quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A Idade da Sabedoria




No Jardim da Estrela (Fotografia gentilmente cedida por Ruben Valle Santos)


Comemora-se hoje o Dia Mundial da Terceira Idade, a maravilhosa idade da sabedoria, das experiências vividas, do amor desprendido dos avós.
Os avanços na medicina e a melhoria da qualidade de vida elevaram em todo o mundo a esperança média de vida e, segundo a Organização Mundial de Saúde, por volta de 2025, pela primeira vez na História, haverá mais idosos do que crianças no planeta. No entanto, é importante que esse aumento da esperança de vida tenha uma correspondência na qualidade de vida. Na nossa sociedade actual, os idosos enfrentam vários problemas: desvalorização profissional e pessoal, abandono da família, falta de projectos e actividades. Temos obrigação de olhar para eles com carinho e compreensão, de lhes possibilitar a manutenção de uma vida activa e de lhes garantir que continuam a poder sonhar.


Em Alfama (fotografia de Teresa e Fernando Ferreira)


Idoso é quem  tem o privilégio de viver uma longa vida... velho é quem perdeu a jovialidade.

A idade causa a degenerescência das células... a velhice causa a degenerescência do espírito.

Você é idoso quando sonha... você é velho quando apenas dorme.

Você é idoso quando ainda aprende... você é velho quando já nem ensina. 

Você é idoso quando se exercita... você é velho quando somente descansa. 

Você é idoso quando tem planos... você é velho quando só tem saudades.

Para o idoso a vida se renova a cada dia que começa... para o velho a vida se acaba a cada noite que termina.

Para o idoso o dia de hoje é o primeiro do resto de sua vida... para os velhos todos os dias parecem o último de uma longa jornada. 

Para o idoso o calendário está repleto de amanhãs... para o velho o calendário só tem ontens.

Que você, quando idoso, viva uma vida longa, mas que nunca fique velho. 


         (autor desconhecido - retirado da net )

11 comentários:

  1. Gosto muito de vir aqui compartilhar a vida através do seus óculos e sempre encontro uma novidade.
    Obrigada pela sua presença no meu mundo de poesias, de fato a última de Manuel Alegre é um poema musicado com o título de "Canção tão simples", mas quis dar enfoque aos questionamentos que temos feito , a grande dificuldade de combater o tráfico de drogas e armas , aqui, no Rio de Janeiro,quase um poder paralelo que avança e avança e , e fiz a chamada diferente.
    Nunca me dou conta dos dias homengeados, e foi bom saber que comemora-se o dia do idoso , carinhosamente designado Terceira idade.Hoje els estao tão mais felizes , muitos fazendo esportes e tocando a vida em plena atividade.
    Bons tempos e que a sociedade possa ve-los e respeitá-los como merecem.
    Abraços,Teresa.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Lis
    Quanto à poesia do Manuel Alegre, eu percebi a sua intenção, e comungo das suas preocupações.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Linda postagem e que eles possam receber o carinho, respeito, tratamento digno por todos e principalmente, que os govwernos se preocupem com eles, dando uma aposentadoria digna...beijos,chica

    ResponderEliminar
  4. Olá,
    Cá estou eu novamente.
    Gostei da ideia e gostei do teu texto.
    Também tive AVÓS , e uma BISAVÓ que tive a honra e o prazer de conhecer.
    Tive uma Avó muito especial.
    Este fez-me recordá-las a todas mas ... perdoem-me , recordei uma em especial.
    "...Dá-me sonhos teus..." porque já nos pedem muito pouco.
    Um beijo,

    ResponderEliminar
  5. Faires
    Pedem-nos pouco, que para eles é muito: atenção, carinho, um telefonema, uma visita, um bocadinho de conversa. Quantas vezes nos esquecemos disso, na lufa-lufa do nosso quotidiano!
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Teresa
    Também fiz um poste com o mesmo tema, mas tu escreves de uma maneira especial.
    Ai a nossa vida, que nos ocupa tanto e nos deixa, por vezes, tão pouco tempo para pensarmos nos outros...
    Um bj.
    Romicas

    ResponderEliminar
  7. Muito boa postagem. Precisamos pressionar as lideranças políticas, rumo a um real enfoque deum benefício a não só a tereceira idade, mas a todas.

    E uma mudança de postura, rumo a respeito aos nossos avôs e avós.

    Shisuii

    ResponderEliminar
  8. Romicas
    Eu não escrevo de maneira especial. Todos escrevemos da nossa maneira especial! E tens razão, muitas vezes andamos tão enredados nos nossos próprios problemas, que não temos disponibilidade para pensar nos outros.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Olá Shisuii
    Acho que tocou no ponto certo: respeito. Em vez de deixarmos de prestar atenção a quem já não é produtivo, devíamos respeitar quem já viveu, produziu, sonhou, batalhou...
    A seguir ao respeito, vem o resto.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  10. Lembro quando a minha avó ficou doente e a minha mãe, que não era a filha se prontificou a cuidar. E olha, ela como nora era viúva de meu pai a mais de 20 anos. A ingratidão dos filhos, é o pior para se sentir, imagina sentir isso, já na 3ª idade? E quando alguém cuida, tudo bem! E quando os colocam em asilos, internados isolados do convívio familiar? O prolongamento da idade, da saúde deverá mudar conceitos, afinal, seremos nós os idosos de amanhã. Beijus,

    ResponderEliminar
  11. Luzdeluma
    Essa situação que apontou também me preocupa muito. Esquecemos os que cuidaram de nós, sem nos lembrarmos, como bem diz, que seremos nós os idosos de amanhã.
    Bjs

    ResponderEliminar