terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Fredo Mergner

De origem húngara, veio para Portugal em 1977, com 24 anos. Era um exímio guitarrista e, numa rápida pesquisa pela internet, facilmente encontramos músicos que falam de Fredo Mergner como uma referência, alguém que ouviram e que se tornou uma influência marcante na forma como tocava a guitarra clássica.
Integrou vários projetos. O mais conhecido foi o projeto "Resistência", onde tocava com músicos como Pedro Ayres Magalhães, Fernando Cunha, Tim. Ainda no último concerto da banda, no Campo Pequeno, subiu ao palco com a sua guitarra.
No sábado passado, encontrei-o nas Escadinhas do Duque, em Lisboa, a tocar guitarra. Rodeado por pessoas que o ouviam, encantadas, sem provavelmente o reconhecerem. Gostei muito de o ouvir, mas... ficam muitas perguntas por responder. O que faz Fredo Mergner tocar numa rua de Lisboa, num frio fim de tarde de fevereiro? Toca porque lhe apetece? Toca para sobreviver?
Diz Fredo: "Fiz a minha evolução em Portugal. As minhas influências, recebi-as de Portugal. Considero-me um cidadão português. Falo português... Mas é difícil ser-se português em Portugal..."




17 comentários:

  1. Não conhecia Fredo Mergner. Realmente, parece que é esta, agora, a sua ocupação: ser músico de rua, animando os miradouros e artérias principais de Lisboa, segundo vi num sítio, depois de ler este seu post. Prevalecem as questões que coloca sobre os motivos que o levam a essa actividade. Ele próprio reconhece que é difícil ser-se português em Portugal...

    Obrigada por trazer este músico ao nosso conhecimento (meu, pelo menos). Pode ser que um dia o encontre nas minhas andanças por Lisboa.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  2. Nem quero imaginar os motivos que o levam a semelhante situação...

    Bom resto de dia

    ResponderEliminar
  3. Também não conhecia; e gostaria muto sinceramente de ter tido conhecimento dele noutras circunstâncias.
    Que tristeza...

    ResponderEliminar
  4. Tive um duo de guitarras com o Fredo nos anos 80, é um guitarrista inspirado, e com imensos recursos, com uma cultura musical enciclopédica, um Amigo, a quem a vida não tratou bem !
    tocou com imensos grandes do Jazz, e é muito redutor, compara-lo só aos musicos portugueses (sendo eu um deles) considero-o um ser humano superior, e doi-me a alma vê-lo assim, o Fredo é formado em antropologia, se isso interessa, dava aulas no ISLA, e como guitarrista era no mínimo impressionante !
    como disse somos grandes Amigos, fui padrinho de casamento do Fredo, numa vida passada, já muito distante.
    António Peixoto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá António!
      Obrigada por este testemunho em direto, de um colega e amigo de Fredo Mergner. Não tenho nada contra os músicos de rua, pelo contrário, acho que trazem uma mais valia ao ambiente da cidade. Mas com certeza não é uma escolha dele. Não pode (ou não quer) ser ajudado?

      Eliminar
    2. Segundo consta ele recusou tocar com a Resistencia na tornée que vão realizar este ano... por um lado pode ser opção..

      Eliminar
    3. Boa tarde António,
      Tenho um amigo que falou-me do Fredo Mergner. Ele contou-me que há muitos anos lhe emprestaram um CD dele e que não se lembra o nome e que anda há mais de 10 anos há procura e que nunca mais encontrou.
      Eu bem tento encontrar mas há pouca informação. Sabes dizer-me que CD é este?? Qual o nome? Onde o posso encontrar??
      Era só instrumental.

      Vou continuar a visitar este blog, aguardando uma resposta
      Ana Pereira

      Eliminar
    4. "À sombra da figueira"

      Eliminar
    5. Caríssimo Anónimo, sei que esta sua pergunta já tem mais de um ano, mas no entanto atrevo-me a informar que esses CD, segundo me parece está esgotado, mas sei que essas músicas estão no "YouTube".Pesquise pelo próprio nome do "Fredo Mergner". Já me desloquei propositadamente ao Mirador de Santa Luzia em Lisboa, onde ele costuma estar a tocar da parte da tarde.

      Eliminar
  5. Off topic:
    Mas a ilustração me fez interrogar: será que vão tirar estas pedrinhas de calçada das escadarias também?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar aqui também faz os idosos dar cambalhotas!...

      Eliminar
  6. I am so completely shocked when occasionally- I was bored tonight- when I saw my former neighbour ( and I am musician as well, but we never played together) in such a condition!!! OMG....we all have personal stories-life isn´t easy at all...may someone be there to help him please- and he is german, not hungarian (when I am still understanding a bit of portuguese still....). He does need help- I am seeing that!

    ResponderEliminar
  7. To all who are uinterested in this story:

    I am an old friend from Fredo Mergner. We do some recordings in the past im Germany, near Freiburg. He is German, thats true.
    To the Portugues Readers: Could PLEASE somebody give my email adress to Fredo?

    This question is espacially for Teresa, or sojmebody who met him,

    Adress is: info@mechanit.de

    And tell him Greetings from Frank, Marco, and Michel from Sasbach.

    We would be glad if he write sometimes to us.

    Our Homes and Hearts are allways open for you...

    Greets from Germany

    Frank

    ResponderEliminar
  8. To all who are uinterested in this story:

    I am an old friend from Fredo Mergner. We do some recordings in the past im Germany, near Freiburg. He is German, thats true.
    To the Portugues Readers: Could PLEASE somebody give my email adress to Fredo?

    This question is espacially for Teresa, or sojmebody who met him,

    Adress is: info@mechanit.de

    And tell him Greetings from Frank, Marco, and Michel from Sasbach.

    We would be glad if he write sometimes to us.

    Our Homes and Hearts are allways open for you...

    Greets from Germany

    Frank

    ResponderEliminar
  9. https://www.facebook.com/fredomergner/?fref=ts

    https://www.youtube.com/watch?v=05kCZcYBecs


    =)

    ResponderEliminar
  10. Quando apesar de tudo e onde muito embora pesem imensas vicissitudes da vida se há AMOR então nada demove o ser e por isso vive em continuidade. Assim me parece Fredo Mergner, o seu AMOR pela partilha desse som que brota dentro dele vence e fala mais alto num mundo onde tudo o resto parece cada vez mais atirado á calçada. Muito obrigado por este blog. Força (Bruno Quintino)

    ResponderEliminar
  11. O meu obrigada, porque graças a si passei a conhecer Fredo Mergner e como o Sr. Fredo diz e muito bem, por muito, que se goste de Portugal é difícil viver e ser reconhecido em portugal, triste mas uma realidade cada vez mais presente dos nossos dias!...

    ResponderEliminar