi similar ou menor do que os provocados pela gripe normal. A mim não me vacinam!

    ResponderEliminar