domingo, 2 de fevereiro de 2014

Depressão das festas


Ouvi pela primeira vez esta expressão, depressão das festas, no final do ano transato. Duas palavras, depressão e festas, que parecem não condizer uma com a outra. Mas talvez não seja assim tão estranho. Não preciso pensar muito para me lembrar das frases, frequentes, que antecedem o Natal: "Vai ser uma trabalheira!" ou "Tomara que já tenha passado!" O que se passa connosco, afinal?
Tenho para mim que as pessoas não se sentem bem quando há uma pressão social ou cultural muito intensa num determinado sentido. Estas alturas do ano em que, desde a publicidade até aos media, todos nos bombardeiam com imagens de famílias felizes, enormes, numa alegre confusão à volta de uma mesa cheia de iguarias, num ambiente de luzes e calor, onde se espera que todos partilhem um coração tão luminoso como as luzinhas da árvore de Natal, podem ser muito stressantes!
Por muitas razões. Assim, de repente, lembro-me de algumas:
- Morte ou desaparecimento de alguém que nos era muito querido. De repente, aquela alegria toda parece não fazer sentido!
- Falta de dinheiro para fazer face a todos os pedidos e expectativas de presentes. Tenho a impressão de que este pode ser um problema bem comum!
- Há sempre aqueles membros da família, irritantes, que não podemos deixar de convidar, mas que já sabemos que nos podem estragar a noite da Consoada, com bocas despropositadas, ou birras parvas!
- Pura e simples falta de tempo para organizar as festas! O trabalho parece que cada vez nos absorve mais tempo e energias, no que sobra bem nos apetecia era ir descansar para qualquer lado!
Provavelmente, haverá muitas outras razões!
O que fazer então? Não tenho nenhuma receita milagrosa, mas parece-me que o melhor é seguir a velha máxima: "Keep it simple!" Não tentar fazer mais do que podemos, não esperar mais do que o razoável! Se não resultar, é esperar que passe! Agora que já lá vai um mês, toda a gente retomou a sua vidinha e o stress passou.
Para o ano, há mais "Christmas Blues"!

2 comentários:

  1. E é que pode acontecer mesmo... "Depressão das Festas"... Bem possível!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Olá Teresa!
    De regresso, folgo em saber que também regressou depois de uma longa ausência. Espero que seja para ficar...

    ResponderEliminar