quinta-feira, 12 de maio de 2016

Turismo vs. Vandalismo



Ontem à tarde, tive de ir à Baixa fazer umas compras. Caminhava sem pressas, a apreciar o sol, que não nos tem brindado muito com a sua presença nestes últimos tempos! Vinha do Rossio para os Restauradores e o meu olhar foi irresistivelmente atraído para o espaço vazio onde, até à semana passada, estava a estátua de D. Sebastião, antes de ser destruída pela vã glória de uma foto. Uma figura relativamente pequena, num nicho entalado entre dois arcos em ferradura, na frontaria da Estação do Rossio. Dois arcos em ferradura, talvez a lembrar-nos do cavalo branco que deveria trazer-nos de volta, numa manhã de nevoeiro, aquele pequeno rei. 
Não sou grande admiradora de D. Sebastião. Foi um rei pequeno, na estátua e na História, um rei sonhador e aventureiro, que levou Portugal para uma aventura sem lógica e sem glória, cujo final é de todos conhecido. O jovem Sebastião e os seus sonhos foram o resultado de um determinado contexto político, social, religioso e ideológico, dir-me-ão, mas... não é isso que acontece com todos nós? 
Eu caminhava, perdida nestes pensamentos, enquanto passava ao lado das colunas do Teatro D. Maria II. Aí, no meio das desvairadas gentes que por ali costumam poisar, um grupo de três homens chamou-me a atenção. Eram altos, fortes, de traços nórdicos. Um deles tinha a cabeça rapada, apenas com umas madeixas no topo, de um loiro sujo. Bebiam cerveja, em tronco nú, aproveitando também o sol. De repente, o das madeixas levanta-se e, sem qualquer problema, chega-se a uma coluna e alivia o excesso de cerveja. Mesmo ali, como um cão, e com o mesmo grau de consciência do dito animal. 
Não tenho absolutamente nada contra os turistas. Pelo contrário, trouxeram animação, euros e variedade. Mas há que ter cuidados redobrados na preservação do que é o nosso património! Penso que deveria haver mais polícias, especialmente nas zonas históricas, a vigiar discretamente e a multar exemplarmente estas atitudes idiotas. Não importa que o idiota em causa seja lusitano ou estrangeiro! Não, não se pode pendurar nas estátuas! Não, não pode urinar nos monumentos! E por aí fora...
Pelo que vejo, era uma forma eficaz de encher os cofres do Estado, que bem precisados estão...

3 comentários:

  1. Que pena e isso acontece mesmo! Dá pena! E ne3m são apenas os turistas.Aqui o povo mesmo não cuida ou respeita, danifica e estraga...bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade Chica
      Mas a penalização devia ser para nacionais e estrangeiros.
      Bjs

      Eliminar
  2. Já que multam tudo e todos, porque não multam a sério estes destravados ?

    Muito bem escreves, Teresa !

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar