segunda-feira, 28 de junho de 2010

Uma cadela chamada Vida

O meu penúltimo post era mesmo triste, amargo, desiludido. Gosto muito de animais e não consigo aceitar os maus tratos que alguns parecem achar naturais. São animais, pois são, isto é, são seres vivos que nos merecem respeito. Felizmente, há sempre outras histórias que nos aquecem o coração. Esta, foi-me enviada pela Sueli do Fenixando. A história é contada por uma das pessoas que organizava uma pequena Feira para adopção de cachorros abandonados, em Teresópolis. Foi também essa pessoa que tirou as fotografias.
O que aqui está é, no entanto, mais do que uma história; é uma lição de vida, de carinho e de cuidado com o outro. Mais uma vez, os animais dão-nos lições. Quando começamos a aprendê-las?
Deixo-vos com a história da cadela Vida, tal como ela me chegou. Perceberão facilmente porque lhe deram esse nome!


                                     

Ao chegarmos na Feirinha para organizarmos a Feira de Adoção, encontramos 12 filhotes abandonados: 8 com aproximadamente 40 dias, amontoados dentro de uma caixa e, pasmem, 4 com horas de nascidos.



                                  
Ficamos desnorteados, sem saber o que fazer.
   
Por termos ficado dois finais de semana sem realizarmos feiras por causa do mau tempo, estamos cheios de filhotes em hospedagens e bebês tão pequenos precisam mamar de duas em duas horas, inclusive à noite.
Foi quando, em dado momento, apareceu uma cadela de rua, CASTRADA e se aproximou dos bebes recem nascidos. Deitou perto da caixinha  e começou a tomar conta deles.


Não deixava mais ninguém se aproximar.


Com cuidado, colocamos os bebês perto dela
que começou a acariciá-los e tentar oferecer-lhes o seu leite, ainda inexistente.

Este é o verdadeiro sentido da maternidade.


Passadas algumas horas, com o leite aos poucos chegando, a mamãe já estava inteiramente integrada com seus novos filhos, os quais cuida como se os tivesse gerado.

   
Nós a batizamos de Vida.
Fica, então, a pergunta: Por que nem todos os humanos agem desta forma???



Boa Pergunta!

33 comentários:

  1. Tão comovente e linda esta história de VIDA!

    Agora sou eu que lhe peço para a postar no meu blogue!
    Um beijinho comovido e uma boa semana cheia de amizade pelos animais.

    ResponderEliminar
  2. Encantador e emocionante.LINDO EXEMPLO!!beijos,tudo de bom e linda semana,chica

    ResponderEliminar
  3. Olá Teresa,
    Já saio daqui outra vez com um nó na garganta!
    História mais querida e comovente.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Olá,
    É a prova provada, de que a "lealdade" e a "humanidade" também existe, principalmente a segunda, entre os animais.
    É comovente observar o cuidado desta "mãe por acaso", mas de uma "MÃE". O nome que lhe foi dado foi VIDA. Eu dava-lhe também outro "CORAGEM" ou ainda simplesmente "MÃE"
    Um beijo especial, por este post.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  5. É realmente comovente!
    Também tive uma cadela (Laika de nome), que aperfilhou, imagine... gatinhos. Assistiu ao nascimento deles,e a gata deixou que a Laika fizesse a primeira limpeza dos filhotes! Uma união de "mulherio" que nos deixou de lágrima no olho. Tenho pena de não ter fotos desse momento tão único.
    Afinal, quando dizemos que o cão é o fiel amigo do Homem, não é à toa. É uma pena que haja crueldades contra eles; é pena que não exista neste País, uma forte legislação para punir o abandono, o mau trato, etc.
    Em relação à história de Fátima, se realmente for verdade, e com todo o peso que a religião católica tem nesta terra, porque razão não se dispõem a apresentar em AR uma petição para a criação de leis à defesa dos animais em vez de os mandar para o canil...
    Um bem haja a quem os trata bem!
    Nocas

    ResponderEliminar

  6. Claro que pode levar a história. Os bons exemplos são para divulgar, tais como os maus são para denunciar.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Chica
    História comovente, mesmo!
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Papoila
    Ao menos que saias daqui com um nó na garganta por razões bonitas e positivas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Fernando
    Sim, eu acho que esta cadela é um símbolo da maternidade e do amor maternal. Devia fazer-nos reflectir.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Nocas
    Já há legislação para protecção dos animais, o problema é que não é cumprida. Há muita gente que não cuida dos próprios filhos, quanto mais preocupar-se com o bem estar dos animais!
    Essa tua cadela que cuidou dos gatinhos, também é uma história fantástica!
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Seria bom se houvesse uma Vida a cada esquina.
    Uma Vida para os sem abrigos, outra Vida para as crianças vitimas de maus tratos, outra para os animais abandonados, outra ainda para... e outra e mais outra...

    ResponderEliminar
  12. Ai meu Deus! Me emocionei tanto que cheguei as lágrimas. Muitas vezes nos perguntamos quem são os animais? A que adota por instinto,vontade de ser mãe e dar seu afeto "irracional",ou aquela dita "humana" que joga na calçada ou no lixo? Realmente se tivéssemos olhos para a fauna,flora, a natureza em si,sem dúvida aprenderíamos a ser amorosos e não faríamos tanta bobagem e injustiça. Amei seu post. Parabéns! Montão de bjs e abraços

    ResponderEliminar
  13. Teresa, que história mais bonita...!! Não consegui segurar a lagrimita. Por isso eu digo com convicção: quanto mais conheço os homens, mais gosto dos animais.
    Um beijo
    Romicas

    ResponderEliminar
  14. Elaine
    Realmente, o que significa isso de ser um animal?
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Rosa
    Também acho que, em questões de amor, os animais nos batem aos pontos!
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Impressionante isso... coisa de Deus mesmo.
    Tava vendo hoje no jornal a história de outra cadela (brasileira), que deixou os filhotes caírem acidentalmente num poço de 20 metros. Assustada, só sossegou quando conseguiu ajuda. Os vizinhos chamaram os bombeiros que resgataram os seis, todos vivos! Agradecida, a vira-latas brasileira arrumou um outro local para seus filhtes, bem longe do poço abandonado...
    Um abraço.
    Jr.

    ResponderEliminar
  17. Teresa, que história mais linda. E eu já tive uma cachorrinha chamada Vida também. Beijo

    ResponderEliminar
  18. Amiga Teresa, acredita que ao ler novamente este relato aqui no seu blog, as lágrimas voltam aos meus olhos? Tenho um amor tão grande pelos animais, em particular pelos cães, que só posso lhe agradecer por ter postado esse relato da Vida. Hoje, recebi uma imagem com um cãozinho muito triste e maltratado e ele dizia qualquer coisa assim: "Procuro um dono de raça, pois de dono vira-lata eu já me cansei". Na verdade, acho que tem muito mais seres humanos "vita-latas" do que cães. Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  19. E fica-se sem palavras, só com emoções... a olhar as fotos, a ver o que é o amor.... a lembrar nós os seres racionais que passamos ao lado de nossos iguais em "caixas de cartão"...

    ResponderEliminar
  20. Só posso dizer isto: comovente até às lágrimas...

    ResponderEliminar
  21. Exemplo de amor maternal independente de filhos serem gerados de si ou nao.Muito bacana!

    Tenho lido seus posts , esse último nao consegui abrir o vídeo por problemas no meu pc e enquanto nao normaliza fico meio distante dos comentários, mas estoupor aqui e te vendo ok?
    um abraço amigo

    ResponderEliminar
  22. É de ficarmos com lágrimas nos olhos com tanta ternura desta Vida!

    Abraço

    ResponderEliminar
  23. Junior
    Quanto mais eu conheço os cães, mais os considero exemplos extraordinários de amor, entrega, compaixão, fidelidade. Deveríamos aprender mais com eles.
    Bjs

    ResponderEliminar
  24. Vanessa
    Acho que, se tiver outra cadela, também a vou chamar Vida :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  25. Sueli
    É verdade, há muitos donos vira-latas.
    Obrigada por me teres apresentado a Vida, precisamos de conhecer exemplos assim.
    Bjs

    ResponderEliminar
  26. MagyMay
    São nossos iguais, também vivem em caixas de cartão e, no entanto, nem olhamos para eles! Devíamos dar mais espaço às emoções.
    Bjs

    ResponderEliminar
  27. Lis
    Nem precisas dizer, eu sei que estás por aí, como tu sabes que eu estou por aqui, vendo o que fazes.
    Não sei, sinto-me cansada, ando menos pela blogosfera.
    Bjs

    ResponderEliminar
  28. Rosa dos Ventos
    É uma ternura, esta Vida, e todas as outras Vidas que por aí andam e nós nem reparamos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  29. O exemplo maior das lições de vida que os humanos andam a esquecer, infelizmente!

    ( As minhas gatas...lembras-te? Uma teve cinco gatinhos e outra (primigesta) teve quatro nados mortos. Pois os cinco gatos têm sido amamentados e acarinhados pelas duas que,incansavelmente, agora também lhes ensinam as diferentes artes de brincadeira e sobrevivencia. Grandes lições... )

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  30. Maria João
    Esquecemos muito frequentemente a importância da partilha e da entreajuda.
    Bjs

    ResponderEliminar
  31. Belíssima e comovente história, mas não sei dar-lhe a resposta à pergunta

    ResponderEliminar
  32. A forma violenta como os animais são sujeitos é de bradar aos céus.

    Porque razão escolhem também ter animais se odeiam tratar deles.
    Se os abandonam, mal crescem;

    Mais valia não os levar para casa.

    Bjs

    ResponderEliminar