sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O novo nome do velho aeroporto

O velho aeroporto da Portela tem novo nome: Aeroporto Humberto Delgado. Ficámos a saber ontem, de repente, sem aviso prévio, sem debate na opinião pública. Lembro-me que, quando da construção da nova ponte sobre o Tejo, houve uma discussão alargada acerca do nome que devia ser dado ao novo equipamento da cidade de Lisboa. Vasco da Gama foi consensual, também ele lançou pontes entre os continentes e era um nome sobejamente conhecido, tanto nacional como internacionalmente. Agora, se pareceu repentinamente importante batizar o velho aeroporto, também teria sido agradável que o nome tivesse surgido de uma  auscultação da sociedade civil.
Eu afirmo desde já que teria tido algumas boas ideias. Por exemplo, Camões! Um nome curto, reconhecido por qualquer turista, o nome de um vulto cimeiro das nossas letras. Um nome que não precisa de apresentações! Ou, melhor ideia ainda, Gago Coutinho! O nosso aviador que, nos inícios do século XX, cruzou pela primeira vez o Atlântico Sul! Essa seria uma boa homenagem, adequada ao espaço!
Quero deixar desde já muito claro que nada me move contra a memória do General sem Medo. Ele protagonizou a oposição ao regime salazarista, propondo-se a umas eleições que sabia serem manipuladas. Foi derrotado, exilou-se no Brasil. Voltou à Europa e foi assassinado pela polícia política do regime. Deixou uma memória de coragem, que ajudou a apagar a memória de todos os anos em que foi um apoiante do regime salazarista, desde a sua participação no golpe militar de 28 de maio de 1926 até aos altos cargos que ocupou no Estado, como os ligados à Aeronáutica Civil. Também são conhecidas, embora pouco relembradas, as suas posições públicas de apoio ao regime nazi alemão. Claro, todos temos o direito de mudar de opinião e foi a memória do General sem Medo que a Câmara Municipal de Lisboa propôs homenagear, quando da passagem dos 50 anos do seu assassinato. Mas a minha opinião (e também tenho direito a ela) é que já é tempo de ultrapassar este constante retorno ao fascismo e ao antifascismo e assumir que havia, com certeza, portugueses com um perfil mais adequado para esta nomeação.
Já agora, porque é que o velho aeroporto da Portela não podia manter o velho nome?





7 comentários:

  1. Além de concordar com tudo o que dizes sobre o nome do Aeroporto de LISBOA ( Gago Coutinho era óptimo ! ), gostava de saber quem atribuiu tantas condecorações ao dito H. D. ?

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá João
      Uma pesquisa rápida na internet permite-nos datar estas condecorações: foram todas atribuídas entre 1936 e 1957, portanto no âmbito das suas funções dentro do regime.
      Beijinhos.

      Eliminar
    2. E nunca foi picado nem teve urticária...

      Eliminar
  2. Sobre o assunto vi escrito:
    "o dia em que Mário Soares percebeu que não iria dar o nome ao Aeroporto de Lisboa"
    in: http://31daarmada.blogs.sapo.pt/o-dia-em-que-mario-soares-percebeu-que-6735504
    Que motivo(s) justifica(m) que se pretenda dar (novo) nome ao que já tinha nome, se a designação usada não levantava objecções?
    Sobretudo se o novo nome não é consensual ou não corresponde a qualquer vontade expressa da generalidade das pessoas ou até à confirmação de algum "baptismo" popular que o uso sobreponha à denominação oficial.
    Também se evitava algum melindre de quem visse o seu nome lançado na praça pública, especialmente no caso de corresponder a razões injustificadas ou intenções menos nobres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que o nome de Mário Soares estava entre as propostas? Não sei, mas não me chocaria muito. Foi um homem importante no século XX português, lutou contra todo o tipo de totalitarismos. Enfim, seria mais uma hipótese, mas já vai tarde...

      Eliminar
    2. Concordo totalmente com o JOSÉ BATISTA !
      Para que conste...

      Eliminar