domingo, 5 de maio de 2013

E depois... há a arte urbana!

No último post, escrevi sobre os atos de vandalismo que, disfarçados de grafitis, desfeiam e destroem o nosso património. Parece-me que ficou claro que não têm nada de comum com os desenhos, por vezes muito interessantes e imaginativos, que surgem em alguns locais da cidade. 


Não aparecem em qualquer lado. Os artistas, porque neste caso é disso que se trata, escolhem um local ou são convidados para preencher um espaço. Geralmente, são espaços degradados ou desvalorizados da cidade. Às vezes, são prédios à espera de recuperação. Outras vezes, são muros ou espaços vazios. Os desenhos são criativos, dinâmicos. Enfim, é arte urbana. Rápida, efémera, mas arte, mesmo assim!


Infelizmente, uma pesquisa rápida na internet traz-nos sites que baralham as coisas e metem na mesma gaveta grafitis artísticos e os rabiscos que conspurcam os nossos espaços. E essa confusão não é saudável para ninguém. Creio que se devem admirar uns enquanto se condenam duramente os outros. E acho até que se deviam procurar os delinquentes e fazê-los limpar ou pagar pela limpeza. Os últimos rabiscos que foram feitos na estátua do Marquês de Pombal vão custar-nos mil euros em limpeza. Se multiplicarmos isto por todos os rabiscos que sujam as paredes da cidade, temos uma ideia do nosso prejuízo!


Mas, porque o que é bonito é para se ver, antes que o tempo o degrade, trouxe aqui alguns exemplos de criação artística através da técnica do grafitti. São dos meus preferidos e forçam-nos um sorriso quando por ali passamos. Só por isso, já têm valor!


6 comentários:

  1. Riscos e gatafunhos que só sujam e desfeiam , detesto.

    Mas, realmente, existem verdadeiras obras de arte: vi um prédio em Cannes que era uma maravilha e tenho uma fachada aqui bem perto de mim muito linda, só por exemplo. Certa vez recebi um e-mail com coisas deslumbrantes, verdadeiras obras de arte.

    Se pudesse mandaria fazer algo de semelhante no prédio onde vivo.

    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Mas essa a gente aprecia, dá outro colorido a certos espaços e até incentivamos.

    E há arte lindíssima que nos alegra a vista.

    Beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
  3. Miguel Ângelo Fernandes6 de maio de 2013 às 20:04

    Só consigo localizar a mulher em perfil negro dentro e fora de um prédio... na Fontes Pereira de Melo... os outros não sei onde são... é importante a distinção que fazes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O muro é nas Amoreiras... E aquele homem fantástico com o chapéu de chuva está no Bairro Alto...

      Eliminar
  4. Claro que é arte, Teresa, se em vez de tornar feia e suja a cidade contribui para a embelezar e alegria a determinadas zonas. E há que ter a noção que talento não nasce com todos... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  5. Eu há muito sigo a arte urbana tendo mesmo uma página no meu perfil do Pinterest dedicada a ela; há algumas "obras" que além de um bom gosto evidente são de uma originalidade fabulosa.

    ResponderEliminar