segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

O renascimento do Sol Invencível

Festeja-se no próximo dia 22 o solstício de inverno. É o dia mais pequeno do ano e eu, que reajo mal à diminuição da luz solar, contraditoriamente, gosto deste dia por isso mesmo: a partir de agora, os dias vão recomeçar a aumentar. Primeiro devagar, timidamente, mas no final de janeiro já se notará a diferença.
Já os antigos conheciam e festejavam esta data. Os romanos festejavam o dia do Sol Invicto no dia 25 de dezembro, três dias depois do solstício, quando o sol começava visivelmente a nascer mais cedo. 
Data dos tempos romanos um santuário, atualmente a ser escavado num pequeno promontório junto à Praia das Maçãs, dedicado ao sol e à lua. O lugar era especial. Era o sítio onde o sol se punha e a terra reconhecidamente acabava. Não se conhecia mais nada para ocidente! 
Mencionado em textos do início do século XVI, a propósito de umas escavações, a localização do santuário perdeu-se da memória das gentes. No início do século XXI, os arqueólogos voltaram ao terreno e, em 2007, mostraram os primeiros resultados. 
No sábado, no Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas, com a orientação do Professor José Cardim Ribeiro, fez-se a primeira apresentação ao público de uma ara recém encontrada no sítio arqueológico do Santuário. Falou-se sobre o significado do culto ao Soli Invictus e da localização do santuário. Não consigo imaginar uma maneira melhor de festejar o solstício de inverno.

Local do  Santuário, no Alto da Vigia, junto à Praia das Maçãs
(fotografia de Raul Losada)


Para saber mais sobre este santuário, visite o site do Portugal Romano.

1 comentário:

  1. Também gosto deste dia por pensar que a partir dele, a luz começa a aumentar :)
    Um Bom Natal
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar