sábado, 23 de janeiro de 2016

Uma música com trezentos anos

Ontem, mais uma vez, o Patriarcado de Lisboa ofereceu à população lisboeta um magnífico concerto, tal como já tinha acontecido no ano passado, por ocasião da comemoração do 250.º aniversário do orgão da Igreja de São Vicente de Fora. Mais uma vez, o organista João Vaz e o Coro Capella Patriarchal partilharam o palco, que é como quem diz o púlpito da igreja...
É sempre com muito prazer que assisto a um concerto na Igreja de São Vicente de Fora. A igreja é muito bela e imponente e eu perco-me a apreciar as capelas laterais ou as estátuas que se abrigam debaixo do enorme baldaquino! Mas ontem, houve outro motivo de apreço: foi interpretada uma obra de João Rodrigues Esteves, músico da corte de D. João V, chamada Vésperas de Natal. Datada de 1737, foi ontem ouvida pelo público pela primeira vez desde essa data. 
Esta belíssima peça ficou quase trezentos anos perdida nos arquivos do Patriarcado de Lisboa. Não é com certeza caso único. Sabemos que muitas partituras e peças musicais se perderam no Terramoto de 1755, assim como durante a saída precipitada da família real para o Brasil, na altura das invasões francesas. E quantas estão em arquivos, à espera de serem descobertas e decifradas!
Agora, com o apoio da Escola Superior de Música de Lisboa, alguns desses manuscritos estão a ser estudados e transcritos. É o caso desta peça, estudada no âmbito de um mestrado em Música daquela instituição de ensino superior. Que boa iniciativa! E, graças a essa iniciativa, nós podemos voltar a ouvir e a encantar-nos com uma peça musical, com quase trezentos anos de idade.






1 comentário:

  1. São momentos mágicos como este que nos adoçam a vida.

    Um beijinho

    ResponderEliminar