segunda-feira, 14 de novembro de 2016

A viagem de balão que eu (não) fiz...



Terminou neste fim de semana o 20.º Festival de Balões de Ar Quente, que pôs, mais uma vez, dezenas de balões a colorir os céus do Alentejo. É sempre um espetáculo magnífico e eu lá rumei até terras alentejanas, para voar ou, simplesmente, apreciar as vistas...
Eu não me sentia com muita coragem para essas esperas, mas os anúncios falavam também de vouchers, com voos garantidos. Como tenho amigos no Alentejo, pedi para me comprarem os vouchers. E paguei-os de boa vontade, já que eram vendidos pelos bombeiros e o seu valor revertia para as suas corporações.
E, no sábado, lá fomos para o Alentejo! Às 14h e 30, a fila já começava a formar-se. Uma rapariguita, com ar desembaraçado mas com claras deficiências no que toca a organização de eventos, gritava informações e orientações para as pessoas, que se agrupavam pacificamente, numa espera tranquila. Uma fila para os possuidores de vouchers, outra fila para os que não possuiam vouchers e apostavam numa viagem gratuita. De repente, as coisas começaram a tornar-se estranhas. Os organizadores resolveram perguntar aos da fila gratuita quem queria comprar uma T-Shirt com voucher. Várias pessoas avançaram, em corrida. E as coisas desorganizaram-se. A rapariguita esganiçada decidiu colocar esses recém chegados no início da fila. E eu, que sou desconfiada, comecei a não gostar do ambiente...
Chegou a hora de entrar nos balões. O tempo estava instável, alguns balonistas estavam com medo de levantar e parecia haver menos lugares disponíveis. O mais lógico seria dividir logo as pessoas pelos baões disponíveis, fazendo grupos pela ordem da fila. Mas foi então que a tal rapariguinha, com o aparente aval da organização, mostrou toda a sua falta de competência. Os gritos eram agora para todos os que esperavam: "Três pessoas para aqui!" Avançavam três. "Agora seis pessoas levezinhas!" Corria lá de trás um grupo de raparigas, algumas bem avantajadas... Perdeu-se a ordem, desapareceu o critério. E, de repente, não havia mais lugares nos balões! E as pessoas que se tinham mostrado mais educadas e respeitosas da organização da fila de espera, ficaram em terra, com um voucher de "voo garantido" na mão!
Algumas explicações da rapariguita, sem um pedido de desculpas! Uma total falta de respeito pelas pessoas, tratadas como um monte de bonecos! Uma organização deplorável, que transformou uma festa numa inesperada e inexplicável frustração para várias pessoas. Portugal merece melhor!
E foi assim que eu fiquei, na tarde de sábado: a ver navios, que é como quem diz, a ver balões!

9 comentários:

  1. Que coisa mais chata essa falta de seriedade e organização, não é? Isso irrita mesmo! Pior é que se as pessoas não reclamarem, nada mudará pra próxima edição e lá estarão tantos outros a ver balões... bjs, linda semana,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já protestei na página oficial da organização, Chica, na esperança que da próxima vez corra melhor!
      Bjs

      Eliminar
  2. Teresa, por acaso consegui voar na 6ª feira, mas reconheço que a dimensão e beleza do evento merecem uma organização digna desse nome. Fiquei das 5h da manhã às 15h, numa fila (porque a lista n tinha validade segundo a organização), num descampado onde não havia água, casas de banho, nem sequer alguém da organização para esclarecer os que fossem chegando... Uma lástima, enfim! 20 edições é mais do que suficiente para tirar conclusões...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Bruno
      Concordo totalmente, por isso digo que Portugal merece melhor! Não somos um bando de gente subdesenvolvida, que pode ser tratada de qualquer maneira. Por acaso, já voei num balão de ar quente, na Turquia, mas foi tudo muito agradável e bem organizado. Acho que não devemos aceitar tudo, devemos ser mais exigentes, para que tudo possa melhorar!

      Eliminar
  3. Mas que falta de senso por parte da "organização" !
    É preciso divulgar o sucedido na C.S. e exigir o reembolso, Teresa !

    Um beijo a lamentar o sucedido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O reembolso está garantido, João, mas não me satisfaz nada. É apenas menos dinheiro que entra para os bombeiros, já que o montante dos vouchers revertia para a sua organização.
      Beijinho.

      Eliminar
  4. A incompetência não tem reembolso que lhe valha... um pedido de desculpas ajudava (as desculpas evitam-se...), mas nem isso a organização foi capaz... no portal da referida (des)organização está referido que tal se ficou a dever ao mau comportamento de algumas pessoas... qual pedido de desculpas qual quê?... Num balão de uma organização da família Soares não me apanham de certeza... Obrigado Teresa por nos mostrares tão bem e tão claro o que se vê detrás dos teus óculos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também não me parece que me meta noutra coisa assim. Se quiser voar em balão, ou noutra coisa qualquer, prefiro pagar o montante pedido e ser tratada como gente.
      Bjs

      Eliminar
  5. Engraçado, que esta situação nunca me aconteceria: era incapaz de voar num balão desses, de livre e espontânea vontade... :)

    Mas pronto, até percebo que haja quem aprecie essas aventuras mais "radicais"...

    Beijocas

    ResponderEliminar