sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

A melhor prenda de Natal



Este ano, cheguei à altura do Natal num estado de cansaço difícil de ultrapassar. O trabalho multiplicou-se, semanas a fio, e eu comecei a encarar os dias do Natal com receio. Aproximavam-se dias de muita agitação e de trabalho, a somar à exaustão que eu já vinha acumulando. Será que eu ia dar conta de tudo, como sempre tinha feito?  "Não te preocupes, mãe! Nós tratamos de tudo! Tu vais descansar, ajudas no que quiseres, mas não te preocupas com nada!" 
Pela primeira vez, não me preocupei com entradas e doces, não fiz listas de compras, não escolhi o bacalhau, não fui buscar o perú... E, no dia certo, lá estavam todos a fazer a sua parte! Não faltou o perú recheado, nem os doces, este ano um pouco diferentes do habitual! 
Definitivamente, a minha família é o meu melhor presente de Natal!


3 comentários:

  1. Que bom que é, de vez em quando, poder entregar as rédeas de tudo e simplesmente desfrutar! Ainda bem que foi um Natal mais sereno do que o receado! que o espírito natalício perdure!

    ResponderEliminar
  2. E pelo que vejo tens " pessoal " de primeiríssima !
    Aquilo são pais Natal ?
    E a bola de carne estava uma delícia, não ?
    O presunto veio de onde ?
    As bolachas enfeitadas fizeram-me crescer água na boca !

    Parabéns, Teresa !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João, era um exército de morangos transformados em Pais Natais! :) E não era uma bola de carne que se via, mas uma "baklava", um doce turco, ou grego! :)
      E sim, tenho muita sorte: marido e filhos de primeiríssima qualidade! ;)
      Beijinhos!

      Eliminar