quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Dicas de viagem

Uma amiga pediu-me para lhe dar sugestões de viagem. Mesmo que quisesse, não o poderia fazer. Uma viagem é uma coisa tão pessoal, tão única! Cada um faz a sua, à sua maneira, repara em certas coisas, aprecia outras, sempre de forma distinta do seu mais próximo companheiro de viagem. Por isso, não vale a pena fazer sugestões ou dar conselhos. Mas há algumas coisas que a experiência já me ensinou e que eu posso partilhar.
1 - Viajar é como uma degustação. Não tenha pressa. Tire tempo para preparar cada viagem, investigue o que há de interessante para visitar, veja os preços, compare, faça simulações, organize rotas e programas... mesmo que tenha de os reorganizar várias vezes! A preparação já faz parte do prazer da viagem.
2 - Escolha cuidadosamente o(s) seu(s) companheiro(s) de viagem. As pessoas são diferentes e têm gostos e motivações diferentes. Se é do estilo de se levantar cedo para calcorrear as ruas, os monumentos, os museus, e a sua companhia de viagem gosta é de apreciar a vida noturna e de se levantar à hora do almoço, é melhor desistir. Para alguém a viagem vai ser um suplício e, talvez, o fim de uma bela amizade.
3 - Se não há ninguém disponível para viajar consigo numa qualquer altura, não fique parado por causa disso.  Escolha um programa que lhe agrade e vá na mesma. Poderá descobrir o prazer de fazer o que lhe apetece, sem ninguém a dar palpites...
4 - Explore cuidadosamente os sites das companhias de aviação ou de ofertas de voos. Às vezes, um voo com uma escala longa numa cidade de ligação pode ser uma boa opção. Geralmente, é mais barato e pode permitir rever um familiar ou amigo, ou visitar aquela exposição que gostava mesmo de ver...
5 - Viajar é uma atitude, uma abertura ao mundo. Há quem viaje para longe, sem nunca se abrir ao que está à sua volta. Por isso, se não tem dinheiro para grandes viagens, não fique em casa a lamentar-se. Adapte as suas opções à sua bolsa. Mesmo na sua cidade, ou na região onde vive, há caminhos que nunca percorreu, monumentos que nunca visitou, esplanadas onde nunca se sentou... Saia de casa e explore-os como se fosse um turista na sua cidade. Verá que vai descobrir que todas as viagens, mesmo as mais curtas, valem a pena!


4 comentários:

  1. Não posso estar mais de acordo contigo e em tudo, mas tudo mesmo,que sugeres e aconselhas.

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  2. Gostei dos seus conselhos. E gosto muito de viajar sozinho e ir estabelecendo contacto com pessoas novas.

    ResponderEliminar
  3. Ah é verdade... também é importante distinguir entre Viajar ( que adoro) e Turistar ( que detesto).

    ResponderEliminar
  4. Belas dicas, cara Teresa.
    Todas muito importantes, mas uma delas chamou-me especialmente a atenção.Se a companhia que escolhermos tiver gostos diferentes é melhor desistir... Sim, porque nada funcionará. Serão uns dias para esquecer.
    Bj
    Olinda

    ResponderEliminar