sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Crónicas de Jerusalém - I


Quando se chega a Jerusalém, a primeira impressão é a de uma cidade cor de areia. Todos os edifícios são da mesma cor, a cor da areia, a cor do deserto.
Mas esse é o único sinal de homogeneidade. Percebemos rapidamente que é uma cidade de contrastes, onde o antigo coabita com o moderno e o amor coabita com a morte.

Jerusalém é considerada cidade santa por três religiões, judaísmo, cristianismo, islamismo, e aí existem monumentos sagrados para milhões de crentes das três fés. Devia ser uma cidade de paz, no entanto...
Há dois grupos de pessoas que encontramos um pouco por todo o lado: soldados e judeus ortodoxos. O que nos chama mais a atenção, logo que chegamos, são os soldados, em todas as ruas e praças, tanto rapazes como raparigas, já que o serviço militar é obrigatório para ambos os sexos entre os 18 e os 20 anos. É estranho entrar numa loja e ver rapariguinhas a experimentar brincos, ou a comer um hamburguer, com uma metralhadora a tiracolo.
Sendo aqui o centro da Terra Prometida, Jerusalém é também a cidade israelita onde vive um maior número de judeus ortodoxos. Distinguem-se bem, com os seus fatos pretos que parecem fora de moda, camisa branca e as franjas do xaile de oração a aparecerem por baixo do casaco. Na cabeça, um chapéu preto ou, no mínimo, a simples kipah . As mulheres judias ortodoxas também se distinguem bem, com as suas saias pretas, camisas direitas e cabelos escondidos atrás de um lenço, uma pequena boina ou até uma peruca, já que a mulher casada só deve mostrar o cabelo ao marido.

Tirei muitas fotografias a pessoas, homens e mulheres, soldados ou religiosos. De início, são desconfiados, mas depois de perceberem as nossas intenções, tornam-se simpáticos e conversadores, contam sobre as suas tradições e maneira de viver e até gostam de posar para a fotografia!


6 comentários:

  1. E mais, mais :) gostei muito, Teresa, de ler!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Marta
    Isto tem de ir devagar, porque ainda estou a organizar as fotografias.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Bom ir devagar... pra saborear aos poucos!

    Muito bom.


    Shisuii

    ResponderEliminar
  4. Olá Shisuii
    Estou de férias, não apetece andar a correr.

    ResponderEliminar
  5. Realidade totalmente diferente.
    Incrível!

    Beijo, Teresa.

    ResponderEliminar
  6. É real e literalmente outro mundo. Para nós, mulheres ocidentais, é um mundo talvez incompreensível, mas se colocarmos os "óculos do mundo", expressão que tão bem se aplica ao seu blog, ficamos fascinados com essa cultura tão diferente da nossa. Excelente relato!

    Bjs

    ResponderEliminar