sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Halloween à portuguesa

Metade dos miúdos da minha escola estão hoje a combinar festas ou outras coisas para o Halloween. Sempre trabalharam isso na disciplina de Inglês, como uma tradição anglo-saxónica, mas agora está a extravasar para as ruas e o fim de semana aproxima-se como uma espécie de Carnaval antecipado semeado de filmes de terror.
O Halloween é uma festa de origem pagã com mais de dois mil anos. Comemorava-se, quando as tribos Celtas festejavam o fim do verão e o início do ano novo. Terminava a metade “clara” do ano, entrando agora na metade sombria. A sua designação original era “Samhain”, ou o” Dia das Almas”, pois acreditava-se que na noite de 31 de Outubro o mundo material e espiritual  se encontravam. Lendas e contos revelavam que os mortos no ano anterior regressavam e encarnavam nos vivos para dar uma volta pelo mundo terreno. Esse era o dia de “ All Hallow Eve” (Véspera de Todos os Santos).
A Igreja Cristã adoptou e reformou a festa, chamando-lhe “Dia de Finados” (2 de Novembro), com o objectivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval.
No mundo moderno, o Halloween ressurgiu no século XIX, quando os emigrantes irlandeses exportaram a festa para os Estados Unidos. Este dia transformou-se numa festa infantil na qual crianças se mascaram e andam de casa em casa, perguntando a  quem os atende: tricks or treats? – travessuras ou doces ?
No entanto, em Portugal, esta festa não tem tradição. E, estranhamente, só foram assimilados os aspectos folclóricos ou assustadores. Será que a devemos adoptar? Será que, neste mundo globalizado, temos outra alternativa?





11 comentários:

  1. Hoje também levei dose elevada de Halloween...
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Muito legal e as crianças adoram essas festinhas.Por aqui ainda não é tão comum, mas está começando nas escolinhas e escolas.beijos,chica

    ResponderEliminar
  3. Pois... pelas nossas ruas já começam a ver-se alguns e não tarda muito estarão a bater à nossa porta.
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelas visitinhas ao Compartilhando as Letras.Suas visitinhas têm me deixado feliz e muito honrada.Volte sempre.Beijão

    ResponderEliminar
  5. Teresa, aqui no Brasil comemora-se o Halloween, mas não tanto como nos Estados Unidos. As crianças, sim, vêm às nossas portas perguntando sobre doces ou travessuras e uma festa aqui,m outra acolá, sempre acaba acontecendo. (Também tenho uma perguntinha lá o Fenixando...). Beijos!

    ResponderEliminar
  6. Não por ser pagã, mas por não ser tradicional (e ainda porque é "assustadora"...), a festa do Halloween não me diz muito.
    No entanto, parece que dela não podemos fugir...
    Também o Pai Natal, tal como o conhecemos hoje, é uma "invenção" americana... e toda a gente gosta de actual São Nicolau...
    Pena é o Menino Jesus e o Presépio estarem cada ano mais esquecidos.
    É como diz, este é o preço da globalização.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. O Halloween é adoptado em Portugal porque tem origem nos países anglosaxónicos. Se tivesse origem árabe (cultura com a qual nós temos muito mais a ver) não seria copiado.

    Nós por cá temos tendência para adoptar comportamentos, festas e atitudes que venham apenas de países cuja população é "mais branca" que nós: Inglaterra, Alemanha, EUA, Europa do Norte, etc...

    Somos racialmente mestiços e isso envergonha-nos... por isso fazemos tudo para dar ar de nórdicos. Basta ver o estilo "internacional" da maneira de vestir dos portugueses.

    rafael.fernandes.nico@gmail.com

    ResponderEliminar
  8. OI, Teresa, acho o Hawolleen uma brincadeira interessante e sem consequencias ruins, portanto as crianças gostam e se divertem .Aqui no Brasil as comemorações são restritas , mas acontecem. E , as abóboras iluminadas, as máscaras, lembram um pouco o nosso folclore meio assustador tipo Curupira, Mula sem Cabeça, Saci Pererê , etc.
    O importante é deixar as crianças felizes e tirar algum proveito , mesmo que seja só a socialização entre eles e a vizinhança, já é bem positivo.
    Quanto a poeta Teresa Rita Lopes é portuguesa sim, uma especialista em Fernando Pessoa, e tem alguns livros publicados sendo um deles Afectos , que nao possuo ,mas encontrei trechos pesquisando o google. Gosto muito dos poetas portugueses, acho que pela beleza de termos poeticos, uma linguagem bem brasileira ,mas rica em sons. Amo isso, amo as palavras .
    Abraços,Teresa.Bom domingo.

    ResponderEliminar
  9. Obrigada pelos vossos comentários, amigos.
    Também me parece que pode ser mais uma festinha engraçada para as crianças. Só tenho pena que, para acomodar estes novos festejos, se vão esquecendo as tradições portuguesas, que as há bem interessantes também.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Eu sou das tais que ensina a tradição do Halloween aos nossos jovens (como bem sabes!). No entanto, acho uma pena que se copiem estas tradições anglo-saxónicas e que se percam as nossas tradições lusas, como seja por exemplo o "pão por deus".
    É a globalização.

    ResponderEliminar
  11. Acabei por descoobrir que para além de um blog com um nome "roubado" ao meu (estou a brincar como é claro), têm aqui outro blog tambem interessante, e depois de ler alguns posts achei piada a este, pois de facto tal como se lê no seu post eu tomei conhecimento do halloween durante as minhas primeiras aulas de inglês e só para o fim do meu nono ano se começou na minha escola a realizar festas sobre o tema, contuda a moda pegou porque agora todos os anos se realizam muitas festas. è uma tradição que eu até acho engraçada e divertida, acaba por ser um segundo carnaval que mais que não seja diverte miudos e graudos. mas tal como em alguns comentários em cima, tenho pena é de com a crescente febre do halloween se perca o tão tipico pão por deus tal como o menino jesus foi quase totalmente ultrapassado pelo pai natal. Acho que devia-mos lutar para mantes AMBAS!

    Muito obrigada pelos comentários =)

    ResponderEliminar