domingo, 30 de dezembro de 2012

Justiça divina para o século XXI

Aqui há dias, falou-se de Deus no autocarro. Não daquela forma douta e piedosa dos círculos de estudos bíblicos, onde se desfolham evangelhos e versículos, mas da maneira simples como as pessoas também simples se agarram a uma tábua de salvação. Passo a explicar.
O autocarro passava junto à porta de um ministério, na zona do Terreiro do Paço. Uma mulher, com olhos de bolsos vazios, lançou o primeiro lamento: "Cambada de ladrões! Deus há-de os castigar!"
Não foi preciso mais. Ergueu-se imediatamente um coro concordante.
- Só vão para o governo para se encherem, à nossa custa!
- Eu trabalhei a vida toda, desde os onze anos. Eles sabem lá o que isso é!
- Dizem que gastamos demais. Nós? E eles?
- Estudam e depois usam os estudos para vigarizarem toda a gente!
- Mas Deus vai castigá-los! Hão-de arder no fogo do inferno!
Um senhor bem posto, de fato e gravata e pasta na mão, interrompeu o coro.
- Então, vamos ter de esperar pela justiça divina? E se começassemos nós a fazer justiça?
Foi acolhido com um silêncio e olhares de desânimo e incredulidade.
- Ó amigo, em que mundo é que você vive?
- Não sabe que eles se safam sempre? A justiça é só para nós, não é para eles. 
- Eles safam-se e entalam-nos a nós!
- Mas hão-de ser castigados por Deus!
Não sei quem eram "eles", esse pronome às vezes tão indefinido. Mas, sabe-se lá porquê, lembrei-me de todos os nomes, largamente divulgados, dos que utilizaram créditos bancários do BPN que agora todos temos de pagar! 
Quando saí do autocarro, a conversa ainda não terminara. Mas fiquei com a ideia de que aquelas pessoas se voltavam para a justiça de Deus por estarem completamente descrentes da justiça terrena. 

Desejo a todos um bom ano de 2013! E, se Deus nos estiver a ouvir e não estiver muito ocupado, que nos mande um bocadinho de justiça e de esperança. Nós merecemos!

8 comentários:

  1. Não me conforta nada a justiça divina, consta que se se arrependerem à hora da morte serão salvos! :-))
    Gostava era que a justiça dos homens funcionasse.
    No caso do BPN há nomes escritos, factos documentados e as criaturas continuam a viver na impunidade.


    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Um feliz 2013 sem tanta turbulência como o ano que agora finda. Saúde, alegria e muita coisa boa.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. "Só neste país, só neste país..."
    :(
    Bom Ano também para a Teresa!

    ResponderEliminar
  4. Eu concordei muito com a frase que vi ser atribuída ao MArinho Pinto (não tenho a certeza se é mesmo dele), em que dizia que bastava a justiça funcionar para os problemas do país se resolverem... Castigava-se osculpados e assustava-se futuros chico-espertos... mas mais depressa vemos a situação resolvida por justiça divina ou o karma ou lá o que é...
    Oxalá o futuro mostre que estou errada!
    Feliz ano novo, Teresa!

    ResponderEliminar
  5. Faço dos teus votos o meu voto! :)

    Mas confesso que cada vez estou menos crente na Justiça - divina ou terrena! Estou a virar cética, é o que é... :P

    Beijocas e bom ano para ti!

    ResponderEliminar

  6. Olá, Teressa

    Votos de um Bom Ano Novo, em que cada um de nós possa fazer a diferença.

    Bjs

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Um pouco de justiça por estes lados era bem vinda sim... Mas a descrença nessa mesma justiça leva as pessoas a pelo menos ansiarem algo superior, este é um daqueles momentos em que gosto mesmo de pensar na hipótese da reencarnação, fazes mal nesta pagas em outra. Mas pronto não deixa de ser mais um daqueles desejos de alguém descrente na justiça que temos :/

    Um bom 2013 e uma boa semana! :)*

    ResponderEliminar