quarta-feira, 16 de novembro de 2016

A minha liberdade condicional


Eu não sabia, mas cometi um crime: estou doente. Desenvolvi uma tendinite no ombro direito que me tem dado muito que fazer! Depois de meses a tentar conciliar as aulas com os tratamentos, a correr para não deixar nada para trás, a dormir mal com as dores e com a ansiedade, a minha médica disse: Basta! E pôs-me de baixa. Veredito: braço em repouso e fisioterapia, de preferência, diária.
A baixa médica transformou-me logo num suspeito, aos olhos do Estado. A nossa elite legisladora, que sabe bem como contorna a lei quando lhe dá jeito, julga-nos a todos pelo seu próprio exemplo. Daí a suspeição! Eu podia utilizar a pequena fortuna com que o Estado me remunera mensalmente (especialmente em situação de baixa) para, por exemplo, ir apanhar sol para a República Dominicana, ou, pelo menos, para deambular pelos centros comerciais, a comprar as prendas de Natal... Sendo suspeita de defraudar o meu empregador, sou sujeita a uma medida de coacção: termo de identificação e residência. Medida leve, um degrau abaixo da prisão preventiva! Tenho de me manter em casa durante dois períodos no dia, em três dias da semana, para a minha entidade empregadora mandar fazer a verificação domiciliária da minha baixa. Afinal, quase não tenho tempo para fazer a fisioterapia! As caminhadas recomendadas pela fisioterapeuta são para esquecer... e já nem falo das compras domésticas, quem quiser que as faça... Será que posso pedir para me porem, em alternativa, uma pulseira eletrónica no tornozelo? Dava-me mais liberdade e também impedia a minha fuga para a República Dominicana!
A situação de baixa médica torna-nos suspeitos, aos olhos do Estado. Eu já olho para o futuro, ansiando pelo momento em que serei premiada com a liberdade condicional... Para ir trabalhar, claro!

4 comentários:

  1. E tiveste sorte em não te mandarem para o Estabelecimento de alta segurança de Monsanto, onde está o PILOTO !
    O Vara já está em TOTAL LIBERDADE. Claro, não se lembrou de arranjar uma qualquer tendinite !...

    Um beijo e AGUENTA !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que aguento, mas não posso deixar de considerar estas regras idiotas! Beijinho.

      Eliminar
  2. Eis uma característica típica do nosso triste país. Ou do estado (sem maiúscula) que faz triste o país, precisamente porque o coloca em... mau estado.
    Faça o favor de não desanimar. Boas melhoras, tão rápidas quanto possível.
    Parabéns pelo texto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada José, realmente mereciamos um estado melhorzinho!

      Eliminar