sábado, 3 de outubro de 2009

Dia da Infância

Hoje, comemora-se o Dia da Infância.
Podia dizer várias coisas sobre a importância desses primeiros anos, o carinho e a protecção que lhes devemos, os direitos da Criança, e muitas outras coisas.
Mas apetece-me pôr aqui apenas um poema.

Pequeno Poema

Quando eu nasci,

Ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram veias,

nem o Sol escureceu

nem houve estrelas a mais...

Somente,

esquecida das dores,

a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,

não houve nada de novo

senão eu.

As nuvens não se espantaram,

não enlouqueceu ninguém...

Para que o dia fosse enorme,

bastava

toda a ternura que olhava

nos olhos de minha mãe.

(Sebastião da Gama)

(Fui buscar esta imagem, tão terna, ao blogue Macaires, da minha querida e sensível Marília)


4 comentários:

  1. Que lindo!
    Nâo sabia desta data! : )

    Um beijo,
    doce de lira

    ResponderEliminar
  2. Renata
    Obrigada pela sua visita. Volte sempre.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Lindo olhar nesse poema,Teresa.O olhar de mãe.
    A infância é ainda um tempo que a gente nao quer esquecer, mesmo nao tendo tido o olhar da mãe por perto.
    Obrigada por compartilhar a data!
    Abraços

    ResponderEliminar
  4. Lis
    Difícil passar a infância sem mãe, não? Por vezes, há outras pessoas que conseguem substiuir o olhar da mãe. O que é importante é que a infância é um tempo de carinho. Obrigatório!
    Bjs

    ResponderEliminar