segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Coisas de que eu gosto II - As iluminações de Natal

Eu sei que o país está em crise, que o dinheiro não abunda. Sei isso muito bem, sou professora, funcionária pública! Mas fiquei muito feliz por ver acenderem-se as luzes das iluminações de Natal em Lisboa. 
Nunca fui uma entusiasta do Natal consumista. Na verdade, sempre embirrei um bocadinho com as grandes ostentações de prendas, como quem diz: "Deixa ver quem dá a prenda maior!" ou, pior ainda: "A minha prenda é mais cara do que a tua!" A crise veio deitar abaixo este castelo de cartas, deixando apenas o Natal simples, do amor e da partilha. Tudo tem um lado bom, até a crise!
Também tenho de confessar que me irritava entrar o mês de outubro e começar a encontrar bolas coloridas, anjinhos e árvores de Natal em cada canto. Quando chegava dezembro, já estava saturada de espírito natalício!
Mas havia sempre uma coisa que me encantava, um momento pelo qual esperava o ano inteiro: um passeio com os meus filhos pequenos na Baixa de Lisboa, toda enfeitada e colorida, cheia de luzes que afastavam o frio e, às vezes, a chuva daqueles fins de tarde. Passeavamos, brincavamos, comiamos gaufres de chocolate,  com os olhos cheios de luz. Benditas tardes de dezembro, que ficaram para sempre como memórias doces!
Ainda hoje gosto de passear na Baixa de Lisboa, e deixar-me fascinar pelas cores e pelas luzes. A crise não nos pode tirar tudo, não podemos entrar numa depressão coletiva, temos de preservar algum encanto nas nossas vidas.
Segundo ouvi, o dinheiro gasto nas iluminações de Natal é inferior ao dinheiro gasto na última frota de automóveis de um grupo parlamentar. E dá muito mais prazer aos lisboetas!


Para recordar, outros Natais!

10 comentários:

  1. Para a semana aí estarei e poderei ver o Natal lisboeta, nas ruas e nas praças embora não seja uma fã desta época que, a meu ver, sofre de alguma hipocrisia!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A hipocrisia pode estar em toda a parte e em todas as atividades. Cabe-nos a nós entrar ou não nesse jogo.
      Bjs

      Eliminar
  2. Sempre fui muito crítico dos Natais consumistas, da loucura das pessoas nas compras, daquelas correrias desembestadas para as compras de última hora.
    Tal como a Teresa, gosto muito de toda a simbologia que envolve o Natal e lembro-me de ir ver as iluminações logo que eram inauguradas. Sentia quaqlquer coisa no ar, um encantamento especial ao ver as ruas feericamente iluminadas.
    Hoje, infelizmente, o Natal é para mim uma data muito amarga e, assim que Dezembro começa, espero ansiosamente pelo dia 26.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos, lamento o que quer que seja que o tenha amargurado dessa forma em relação ao Natal. Espero que consiga voltar a sentir um pouco desse encantamento.
      Abraço.

      Eliminar
  3. Gosto da magia da época e sou fã das iluminações por causa disso. Concordo em absoluto, há encantamentos que nos elevam o espírito. Este é um deles. *****

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se é das luzes, ou da própria mensagem do Natal, mas é uma época em que somos convocados a procurar o melhor dentro de nós!

      Eliminar
  4. É verdade Teresa, apesar das distorções há nessa festa uma nostalgia boa_ inicia-se dezembro e é como se tudo fervilhasse, há um sentimento de espera de algo que nunca vem , só quando termina é que percebemos que o tempo passou , é o passar de nós mesmos rs
    A mim também chateia um pouco , fico querendo que termine logo_ gosto da virada do ano, não sei porquê ,o povo nas praias esperando os fogos e a contagem regressiva é meio mágica_ confraterniza-se !
    sempre estou 'na minha praia' com tacinhas e tudo para brindar rsrs é uma farra boa .
    abraços Teresa
    e bom Natal e bom dezembro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lis, essa ideia de festejar a passagem do ano na praia é mesmo fantástica! Aqui, dezembro é mês de cachecóis e lareiras!
      Bjs e bom Natal!

      Eliminar
  5. O ano passado nem à Baixa fui ver as iluminações, e este ano penso que sucederá o mesmo...
    O Natal e as coisas referentes a ele cada vez me interessam menos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João, dá uma hipótese! Tudo depende do momento e da companhia!
      Bjs

      Eliminar