sexta-feira, 2 de julho de 2010

Em memória dos Slows

Finalmente, aderi ao Facebook. Depois de muita resistência, e de muitos meses a recusar os convites, lá cedi. Na verdade, fui levada por um colega que estava a organizar um encontro de antigos alunos do meu liceu e até tem sido divertido reencontrar gente que já não via há tanto tempo.
Para quem gosta de escrever, como eu, o Facebook não se compara com um Blogue, que dá outra profundidade de análise e tem outro impacto. Mas é engraçado e muito interactivo. Uma das coisas que descobri foram os Grupos. Há grupos para tudo e mais alguma coisa. Um dos primeiros que descobri, chamava-se Em Memória dos Slows das Festas de Garagem, agora com um sucedâneo chamado Mania dos Slows. Os aderentes ao grupo vão colocando online músicas antigas, que nos levam até aos tempos, recuados, das chamadas festas de garagem. Recordo-me bem desses tempos da minha juventude. Havia sempre algum amigo que tinha uma garagem, ou um armazém, ou mesmo uma sala suficientemente espaçosa. Os amigos juntavam-se, tratavam da organização da sala, das luzes (convinha que fossem veladas!), cada um trazia os seus LPs, os velhos discos de vinil, faziam-se umas sandes, compravam-se umas bebidas. E dançava-se, dançava-se muito.
Também havia os Convívios dos Liceus, organizados pelas Associações de Estudantes para angariar dinheiro para as viagens de finalistas. Eram aos sábados à tarde, e a organização era basicamente a mesma de uma festa de garagem, só com mais gente e, eventualmente, uma bola de espelhos. O denominador comum a todas estas festas eram os slows. Músicas lentas, românticas, para dançar face na face. Em média, a cada hora de slows sucedia um quarto de hora de shakes, isto é, música mais mexida, para dançar sozinho.
Esquecia-me de avisar: este post dirige-se a todos os meus leitores que tenham cerca de cinquenta anos. Os outros, peço que me desculpem, nem percebem de que é que eu estou a falar!

Para recordar essa época, trouxe um slow, claro. Aqui está Angie, provavelmente o slow mais passado e mais dançado nas festas dos anos 70. Ponham o som bem alto e bom fim de semana!


44 comentários:

  1. Eu sou mais nova quase 10 anos, mas tudo o que descreve faz parte da minha juventude, tanto mais que a cave de casa dos meus pais serviu de sede a muitas destas festas.
    Também dancei em muitas garagens e até salões de paróquia, em tardes inesquecíveis de shakes, slows e até heavy metal (lembra-se do 'Back in black' dos AC/DC??)
    E dos Bee Gees?
    E do Leo Sayer?
    Que tempos tão bons....!

    ResponderEliminar
  2. Si
    Eu estava a pensar no pessoal que tem agora entre 45 e 55 anos, mas não tenho problema em alargar o leque de idade :)
    Pois é, Bee Gees, Leo Sayer... dá umas saudades, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Olá,
    Ao terminar a leitura, fiquei com a ideia que não podia comentar. Mas lá te redimiste com a resposta ao teu primeiro comentário. Sendo assim cá vai:
    Ainda me "alembro" , quando numa discoteca, se esperava ansiosamente, pelos parcos 10 minutos depois de meia-hora a bombar.
    Ainda hoje gosto de dançar um bom slow. Só não tenho é grandes oportunidades. Talvez, estando mais atento se arranje qualquer coisa.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Ai amiga,entrei no facebook,mas, não entndo nada. Apenas entro agora pra jogar buraco rs...Participei muito dessas festas de garagem.A bebida era Cuba Livre rs..Eu nunca bebi,mas, lembro bem dela rolando pelas bocas sedentas de novidades. Oh tempo bão viu!Tenho 50 anos e sou avó! Montão de bjs e abraços

    ResponderEliminar
  5. Fernando
    O tempo dos slows foi diminuindo, hoje são noites inteiras de música batida, nas discotecas. Só digo uma coisa: os miúdos não sabem o que perdem!
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Elaine
    Sabe que ainda hoje eu gosto de Cuba Livre? Deve vir desses tempos!
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Sou só dois anos mais velha ;-) logo foi muito bom recordar este slow, embora eu só descobrisse o prazer de dançar nos anos 80.
    Não tive uma juventude marcante neste aspecto, filha única super-protegida :-(
    Quanto ao facebook nem tento, não tenho tempo lol

    Beijinhos e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  8. Oi Teresa
    Aderi ao facebook e esqueci , nunca mais fui lá, nem lenmbro mais a senha , nada, desisto não é minha praia rsrs parece que o twitter é mais interessante.
    Os bailinhos nao fizeram minha cabeça à época, pais rígidos demais, cidade do interior , clubes fechados , reunioezinhas e serenatas.Fui uma menina do interior , nada fiz de bom rsrs por isso casei cedo demais , aí com marido perdeu a graça inicial rs, mas nada a reclamar!
    um bom final
    de semana pra voce linda Teresa

    - a seleção brasileira já está em campo, vou ver aqui mesmo pelo computador ( transmitido eo vivo) e torcer pelo bom resultado rs
    abraços

    ResponderEliminar
  9. Festas de garagem,quem não lembra?beijos,chica

    ResponderEliminar
  10. Minha cara amiga:
    Já não tendo tempo para nada venho a este belo blogue deliciar-me.

    Cordial abraço,
    mário

    ResponderEliminar

  11. O prazer de dançar é bom de descobrir, seja qual for a idade!
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Oh, Lis
    Tenho pena, não sabes o que perdeste :)
    Bjs

    (Lamento a derrota da selecção brasileira, os holandeses estão imparáveis)

    ResponderEliminar
  13. Chica
    Também te lembras, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Mário
    Fico contente por perceber que este blogue tem alguma utilidade :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Olá,Teresa
    Ainda não tenho 50, nem lá perto, a ver se me entendes, mas lembro-me mt bem destas "iniciativas de garagem". Oh se me lembro!!
    A We, q está aqui ao meu lado, diz q a sua música de garagem era o Hotel California, dos Eagles(pq durava muuuiito tempo, entendes, não é?)Diz também q recorda, saudosamente, um grupo chamado Barclay James Harvest.
    Eu sou mais novinha, só me lembro mm dos brasucas e do Rui Veloso:)))))

    ResponderEliminar
  16. Ana
    Decididamente, és uma criança!
    Diz à We que também me lembro bem dos Barclay James Harvest. E o Hotel California continua a ser dos meus preferidos, ainda hoje.
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Parece-me que somos da mesma época... quanto ao facebook adorei encontrar por lá colegas com os quais nunca mais me tinha cruzado.
    Bjs

    ResponderEliminar
  18. Teresa

    É impossível ficar indiferente! Simplesmente porque as memórias desses tempos, em que a música é protagonista, estão cá dentro agarradinhas à alma.

    Quanto ao Facebook, aqui há dias recebi um convite para aderir ao grupo dos antigos alunos do liceu onde andei. Era engraçado ser o mesmo que o teu. :-)

    ResponderEliminar
  19. ah! EU LEMBRO-ME DE TER DANÇADO MUITO ESTE ANGIE...
    ERA BEM GIRO QUANDO O SLOW ERA DANÇADO COM O MENINO QUE NOS ESTAVA NO CORAÇÃO....
    BEIJINHOS

    ResponderEliminar
  20. Facebook é mara!

    Pena que nem festas nem bandas de garagem existam mais hoje...

    =(

    Shisuii

    ResponderEliminar
  21. Querida Tereza, lindo texto para recordar. Tenha um lindo final de semana..Beijocas

    ResponderEliminar
  22. É um bom tema e uma excelente música. Por aqui até à tarde havia. Garagens nunca faltaram.

    ResponderEliminar
  23. Teresa

    nós fazíamos festas por todos os lados!

    as casas eram maiores ou são agora as garagens mais pequenas?

    eu cá sou o mais slow possível...sobretudo slow food

    beijinhos

    Manuela

    ResponderEliminar
  24. Olá Teresa,

    gostei deste teu post. Não sou do tempo das "festas de garagem", mas havia as matinées às quartas-feiras à tarde, depois das aulas.
    Todas aguardávamos pelos slows para dançar coladinha com quem gostávamos. Porém nunca tive muita sorte!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  25. Eu tenho quase mais 20 anos que a idade apontada e ... não vos digo mais nada!!!
    Os meus pais não se importavam de ceder espaço...
    Abracinho

    ResponderEliminar
  26. Lilá(s)
    Eu acho que essa é a maior qualidade do facebook: permite-nos entrar em contacto com pessoas que já pensavamos "perdidas".
    Bjs

    ResponderEliminar
  27. Maria João
    É mesmo como dizes, e nós não somos nada de passar indiferentes pelas coisas, não é?
    Olha, o meu Liceu foi o D. Pedro V, o melhor de Lisboa, claro :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  28. Papoila
    Ah, pois! Essa era a melhor parte!
    Bjs

    ResponderEliminar
  29. Shisuii
    Sabes, eu também acho que é uma pena essas coisas já não existirem. Os adolescentes nem sabem o que perdem!
    Bjs

    ResponderEliminar
  30. Expressodalinha
    Também gosto muito desta música.
    Pois, havia muitas coisas à tarde, as matinés. Acho que hoje não se usa, os miúdos saem todos até às cinco da manhã!
    Bjs

    ResponderEliminar
  31. Manuela
    Também cultivo o slow way of life. Já não me apetece correr.
    Fazes uma boa pergunta. Hoje, enchemos a garagem de tralha. Dantes, cabia lá tanta diversão e tanta emoção!
    Bjs

    ResponderEliminar
  32. Natália
    Havia as matinés, sim. Hoje, começa tudo depois da meia-noite!
    Como podes dizer que nunca tiveste muita sorte? Tens um artista ao teu lado!
    Bjs

    ResponderEliminar
  33. Maria Teresa
    Pronto, decididamente vou deixar cair as barreiras da idade. Se calhar, as danças românticas são intemporais :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  34. Concordo absolutamente, Teresa: o Facebook é engraçado e mais interactivo - com respostas em tempo quase real - mas não se compara com um blogue, que dá mais espaço para escrever sobre diversas temáticas. No FB, resume-se sempre a uma frase sintética, para ilustrar uma música, uma fotografia ou o que quer que seja. Mas tem vantagens em encontrar pessoas que já não víamos há um tempão.

    Quanto aos 'slows' é verdade que também dancei muitos - essa era uma das músicas mais tocadas e, mais tarde, também o "Hotel California" - curiosamente poucas vezes com os namoradinhos, que eram quase todos rapazes pouco ligados à dança... :)

    Enfim, é sempre giro recordar essas festas e convívios e a animação da malta!

    Beijocas e bom Domingo para ti!

    ResponderEliminar
  35. Sou, provavelmente, a mais velha que por aqui anda mas já sou do tempo dos bailes de garagem...
    A música que estava a dar nessa altura era a francesa - Sylvie Vartin, Françoise Hardy, J. Halliday, Adamo ( belga), Les Chats Sauvages , etc, etc, etc...
    O que eu dancei nas férias...
    No liceu não encontrei esse ambiente mas na Universidade voltaram os convívios - no Técnico, em Direito, em Medicina, e até no Lar Universitário Pio XII, quer dizer onde houvesse muitos rapazes para nós, de Letras, podermos arranjar par...
    Aí a música já era mais diversificada! :-))
    Andamos muito nostálgicas e não é da idade!...
    Também aderi ao Facebook mas limito-me a responder, não acho grande graça.

    Abraço

    ResponderEliminar
  36. Voltei a Düsseldorf, mas ainda estou mais taralhoca do que o cardeal alemão do vídeo da Teté!!!

    Quanto ao facebook, penso que, não é coisa que gostasse, por isso fico na blogosfera até ao último suspiro.

    ResponderEliminar
  37. Até havia as músicas que tinham uma duração enorme e que eram disputadíssimas: lembro-me de uma que era o "Ma Vie" do Alain Barriére - deve ter originado alguns começos de namoro essa música.
    Então e no FB como te posso encontrar?

    ResponderEliminar
  38. Teté
    É como dizes, cada rede social tem as suas potencialidades, há que saber gerir, não é? Parece-me que tu sabes gerir as duas bastante bem!

    Não te lembras dos Convívios no nosso liceu?
    Bjs

    ResponderEliminar
  39. Rosa dos Ventos
    Não sei se és a mais velha, também me lembro bem da ápoca em que a música francesa dominava. Ainda hoje gosto de ouvir "Les Chats Sauvages"! E deves ter andado na Universidade na altura em que eu andava no Liceu, na época de ouro dos Convívios.
    Bons tempos!
    Bjs

    ResponderEliminar
  40. Ematejoca
    Já acabaram as férias, não é?
    E acho bem que te mantenhas na blogosfera, na nossa companhia!
    Bjs

    ResponderEliminar
  41. Pinguim
    Também me lembro bem dessa canção. Pelo menos, havia uma ocasião propícia para começar os namoros, ou dar os primeiros beijinhos (ou os segundos, terceiros e tal)!
    Já te respondi por mail.
    Bjs

    ResponderEliminar
  42. Olá Teresa
    só agora vi o seu blogue, como criador e mentor da pagina do facebook " em memoria dos slows das festas de garagem, quero retribuir-lhe os meus cunprimentos, como disse e bem aquela pagina foi criada essencialmente para recordar esses tempos em que tudo era facil e tudo eram sonhos! deixo aqui o meu slow da epoca!!

    abraço

    Nuno couto
    em memoria dos slows das festas de garagem

    http://youtu.be/hJX3uTA-X2A

    ResponderEliminar
  43. Amigos
    Continuam a existir festas de garagem. A outra escala,mas com as mesmas músicas.
    Nâo deixem de experimentar, está tudo no facebook e é organizado pelo DJ José Luis SAMAGAIO.A nâo confundir com outras ditas festas de garagem que não são as originais.
    Eu tenho 52 anos e divirto-me imenso. è dançar toda a noite.
    A próxima está para breve e vai ser na baixa do Porto.
    Boa festa a todos

    ResponderEliminar